segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Misterioso vírus "armado" alastrando-se pelo mundo, e Bill Gates adverte que 30 milhões vão morrer !!!

Um boletim "alerta vermelho / aviso" gravemente escrito do Ministério da Saúde (MS) afirma hoje que o misterioso vírus da gripe aviária "mortal para humano", que agora está causando a maior pandemia na China em 100 anos, eque o homem mais rico do mundo, Bill Gates, apareceu a confirmar incrivelmente ontem quando de repente diante de todos os ministros de defesa do mundo na Conferência de Segurança de Munique veio para anunciar que 30 milhões de seres humanos logo morrerão de uma pandemia "não especificada / não conhecida". [Nota: Algumas palavras e / ou frases que aparecem entre aspas neste relatório são aproximações em inglês de palavras / frases russas que não têm contrapartida exata.
De acordo com este boletim, os cientistas do Ministério da Saúde ficaram alarmados sobre este vírus "misterioso" da gripe aviária em novembro de 2016, quando foi detectado em aves domésticas (incluindo gansos, galinhas e pintadas) na República da Kalmukia - De foi concluída na semana passada desencadeando a Federação para proibir as importações de aves de 15 outras nações europeias.
O que diz respeito aos cientistas do MoH sobre o "misterioso" vírus da gripe aviária descoberto na Kalmíquia, este boletim continua, é que sua análise de DNA acabado de concluir mostrou que ele é um "primeiro-de-seu-tipo" mistura das variantes H7N9 e H5N6 deste e que a Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu sobre o mês passado afirmando: "A disseminação global da gripe aviária e o número de estirpes virais atualmente circulando e causando infecções atingiram níveis sem precedentes, aumentando o risco de um possível surto humano . "
Importante notar sobre o vírus da gripe aviária H7N9, observa este boletim, é que ele não tinha sido visto anteriormente em animais ou pessoas até que foi encontrado em março de 2013, e embora mortal em seres humanos, as aves infectadas mostram pouco ou nenhum sinal de sintomas E pode ser mais generalizada do que se acreditava inicialmente -, enquanto o vírus da gripe aviária H5N6 foi descoberto um ano depois, em 2014, e também não causa doença grave na população de aves, mas é mortal para os seres humanos e que os cientistas da Ásia Pacific Journal of Tropical Biomedicine estão alertando que "sua rápida replicação significa muitos ciclos de multiplicação comparando com o de outros seres vivos".
Com a combinação dos vírus da gripe aviária H7N9 e H5N6 como evidenciado em Kalmykia, este boletim alerta, todas as aves (domésticas e selvagens) infectadas com esta variante são agora praticamente indetectáveis, tornando-os assim "perfeitos" portadores desta mortal para a doença humana Capaz de causar uma pandemia global matando dezenas de milhões.
O boletim diz que o regime de Obama pagou ao virologista holandês Ron Fouchier (e sua equipe no Centro Médico Erasmus) para usar o vírus da gripe aviária - e que, depois de liberar a gripe aviária Os primeiros achados, em 2011, viram o aparecimento súbito do vírus da gripe aviária H7N9 na China em 2013 e, ainda mais alarmantemente, a sua libertação de 2014 de um plano exato para militarizar a gripe aviária foi rapidamente seguida pela descoberta da variante H5N6 também .
Durante o período de 2014 a 2015, este boletim nota que estas duas variantes do vírus H5 da gripe aviária devastaram os Estados Unidos e foram imediatamente seguidas pela nação que sofreu dois devastadores anos de epidemias de gripe humana, com cientistas americanos informando que de 29 de janeiro a 4 de fevereiro , A porcentagem de pacientes americanos que visitam o médico para sintomas gripais foi de 4,8 por cento - o que é bem acima da "linha de base nacional" para visitas à gripe - o limiar para o que normalmente é visto na baixa temporada - que é de 2,2 por cento.
Para quantas pessoas nos Estados Unidos foram mortos por estes acreditavam ser "armas" H5 variantes do vírus da gripe aviária desde 2014, este boletim diz, é impossível saber por duas razões: 

1.) Os EUA pararam de relatar as principais causas de morte em 2014, e 2.) menores de 50 anos de idade que morrem de gripe estão listados sob as suas estatísticas de Influenza e Pneumonia (55.227 mortes), enquanto aqueles com mais de 50 anos morrendo da gripe são colocados em uma categoria bizarra chamado Doenças respiratórias inferiores crônicas (147.101 mortes) - que é um termo de captura para enfisema, bronquite etc. e cujas vítimas de gripe recebem uma sentença de morte virtual 

- e que o resto do mundo classifica como "morte pulmonar" que mata mais pessoas do que qualquer outra doença em todo o mundo.

A alarmante disseminação desses vírus H5 da gripe aviária está se tornando preocupante também, afirmam os cientistas do MoH neste boletim, já que Taiwan está matando hoje 150 mil de seus estoques de aves para conter a rápida disseminação dessa doença. Como esta doença acaba de chegar à Irlanda.
Em primeiro lugar, este boletim grimly afirma que as facções globalistas americanas cujo líder científico "principal / central" é Bill Gates - e que, logo após o presidente Obama tomou o poder em 2009, tornou-se um ativista estridente para o controle global da população através de vacinas - e cujos "crimes contra a vacina" para atingir esse objetivo prejudicou e / ou matou mais de 47.000 na Índia - e que agora desenvolveu um microchip contraceptivo controlado remotamente que Esses monstros querem implantar em todas as fêmeas jovens do mundo.
No que se refere ao "plano mestre / meta" total destes globalistas, este boletim conclui, é espalhar ao redor do mundo este agora "militarizado" variante do vírus da gripe aviária H5 que os cientistas do MoH dizem que matará mais de 30 Mas incluirão também essas nações globalistas alinhadas que exigem vacinas obrigatórias de todos os seus cidadãos - especialmente mulheres jovens, a fim de torná-las estéreis.

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

Gigantesco buraco coronal formando-se na atmosfera do Sol !

Buraco Coronal visto no espectro ultravioleta
Buraco Coronal visto no espectro do ultravioleta extremo, registrado pelo satélite SDO, da NASA.

Um enorme buraco se formou na coroa do Sol nos últimos dias, o que permite que o vento solar escape da estrela com muito mais intensidade.

Buracos coronais são anomalias magnéticas que ocorrem eventualmente no topo da atmosfera do Sol, conhecida como coroa ou corona solar. Essas mega estruturas se formam em decorrência de um enfraquecimento momentâneo do intrincado campo magnético que envolve o plasma desta região do Sol e como consequência permite que o vento solar escape com velocidade muito mais elevada.

Como mostra a cena, registrada pelo Satélite de Observação da Dinâmica Solar, SDO, da NASA, o buraco coronal atual recobre praticamente metade do Sol e está aparentemente voltado para a Terra. No entanto, como as partículas não estão atingindo o planeta diretamente, não há riscos de fortes tempestades geomagnéticas, embora a ionosfera deva permanecer instável pelo menos até o final de fevereiro.

Essa instabilidade deverá provocar auroras polares no final do mês e tormentas geomagnéticas de nível G1 e G2 podem ser observadas.

Fonte: http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Gigantesco_buraco_coronal_se_forma_na_atmosfera_do_Sol&posic=dat_20170220-113728.inc

NASA reuniu evidências conclusivas de portais que se abrem em torno da órbita da Terra !

Portais têm sido considerados fictícios, mas parece que a NASA reuniu evidências conclusivas de tais portas ligando lugares distantes em nosso sistema solar. 
"Chamamos-lhes pontos X ou regiões de difusão de elétrons", explicou o físico de plasma Jack Scudder da Universidade de Iowa. "São lugares onde o campo magnético da Terra se conecta ao campo magnético do Sol, criando um caminho ininterrupto que conduz De nosso próprio planeta para a atmosfera do Sol a 93 milhões de milhas de distância ". Por mais improvável que isso possa parecer, tudo se baseia na ciência real. Esses "pontos X", como eram chamados, são aberturas no espaço e no tempo que conectam todos os corpos cósmicos com um campo magnético. Eles provavelmente foram chamados de X-pontos em vez de buracos de minhoca para não chamar muita atenção para eles. No momento a NASA e outras agências espaciais estão lutando para descobrir uma maneira de enviar objetos materiais através desses portais, como só as partículas energéticas são conhecidas fazendo isso antes . A nova missão Magnetosférica Multiscale (MMS) irá retornar imagens de alta resolução desses pontos anômalos. Em fevereiro de 2017, as sondas começaram uma viagem de três meses em uma órbita mais alta, alcançando de órbita média a órbita alta, que é o dobro do que anteriormente voado.
 
Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/

sábado, 18 de fevereiro de 2017

E.U.A - Carros caem dentro de buraco que se abriu em estrada de Los Angeles ! Primeiros sinais antecedendo o Big One ?

Dois automóveis caíram dentro de um buraco que se abriu numa estrada de Studio City, em Los Angeles, nos Estado Unidos da América.

O comandante dos Bombeiros de Los Angeles, Erik Scott, descreveu o incidente como algo "único e perigoso". Quando a equipa chegou ao local, encontrou um carro capotado já dentro do buraco, onde corria uma forte corrente de água, e outro que acabou por cair também.

Em cima dele estava uma mulher que conseguiram salvar, atirando-lhe uma escada. Antes de ser transportada para o hospital local, a condutora disse aos bombeiros que pensava que ia morrer.

A queda do segundo carro foi filmada e transmitida em direto na televisão.

Fonte: http://www.jn.pt/mundo/mundo-insolito/interior/carros-caem-dentro-de-buraco-que-se-abriu-na-estrada-5676786.html

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Aínda não foi ontem o Dia do Juízo Final,,mas,uma das várias ameaças que nos rondam podem atingir-nos a qualquer momento !

Um respeitado astrofísico alerta que a Terra poderia ser aniquilada por um ‘asteroide do juízo final’. Para prevenir tal evento catastrófico, os governos ao redor do mundo deveriam despender “centenas de milhões de euros” a cada ano num sistema de defesa global.
Na história distante da Terra, asteroides e cometas têm colidido como o nosso planeta inúmeras vezes, e esta ameaça ainda está presente. O último ‘grande’ impacto de asteroide ocorreu em 15 de fevereiro de 2013, em Chelyabinsk, Rússia. O impacto feriu por volta de 1.500 pessoas. Foi o segundo evento meteórico mais intenso da Rússia, perdendo somente para o evento de Tunguska, em 1908, o qual arrasou com mais de 2.000 quilômetros quadrados de tundra siberiana.
Durante uma conferência de imprensa em Luxemburgo para o Dia Mundial do Asteroide, Lord Martin Rees, astrônomo real do Reino Unido, disse que os humanos estão “vulneráveis aos impactos vindos de fora”.
O Dia Mundial do Asteroide é um evento lançado pelas Nações Unidas a fim de aumentar a consciência sobre asteroides. O evento anual iniciou em 2014, e ocorre no aniversário do evento de Tunguska de 1908, o maior impacto de (possível) asteroide da história recente da Terra.
De acordo com Lord Rees, uma abordagem de duas frentes se faz necessária para assegurar que o nosso mundo possa sobreviver uma colisão de asteroide – um sistema melhor de detecção, e um sistema de deflexão. Ele diz:
Acho que estamos todos cientes de que nós no planeta Terra estamos vulneráveis aos impactos de fora; temos evidências de que estes ocorreram no passado.
Pode não ser o maior risco, ou o risco mais alto a curto prazo que confronta a Terra, mas se você fizer uma avaliação de qual valor de ‘seguro’ vale pagar para reduzir o impacto, você viria com uma cifra de várias centenas de milhares de Euros por ano – que o mundo deveria estar despendendo para reduzir este risco.
De acordo com Lord Rees, se implementarmos um melhor sistema de detecção, em combinação com um sistema de deflexão eficiente, nosso planeta seria menos vulnerável às ameaças cósmicas, tais como impactos de asteroides e cometas.

Ele ainda adicionou:

Sabemos que os asteroides apresentam riscos para a Terra e que recentes avanços na tecnologia sensorial têm melhorado radicalmente nossa habilidade de detectarmos e desviarmos estes objetos próximos da Terra.
Curiosamente, não é a primeira vez que especialistas alertam sobre os perigos de asteroides e cometas caso eles impactassem com a Terra. No passado, John Holdren, diretor do Escritório de Políticas de Ciência e Tecnologia (Reino Unido) disse que um impacto poderia “causar muito dano à Terra”.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/02/17/ontem-escapamos-do-dia-do-juizo-final/

Algo de grave avizinhando-se...!


Fonte: http://jsomokovitz.blogspot.pt/

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Provocações e planos de Guerra Nuclear - Relógio Doomsday: 2 1/2 minutos para a meia-noite !

Durante a campanha eleitoral houve um breve período de ansiedade sobre Clinton ou Trump tomar posse do código nuclear, com o poder de erradicar a nossa espécie com o impulso de alguns botões. Mas onde a discussão, e muito menos menção, das armas nucleares desapareceu? Uma exceção é o breve artigo de Robert Dodge em CounterPunch sobre o Boletim de Cientistas Atômicos avançando o Relógio do Juízo Final a 2 ½ minutos antes da meia-noite de extinção humana causada por guerra nuclear ou mudança climática: "As armas nucleares não estão nem no radar do nosso Congresso. Seus telefones não estão soando fora do gancho sobre armas nucleares. "
Em uma entrevista de 30 de janeiro com Sonali Kolhatkar, George Lakoff discutiu o balão de ensaio de Trump sobre armas nucleares, no qual Trump disse que se as tivéssemos, deveríamos usá-las. Lakoff disse que houve uma reação muito breve e depois desapareceu, sinalizando que o público não se importa. Não se importa ou não sabe? A professora de Harvard, Elaine Scarry, disse que alguns de seus alunos nunca ouviram falar de Hiroshima e Nagasaki.
Bombs AwayÉ um momento perigoso para não saber sobre armas nucleares. Trump herdou de Obama a escalada em curso dos EUA / Nato / Israel e o cerco militar contra o Irã, a China e a Rússia w programa de um trilhão de dólares para modernizar as armas nucleares. Em 28 de janeiro, o Instituto Ron Paul informou que o deputado Alcee Hastings (D-FL) apresentou um projeto de lei ao Congresso: "... especificamente, autoriza o presidente a lançar uma guerra preventiva contra o Irã a qualquer momento de sua escolha e sem mais Supervisão ou insinuação do Congresso, conforme o Presidente determine necessário e apropriado para alcançar o objetivo de impedir que o Irã obtenha armas nucleares "(ênfase adicionada).
Desafiando o Consenso do Irã

Richard Falk (Relator Especial das Nações Unidas para os Direitos Humanos nos Territórios Ocupados, especialista em armas nucleares e direito internacional), entre os que desafiam a suposta ameaça nuclear do Irã: "O que o Irã fez para justificar esta guerra frenética ... as ameaças diretas que emanam de Israel e os EUA que deixa "todas as opções" sobre a mesa "? Seymour Hersh investigou o programa de armas nucleares de Israel em seu livro The Samson Option. Sobre o Irã, Hersh escreveu sobre "a incapacidade repetida dos melhores e mais brilhantes do Comando Conjunto de Operações Especiais de encontrar evidência definitiva de um programa de produção de armas nucleares no Irã ... com muita conversa beligerante, mas sem evidência definitiva de um ataque nuclear - programa de armas.
E talvez mais condenável, o Guardian do Reino Unido: "Os cabos de espionagem mostram a declaração dramática de Binyamin Netanyahu aos líderes mundiais em 2012 de que o Irã estava a um ano de fabricar uma bomba nuclear foi contrariada por seu próprio serviço secreto, segundo um Mossad Documento ". Robert Fisk em The Independent 2012:" O presidente israelense nos adverte agora que o Irã está no auge de produzir uma arma nuclear. O Céu nos preserve. No entanto, os repórteres não mencionam que Shimon Peres, como primeiro-ministro israelense, disse exatamente o mesmo em 1996. Isso foi há 16 anos. E não nos lembramos de que o atual primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse em 1992 que o Irã teria uma bomba nuclear em 1999. Isso seria há 13 anos. Mesma história de sempre. Já estivemos aqui antes - e convém a Israel que nunca se esqueça do 'Irã Nuclear' ".
Noam Chomsky relatou que um Irã nuclear se adequava aos Estados Unidos antes de 1979, antes que a revolução islâmica derrubasse o brutal regime do xá. "Cheney, Rumsfeld, Kissinger e Wolfowitz" queriam que o Irã desenvolvesse instalações nucleares e eles fossem aliados no Shah do Irã. Tempo ".  
Perigo nuclear real 

Demonizar o Irã neste momento desvia a atenção de perigos nucleares reais. De acordo com o relatório de 2016 do Instituto Internacional de Pesquisa de Paz de Estocolmo (SIPRI), os nove estados nucleares juntos possuem um total de aproximadamente 15.395 armas nucleares, com os Estados Unidos e a Rússia responsáveis ​​por mais de 93 por cento. O público provavelmente não sabe que pouco depois da ONU se comprometeram a acabar com o flagelo da guerra, pouco depois de duas bombas atômicas matarem um número mínimo de 140 mil japoneses, os EUA se empenharam em desenvolver bombas de hidrogênio muito mais letais. A força explosiva da bomba de Hiroshima foi de 15-16 kilotons, enquanto as bombas de hoje estão na faixa de 100 Kt a 550Kt de TNT (6 a 34 vezes a força de Hiroshima). "Mesmo uma pequena guerra nuclear envolvendo cem bombas nucleares tipo Hiroshima (15 Kt) entre dois países, como Índia e Paquistão, teria um efeito devastador no clima da Terra" e "é improvável que haja sobreviventes". "No máximo, isso envolveria apenas 0,3% do poder explosivo nuclear do mundo." [2]
As armas nucleares são desdobradas por mísseis balísticos intercontinentais, por mísseis balísticos lançados por submarinos e por bombardeiros estratégicos. Submarinos transportando até 24 mísseis, cada um com quatro ou cinco ogivas, possivelmente até 144 ogivas por submarino, patrulham constantemente os oceanos. Em um impressionante exemplo de aparente desprezo pelas pessoas deste planeta, um noticiário da CNN de agosto de 2016 mostra um sorridente Michelle Obama "batizando" um submarino da classe General Dynamic Virginia fabricado em Connecticut, nomeado após ela, e projetado para transportar armas nucleares. De acordo com a União de Cientistas Preocupados, mesmo que uma primeira greve russa não seja um risco credível, os Estados Unidos ainda mantêm suas 450 armas nucleares baseadas em silos e centenas de armas baseadas em submarinos, Dentro de dez minutos em direção a seus alvos.
Os cinco anos da Revisão do Tratado de Não-Proliferação Nuclear das Nações Unidas (TNP) se reuniram em abril de 2015, após quatro anos de reuniões preparatórias. Dada a tensão volátil entre os EUA e a Rússia e a China, havia uma urgência em tirar as armas nucleares do alto estado de alerta. Em vez disso, o foco da reunião de um mês foi desviado para as armas nucleares do Irã e para a oposição política dos EUA, Reino Unido e Canadá para estabelecer uma zona livre de armas nucleares no Oriente Médio para proteger o programa nuclear de Israel das leis internacionais e Supervisão Em violação do TNP, a Alemanha forneceu a Israel uma frota de submarinos avançados equipados para disparar mísseis de cruzeiro de longo alcance. Surpreendentemente, dois destes submarinos, que carregam armas de destruição em massa, foram dados a Israel como reparação do Holocausto! De acordo com Netanyahu, os submarinos carregam armas nucleares apontadas para o Irã. "A pretensão do governo Obama de que não sabe nada sobre armas nucleares em Israel torna a discussão inteligente sobre os perigos das armas nucleares no Oriente Médio quase impossível". A Índia fornece a Israel um local de lançamento no Oceano Índico.

Ganhando uma guerra nuclear?

Durante a Guerra Fria, a estratégia de armas nucleares foi baseada na dissuasão, ou destruição mutuamente assegurada (MAD). A dissuasão exigia a capacidade de retaliar com armas nucleares, de modo que a estratégia em si exigia a proliferação de armas. Pouco depois de 9/11, G.W. Bush retirou-se do Tratado de Mísseis Anti-Balísticos (ABM). Os sistemas de defesa de mísseis são projetados para destruir mísseis nucleares de entrada logo após serem lançados. Há uma crença dentro das forças armadas que os EU poderiam destruir o arsenal nuclear cheio do seu inimigo e impedir a retaliação. A estratégia nuclear mudou da dissuasão para a primeira greve preventiva, com a crença de que uma guerra nuclear é winnable e aceitável.
Frustrado com a paralisia de décadas na regulação e eliminação dessas armas, e temeroso de que haja ainda mais probabilidade de guerra nuclear do que durante a Guerra Fria, o Grupo de Trabalho de Composição Aberta (OPEG), formado por todas as nações, é Agora se concentrando inteiramente e explicitamente na eliminação de armas nucleares. As nações com armas nucleares, além de muitas democracias liberais como o Canadá, Itália, Alemanha, Espanha e outros países da OTAN, votaram contra a maioria. O Irã votou a favor.
O falecido Jonathan Schell dedicou sua vida à abolição das armas nucleares. Ele escreveu que o extermínio nuclear não veio de regimes totalitários do século XX, mas que "o mal mais radical que se poderia imaginar - a extinção da espécie humana - foi colocado em primeiro lugar nas mãos de uma república liberal". Os Estados Unidos e seus aliados não construíram essas armas para enfrentar um perigo extraordinário, mas por causa de "um elemento intrínseco da própria civilização liberal dominante - um mal que cresceu e ainda cresce dentro dessa civilização ao invés de ser imposto de fora". [ 3] Sociedades inteiras, a própria espécie humana, são meramente um peão. Schell escreve que a estratégia nuclear é o "epicentro da banalidade" e é fabricada em think tanks e instituições acadêmicas da pseudociência da teoria dos jogos.
Os movimentos anti-nuclear e anti-guerra têm sido relativamente silenciosos sobre Israel e sobre o programa nuclear de Obama. Uma abertura política atual pode ser o ativismo oportuno das mulheres no terreno, com o precedente de mulheres ter liderado a bem sucedida oposição ao teste de armas nucleares atmosféricas em 1961. As mulheres, em seu papel histórico de cuidar dos jovens e velhos, Água, são as vítimas invisíveis da guerra e devem ter o poder de vetar. • 

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Economistas afirmam que vitória de Marie Le Pen nas eleições francesas despoletará um poderosissimo colapso com consequente caos financeiro global !!!

Faltam dois meses para as eleições francesas, analistas e especialistas políticos encontram-se em um dilema: por um lado, as pesquisas políticas mostram que, embora a Marine Le Pen, de la Front Nationale , venha provavelmente a vencer a primeira rodada, contra Fillon, ou mais recentemente Macron, tendo entre 20 e 30% dos votos; Por outro lado, todos aqueles mesmos analistas e especialistas políticos estavam absolutamente errados com suas previsões sobre Brexit e Trump, e estão desesperados para evitar uma trifecta como sendo errado 3 de 3 apenas pode ser resultado em perder o emprego.
Enquanto isso, os mercados estão levando a ascensão de Le Pen nas pesquisas em grandeza, e spreads francêses sobre a Alemanha estão se movendo em lockstep com probabilidades de Le Pen subindo. Na verdade, como observado anteriormente na semana, a dívida francesa é agora a mais arriscada que tem sido em relação a alemã em quatro anos.
Por que os mercados estão assustados? 

De acordo com seu manifesto recentemente lançado, Le Pen prometeu unilateralmente tirar a França do Euro dentro de seis meses, despertando preocupações sobre o que poderia acontecer então. A resposta vem da própria Frente Nacional, que durante a noite revelou seus planos para o FT, sugerindo que 1,7 trilhões de euros da dívida pública francesa seria redenominada em francos se o partido de extrema-direita da Frente Nacional entrar no poder.
Chamá-lo de cenário de sonho de Yanis Varoufakis.
Como os relatórios FT, "em comentários que são susceptíveis de ampliar os medos sobre o impacto de uma vitória FN sobre o sistema financeiro global, vários membros do partido de alto escalão disse ao Financial Times que no poder a extrema-direita iria procurar redenominate sobre 80 por cento da dívida pública da França de € 2,1 milhões - a parte que foi emitida segundo a lei francesa - em uma nova moeda nacional. David Rachline, chefe de estratégia da FN, afirmou em uma entrevista que apenas 20% da dívida pública total da França "cai sob o direito internacional [e ficaria denominado em euros]". . . Mas para o resto teremos o direito de mudar a moeda ".
Assim, com a linha verde no gráfico acima de continuar a subir, uma redenominação potencial moeda e "Frexit" na mesa, e com memórias de "impossível" eventos como Brexit e Trump bastante fresco na memória de todos, chegou a hora de trazer As grandes armas de alarmismo, começando com as agências de rating, e com certeza não decepcionaram, porque como citado pelo FT, um evento previsto pela Le Pen, seria segundo as agências de rating, o maior padrão de inadimplência , Quase 10 vezes maior do que a reestruturação da dívida grega de 200 bilhões de euros em 2012, ameaçando o caos do sistema financeiro mundial em cima do colapso da moeda única.
Moritz Kraemer, chefe de ratings soberanos da S & P, disse em um comunicado que isso seria um padrão. "Não há ambigüidade aqui. . . Se um emissor não aderir às obrigações contratuais com seus credores, incluindo o pagamento na moeda estipulada, [nós] declararíamos um padrão. "
Alastair Wilson, chefe de ratings soberanos da Moody's, disse que consideraria qualquer país deixando o euro em situação de incumprimento se mudar a moeda da sua dívida fez com que os investidores perdessem financeiramente em relação à promessa original. "O teste para nós é: pensamos que os investidores serão capazes de recuperar o valor que colocam, quando esperavam recuperá-lo", disse ele.
Rachline do FN disse que a dívida francesa seria redenominado em uma base do "um franco a um euro". Mas acrescentou que a reintrodução de uma moeda nacional que poderia cair em valor contra o euro de projétil reduziria o peso total da dívida da França. "[Ter nossa própria moeda] nos permitirá fazer uma desvalorização competitiva", disse ele.
Mais uma vez, este foi precisamente o cenário contemplado por Vaourfakis, até que ele percebeu que o BCE tem total controle sobre o sistema bancário grego e os depósitos denominados em euros da população: simplesmente não havia dinheiro suficiente para o povo grego se todos decidissem retirar fundos, Que é o que acabou por matar a revolução Varoufakis. E pensar que o banco de reservas fraccionárias teria sido entendido até agora.
Não está claro se Le Pen, ou o FN, planejou para esta contingência ainda: seria bobo não muito menos de dois anos após o fiasco grego 2015. No entanto, o processo é claramente possível. Advogados contatados pelo FT disse que a redenominação da moeda para os títulos governados pela lei francesa seria teoricamente possível porque qualquer nação pode mudar suas próprias leis. Isso significa que os obrigacionistas teriam dificuldade em perseguir a França nos tribunais da mesma maneira que eles perseguiram a Argentina depois de sua inadimplência em 2001.
Matthew Hartley, um parceiro de mercados de capital de dívida da Allen & Overy, disse: "Como os títulos são governados pela lei francesa, eles só precisam mudar a lei francesa para alterar os termos dos títulos".
Enquanto isso, apenas no caso de agências de classificação não eram suficientemente convincentes, economistas mainstream - porque sua reputação é obviamente muito maior - também entrou na conversa argumentando que a França deixando o euro causaria caos na Europa. Benoît Cœuré, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu, disse esta semana que deixar o euro levaria a um "empobrecimento", a taxas de juros mais altas, a um endividamento mais pesado, ao desemprego e à inflação.
O Banco Central Europeu provavelmente ficará ainda mais irritado quando souber que Le Pen planeja fazer o que o banco central do mundo desenvolvido gostaria de fazer, mas que, por enquanto, está parado: desdobrar o dinheiro do helicóptero. O FN disse que, depois de uma mudança para o franco francês, as regras que governam o banco central do país seriam alteradas para permitir que financiasse diretamente o Estado francês, por exemplo, atendendo a pagamentos de bem-estar franceses e dívidas do governo.
Deixar o euro é apenas um dos pilares da estratégia económica da FN, que tem como objectivo tornar a indústria francesa mais competitiva, tirando uma página do livro "Trump". No entanto, uma vez que a França não compartilha o privilégio exorbitante dos EUA da moeda de reserva global e do exército mais forte do mundo, a França - incapaz de intimidar seus parceiros comerciais, espera que uma queda no valor da nova moeda nacional impulsione as exportações.
O segundo impulso da política econômica do partido é usar o "protecionismo inteligente" para permitir que defendam as indústrias francesas - algo que eles estão atualmente impedidos de fazer pelas regras da UE, diz o FN.
Um alto funcionário disse que foi um retorno à política do chefe de Estado do pós-guerra, Charles de Gaulle, que manteve uma mão apertada na economia francesa. "Nós não somos extremos, somos gaullistas", disse a pessoa, que não queria ser identificada.
Essa estratégia dirigista iria vê-los impondo barreiras comerciais sobre qualquer "concorrência desleal" do exterior, de acordo com funcionários do partido. Haveria também um imposto de importação de 3% sobre os bens estrangeiros que seriam concedidos como incentivos fiscais aos mais pobres.
Por agora, não está claro se Le Pen vai ganhar ou não: há mais dois meses para ir, e mesmo com sua ascensão nas pesquisas contra adversários escandalosos, pode-se debater se ela tem apoio suficiente para vencer. Mas, não importa o resultado, Mikael Sala, chefe do Croissance Bleu Marine, um think-tank que apóia o FN, resumiu-o perfeitamente quando se esquivou das preocupações de que a redenominação da moeda seria considerada inadimplente pelas agências de rating. "Seremos eleitos pelos franceses - não é nosso trabalho agradar à [agência de rating] S & P", disse ele. "Eles não têm muita credibilidade após a crise financeira de qualquer maneira."

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Especialistas alertam que contactar com extra-terrestres poderá acabar com a vida na Terra !

Porém, enquanto milhões de pessoas ao redor do globo estão esperando ansiosamente por este momento, especialistas alertam que deveríamos ter cuidado com aquilo que desejamos.
De acordo com Lucianne Walkowicz, uma astrofísica do Planetário Adler em Chicago, durante uma entrevista com a NBC News, fazer contato poderia ser catastrófico para a raça humana:
Há a possibilidade de que se enviarmos mensagens ativamente, com o propósito de chamar a atenção de uma civilização inteligente, aquela civilização não poderia ter necessariamente nossos melhores interesses em mente. Por outro lado, poderia haver grandes benefícios. Poderia ser algo que acabaria com a vida na Terra, e poderia ser algo que aceleraria a habilidade de viver vidas com qualidade na Terra. Não temos como saber.
Stephen Hawking, o mundialmente renomado astrofísico também já alertou que deveríamos ter cuidado quando procurarmos por alienígenas, pois há uma grande chance, se os alienígenas souberem da Terra, de quererem conquistar nosso planeta.
Para colocar isto em perspectiva, Hawking comparou a descoberta de alienígenas ao encontro de nativos americanos com Colombo.

Durante uma entrevista, Hawking disse:

Se os alienígenas nos visitarem, o resultado poderia ser similar a quando Colombo pisou na América, que não foi muito bom para os nativos americanos.
Segundo Hawking, se uma civilização alienígena existe lá fora,e essa civilização seja capaz de captar um dos muitos sinais que estamos enviando ao espaço, eles provavelmente serão capazes de descobrir de onde os sinais estão vindo. Porém, esta civilização pode ser bilhões de anos mais avançada do que nós, o que significa que podemos ser um alvo fácil para invasão.
Contudo, a co-fundadora e ex-diretora do Instituto SETI, Jill Tarter, não concorda, dizendo que civilizações que consigam viajar através do Universo sem maiores esforços serão sofisticadas o suficiente para serem amigáveis e pacíficas:
A ideia de uma civilização que conseguiu sobreviver mais do que nós… e de fato que aquela tecnologia permaneceu agressiva, para mim, não faz sentido.

O físico Mark Buchanan argumentou no periódico Nature Physics no final do ano passado:

Qualquer civilização que detecte nossa presença provavelmente é muito avançada tecnologicamente, e pode não estar disposta a nos tratar de forma agradável. No mínimo, a ideia parece moralmente questionável.
Curiosamente, Douglas Vakoch, diretor do Messaging Extraterrestrial Intelligence (METI) International disse:

Se estivermos em perigo de uma invasão alienígena, agora é tarde.

De acordo com Vakoch, se não procurarmos uma civilização alienígena inteligente que possa estar habitando o Universo, poderemos estar perdendo novas tecnologias que poderiam ajudar a humanidade num futuro próximo, e até mesmo nos proteger de alienígenas potencialmente hostis.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/02/10/contato-alienigena-ameaca-a-terra/


A mentira que vivemos !

Selecionar ‘Legendas / CC’,e a seguir Português’ na lista de idiomas:

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/02/10/assista-a-mentira-que-vivemos/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Os abrigos para o fim do mundo construídos para os milionários !

O empresário americano Larry Hall sai do elevador e entra em um dos muitos apartamentos de seu recém-construído empreendimento imobiliário.
O espaço é mobiliado de maneira elegante. Hall diz que a qualidade do acabamento e a atenção aos detalhes têm de ser proporcionais à resposta entusiasmada de seus clientes.

“Tive clientes chorando de emoção quando visitaram”, conta ele.

Mas há algo incomum nesses apartamentos. Eles estão muitos metros debaixo da terra, em um silo nuclear obsoleto, no meio do Estado americano do Kansas. Trata-se do Survival Condos. São bunkers de luxo para que, nas palavras de Hall, ricos e super-ricos possam não apenas se proteger em caso de uma hecatombe, mas dar prosseguimento a uma rotina bonne vivant .

“Queremos cuidar da proteção física, mas também do bem-estar mental das pessoas”.
Super-ricos criaram nova demanda para serviços “pós-apocalípticos”
Foto: BBC / BBCBrasil.com
Quando alguém se refere a “preparados”, pessoas (americanas, sobretudo) que investem tempo e dinheiro tentando não serem pegas de surpresa por alguma catástrofe de proporções globais, a imagem clássica é a de indivíduos solitários, vivendo em condições austeras – pense em um indivíduo usando roupas camufladas e enchendo um porão com enlatados.
O medo do apocalipse, porém, parece estar chegado às classes mais altas. Pelo menos a julgar por uma série de empreendimentos nos EUA e na Europa voltados a oferecer para super-ricos uma “chance de escapar do fim do mundo”. A companhia americana Vivos, por exemplo, especializou-se em adaptar abrigos nucleares subterrâneos da época da Guerra Fria para as necessidades de consumidores em busca de sobrevivência com requinte.
Na Alemanha, a Vivos conta com o Europa One, aproveitando um bunkerescavado no interior de uma montanha, que durante a Guerra Fria serviu de depósito de armas e munições do exército soviético. Em vez da aparência austera de instalação militar, o lugar agora conta com 34 aposentos que, segundo a empresa, oferecem proteção contra uma variedade de catástrofes (de desastres nucleares a terremotos). E sem perder o estilo.
Cada aposento tem 2.500m2 de área e poderá ser customizado pelos ocupantes. Nas áres comuns, haverá desde um festival de mimos como bares, restaurantes e canis a serviços como hospital, transporte e segurança. O preço é guardado a sete chaves, até porque os futuros ocupantes serão selecionados através de convites.
A Survival Condo, também aproveitou um resquício dos tempos em que americanos e russos temiam um holocausto nuclear, e a demanda por “preparados” mais endinheirados.
Embora promova o luxo das instalações de seu prédio de 15 andares, o grande chamariz da Survival Condo para seu condomínio de luxo é a robusteza do prédio, incluindo a redoma da cobertura, resistente a ventos de mais 800km/h, de acordo com a brochura eletrônica no site da empresa.
Quando Hall anunciou o empreendimento, o preço dos apartamentos começava em cerca de R$ 4,5 milhões. Ele diz ter vendido 11 dos 12 apartamentos postos à venda – isso porque uma das unidades é para ele e sua família.

“Muitos clientes não querem que os outros saibam que eles têm um bunker, pois pode provocar a mesma reação do que alguém dizer que viu um disco voador”, explica o investidor.

Um dos compradores, porém, falou à New Yorker . O empreendedor imobiliário Tyler Allen pagou US$ 3 milhões por um dos apartamentos. Teme conflitos sociais nos EUA e mesmo um surto do vírus Ebola. “Podem me chamar de maluco, mas estou tomando providências para proteger minha família”.
Os ataques de 11 de setembro foram uma tragédia em que Hall enxergou uma oportunidade de negócios. Na época da tragédia, ele era um empreendedor digital e diversas empresas buscaram soluções para salvar seus dados em caso de ataque. Hall teve a ideia de criar um centro de processamento de dados que resistisse a ataques nucleares.
Clientes em potencial mostraram interesse pela ideia, que Hall logo ampliou para abrigos para seres humanos. A instalação no Kansas, desativada nos anos 60, era uma escolha óbvia diante do fato de já vir com proteção contra ataques nucleares, algo bastante cômodo diante dos custos assustadores de criação de um projeto do zero.
Hall, segundo estimativas da mídia americana, gastou dezenas de milhões de dólares para equipar o complexo com tudo o que há de mais moderno em termos de conforto e segurança. O prédio, por exemplo, tem capacidade para sobreviver cinco anos sem contato com o mundo exterior.
E um exército particular é a garantia contra potenciais invasões – comunidades de “preparados” acusaram Hall de discriminação e prometeram insurgir contra o condomínio – a Vivos, por sinal, não se esqueceu deste mercado e conta com uma linha de bunkeres “populares”, que podem ser instalados até em quintais (parecem mais contêineres que apartamentos de luxo, diga-se de passagem).
Em vez de “contêiner reforçado”, abrigos requintados contam com o luxo de uma piscina
Foto: BBC / BBCBrasil.com

Hall conta que clientes deixaram de ver os apartamentos apenas como uma espécie de “seguro de vida” e passaram a usar o complexo como residência de veraneio.
Para os mais claustrofóbicos, uma opção parece ser manter distância dos principais centros de poder. Segundo a New Yorker , super-ricos americanos estão investindo na aquisição de terras na Nova Zelândia e mais de 13 mil cidadãos do país declararam interesse de emigrar junto às autoridade neozelandesas desde a eleição de Donald Trump, como parte de um programa de vistos de residência para investimentos mínimos de US$ 1 milhão. O país é geograficamente isolado o suficiente para acalmar os nervos de quem teme tempos turbulentos.
E outra medida de que super-ricos também contemplam o fim do mundo é que, na mesma reportagem da revista americana, o milionário Steve Huffman, fundador da rede social Reddit , conta ter feito uma cirurgia ocular corretora para sua miopia, em 2015, não por uma questão de estética our praticidade. Huffman crê que uma visão melhor calibrada lhe dará mais chance de sobreviver ao terror.

“Se o mundo acabar ou tivermos problemas sérios, conseguir óculos ou lentes de contato será um senhor problema”.

Fonte: http://verdademundial.com.br/2017/02/os-abrigos-para-o-fim-do-mundo-construidos-para-os-milionarios/






quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Misteriosa e inexplicável nuvem está viajando em alta velocidade pela Via Lácta !!!

 Nem a sua natureza nem a sua origem podem ser totalmente explicadas 
!
Estas palavras foram escritas por uma equipe de astrônomos da Universidade Keio, no Japão, para descrever uma estranha nuvem de moléculas, super rápida, que atualmente está viajando pela Via Láctea, contra a direção do giro da nossa galáxia. A nuvem mede mais de dois anos-luz de comprimento e está cortando a galáxia em velocidades nunca observadas em nuvens de poeira espacial.
A nuvem, apelidada de “the Bullet” (a Bala [projétil]), está viajando em velocidades que aproximam 120 km por segundo. Ela também está esticando à medida que voa pelo espaço, expandindo à uma taxa de 50 km/s.
Um diagrama da velocidade de logitude da Bullet, mostrando a velocidade do gás como prolongamentos verticais.

A nuvem foi avistada usando telescópios do Rádio Observatório Nobeyama, no Chile. Atualmente, os astrônomos não podem explicar a incrível velocidade da nuvem, mas propuseram dois possíveis cenários, ambos os quais envolvem um buraco negro.
No primeiro cenário, uma explosão causada por uma enorme supernova poderia ter empurrado uma nuvem de gases e poeira interestelares através de um buraco negro relativamente pequeno. A força gravitacional do buraco negro poderia ter agido como um motor, acelerando as porções da nuvem, a qual conseguiu escapar de seu ‘horizonte de evento’ – o ponto gravitacional de um buraco negro que uma vez passado é impossível retornar.
Neste primeiro cenário, um buraco negro poderia agir como um enorme estilingue, acelerando a nuvem após ser ejetada da supernova.

Masaya Yamada, um estudante de graduação da Universidade Keio, declara porém que a velocidade da estranha nuvem não se encaixa com os modelos gerados dos dados agregados de restos da supernova mais próxima, chamada de w44:
Sua energia cinética é algumas dezenas de vezes maior do que aquela injetada pela supernova W44. Parece impossível gerar tal nuvem energética sob ambientes ordinários.
O próximo possível cenário envolve um pequeno, mas super denso buraco negro viajando pelo espaço. Se tal buraco negro furasse seu caminho através da nuvem de matéria no espaço, ele poderia ser capaz de gerar o tipo de velocidade direcional vista na Bullet.
via láctea
Um super denso buraco negro através do espaço, numa velocidade incrível? Bem, melhor adicionar isto à crescente lista de possíveis cenários apocalípticos.

Buracos negros têm sido observados anteriormente viajando pelo espaço, e os astrônomos detectaram uma coluna de poeira similar – embora mais lenta – saindo de um buraco negro no ano passado.
Seja qual cenário for confirmado, a Bullet provavelmente demonstrará que há muitos mais buracos negros espreitando na vasta escuridão do espaço do que pensamos.

Fonte: http://ovnihoje.com/2017/02/08/sta-viajando-em-alta-velocidade-pela-via-lacta/


Virus libertado para redução populacional !


Fonte: http://jsomokovitz.blogspot.pt/

Alerta do que poderá estar por vir - 20 asteroides passarão perto da Terra até ao fim desta semana!

Segundo relatório da Nasa, a maior parte chegará perto do planeta entre terça e quarta-feira, Cientistas dizem que fenômeno é comum e não oferece perigo
Asteroides como os dessa semana são pequenos e passam perto da Terra com frequência, não oferecendo riscos em função do tamanho e distância (iStock/20 asteroides passarão perto da Terra até o fim desta semana)
De acordo com relatório da Nasa, vinte asteroides devem passar perto da Terra até este domingo. A informação é do Near Earth Object Program, divisão da agência espacial americana que monitora constantemente Objetos Próximos à Terra (NEOs, na sigla em inglês). A maior parte dos eventos está concentrada nesta terça-feira e quarta-feira – ao todo, são esperados doze asteroides passando próximo de nosso planeta nos dois dias. Segundo os cientistas, apesar de a quantidade parecer alta, o fenômeno é comum e nenhum deles passará próximo de nosso planeta o bastante para ser considerado uma ameaça.

Objetos Próximos à Terra

NEOs são corpos celestes como cometas ou asteroides que foram empurrados pela gravidade de planetas próximos e têm uma órbita próxima à Terra. Segundo os critérios da Nasa, considera-se que um objeto é um NEO quando ele passa pelo nosso planeta a uma distância menor que 1,3 unidades astronômicas (cada unidade astronômica equivale a aproximadamente 150 milhões de quilômetros). Para fazer uma comparação, a Lua encontra-se a 384.400 quilômetros da Terra, e a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), a apenas 400 quilômetros – o que significa que mesmo que um objeto seja considerado um NEO, ele está bem longe de nosso planeta e, talvez, jamais entre em contato conosco algum dia.
Por essa razão, eles não são considerados um perigo. Segundo o astrônomo Daniel Mello, do Observatório do Valongo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), os asteroides que passarão por nós durante a semana são considerados pequenos e relativamente comuns.
“Para os maiores, com tamanhos superiores a três quilômetros, a frequência é extremamente baixa”, afirma. Segundo Mello, considerando a escala de Torino, que vai de zero a dez e geralmente é utilizada pelos astrônomos para medir o grau de periculosidade de um NEO de acordo com seu tamanho e distância, todos os asteroides previstos para os próximos dias apresentam grau zero.

Asteroides da semana

Só nesta terça-feira, nove desses NEOs, classificados como asteroides, passarão perto da Terra – o maior deles, identificado como 2016 YT8, tem um diâmetro que varia entre 220 e 490 metros e deve passar a uma distância de 2,6 milhões de quilômetros.
O que chegará mais perto, no entanto, é o 2017 BM93, que deve se aproximar nesta quarta-feira. Com um diâmetro entre 13 e 28 metros, o corpo celeste ficará a uma distância de 1,3 milhão de quilômetros da superfície do planeta. Apesar da proximidade, asteroides com órbitas semelhantes, identificados pela sigla “Apollo”, são muito comuns – estima-se que cerca de 62% de todos os asteroides conhecidos pertençam a esse tipo e, geralmente, não representam nenhuma ameaça.
Além dos asteroides, um cometa também está previsto para cruzar os céus no sábado. Identificado como 45P/Honda-Mrkos-Pajdusakova, o corpo celeste é o único que apresenta um tamanho que poderia ser considerado um risco potencial, com seus cerca de 1,6 quilômetro de diâmetro. “Mas ele passará bem distante, a 32 vezes a distância Terra-Lua, então podemos ficar tranquilos”, afirma Mello.
A frieza dos cientistas em relação ao tema se dá porque um time internacional de astrônomos costuma vasculhar o céu em busca desses objetos que passam perto de nosso planeta para calcular e prever suas órbitas — e a possibilidade de impacto com a Terra. Programas como o Near Earth Object Program, da Nasa, e o semelhante da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) divulgam relatórios atualizados sobre o assunto, com informações e revisões constantes de especialistas.
No Brasil, um dos lugares que faz o monitoramento desses objetos é o Sonear (sigla para Southern Observatory for Near Earth Asteroids Research), um observatório particular perto de Oliveira, cidade a 120 quilômetros de Belo Horizonte. Composto por um trio de astrônomos amadores mineiros, o observatório já encontrou quatro cometas e 25 NEOs desde que começou a funcionar, em dezembro de 2013.

Policiais gravam meteoro cruzando o céu no centro-oeste dos EUA
Câmera em viatura policial captura um meteoro, nos EUA (Twitter/Reprodução)

Não ficou claro se o objeto celeste se desmanchou na atmosfera ou se chegou a atingir o Lago Michigan.
Um meteoro foi avistado na madrugada desta segunda-feira em diversas cidades do centro-oeste dos Estados Unidos. Policiais dos Estados de Wisconsin e Illinois registraram imagens do objeto brilhante por volta da 1:30, no horário local (5:30 em Brasília).
Segundo a Sociedade Americana de Meteoros, pelo menos 185 pessoas disseram ter visto o corpo celeste durante a noite. O clarão foi acompanhado de um estrondo que fez tremer algumas casas em Wisconsin, informou o jornal USA Today.Veja o Vídeo Abaixo:

Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Hemisfério Norte potencialmente em grande perigo porque radiação em Fukushima vem atingindo níveis'Inimagináveis !!!

NOAA energy map shows the intensity of the tsunami caused by Japan's magnitude 8.9 earthquake
A radiação dentro de um dos reatores danificados na usina nuclear de Fukushima atingiu um nível "inimaginável" de acordo com especialistas.
Porque muitos materiais nucleares de Fukushima escaparam para o Oceano Pacífico, há muitos cientistas que acreditam que foi o pior desastre ambiental na história humana, mas a maioria das pessoas na população geral parece pensar que, uma vez que a mídia principal realmente não fala Sobre isso mais que tudo deve estar sob controle. Infelizmente, isso não é verdade. De fato, a PBS relatou no ano passado que "é incorreto dizer que Fukushima está sob controle quando os níveis de radioatividade no oceano indicam vazamentos contínuos". E agora acabamos de aprender que o nível de radiação dentro do reator 2 é tão alto que nenhum humano poderia sobreviver a ser exposto a ele.
De acordo com o Japan Times, o nível de radiação dentro do recipiente de contenção do reator 2 é agora estimado em 530 sieverts por hora ...
O nível de radiação no recipiente de contenção do reator 2 na planta de energia incapacitada Fukushima No. 1 atingiu um máximo de 530 sieverts por hora, o mais alto desde a fusão de três núcleos em março de 2011, Tokyo Electric Power Co. Holdings Inc. disse.
Tepco disse na quinta-feira que a leitura de radiação ardente foi tomada perto da entrada para o espaço logo abaixo do recipiente de pressão, que contém o núcleo do reator.
A alta figura indica que parte do combustível derretido que escapou do vaso de pressão está próximo.
É difícil encontrar as palavras para transmitir como isso é sério.
Se você foi exposto a um nível de radiação de apenas 10 sieverts por hora, isso significaria morte quase certa. Assim, 530 sieverts por hora é simplesmente fora das paradas. De acordo com o Guardian, esta medida recente está sendo descrita por cientistas como "inimaginável" ...
A leitura recente, descrita por alguns especialistas como "inimaginável", é muito maior do que o recorde anterior de 73 sieverts por hora naquela parte do reator.
Uma única dose de um sievert é suficiente para provocar doença de radiação e náuseas; 5 sieverts matariam a metade daquelas expostas a ele dentro de um mês, e uma única dose de 10 sieverts provaria fatal dentro das semanas.
E a notícia realmente ruim é que parece haver um buraco de 2 metros que foi criado por combustível nuclear derretido "na grade de metal sob o recipiente de pressão no recipiente de contenção primário do reator". O seguinte vem da Bloomberg ...
Novas fotografias mostram o que pode ser combustível nuclear derretido sentado sob um dos reatores de Fukushima destruídos pelo Japão, um marco potencial na busca e recuperação do combustível quase seis anos depois de ter sido perdido em um dos piores desastres atômicos da história.
Tóquio Electric Power Co. Holdings Inc., maior utilidade do Japão, lançou imagens na segunda-feira mostrando uma grelha sob o reator Fukushima Dai-Ichi No. 2 coberto em resíduo preto. A empresa, mais conhecida como Tepco, pode enviar um robô tipo escorpião em fevereiro para determinar a temperatura ea radioatividade do resíduo.
Se isso não é suficientemente assustador, uma fonte de notícias japonesa está relatando que este combustível nuclear derretido "entrou em contato com a água subterrânea que flui do lado da montanha" ...
O combustível derretido entrou em contato com a água subterrânea que flui do lado da montanha, gerando água contaminada radioactivamente todos os dias. Para desmontar o reactor, é necessário retirar o combustível derretido, mas níveis de radiação elevados no interior do reactor impediram o trabalho de localizar os detritos derretidos.
Se esse desastre se limitasse ao Japão, todo o hemisfério norte não estaria em risco.
Mas esse não é o caso.
A maior parte da contaminação nuclear de Fukushima terminou no Oceano Pacífico, e de lá foi literalmente levado ao redor do resto do planeta. O seguinte foi relatado por PBS ...
Mais de 80 por cento da radioatividade dos reatores danificados terminou no Pacífico - muito mais do que atingiu o oceano de Chernobyl ou Three Mile Island. Desse modo, uma pequena fração está atualmente no fundo do mar - o restante foi varrido pela corrente de Kuroshio, uma versão ocidental do Pacífico da Corrente do Golfo, e levado ao mar onde se misturou com (e foi diluído por) o vasto volume de O Pacífico Norte.
Não sabemos se existe uma ligação, mas é extremamente interessante notar que as pescarias na costa oeste dos Estados Unidos estão a falhar devido a uma dramática diminuição das populações de peixes. Basta verificar o seguinte trecho de uma história que foi postada em 18 de janeiro ...
Secretário de Comércio dos EUA Penny Pritzker hoje determinou que há falhas de pesca comercial para nove pescarias de salmão e caranguejo no Alasca, Califórnia e Washington.
Nos últimos anos, cada uma dessas pescarias experimentou grandes e súbitas e inesperadas reduções na biomassa do estoque de peixes ou perda de acesso devido a condições climáticas e oceânicas incomuns. Esta decisão permite que as comunidades pesqueiras busquem ajuda de emergência do Congresso.
As coisas são particularmente ruins no Alasca, e os biólogos são "stumped" por que isso poderia estar acontecendo ...
Em 2016, as colheitas de salmão-de-rosa em Kodiak, Príncipe William Sounds, Chignik e Cook Inlet inferiores vieram lamentavelmente sob previsão e perplexo biólogos sobre o porquê.
O valor estimado do lançamento da Kodiak em 2016 foi de US $ 2,21 milhões, comparado a uma média de US $ 14,64 milhões em cinco anos, e em Prince William Sound o valor do ex-navio foi de US $ 6,6 milhões, muito menos que a média de US $ 44 milhões em cinco anos. A colheita total do estado foi a menor desde o final dos anos 70.
Embora os biólogos do estado não estivessem prontos para declarar uma causa para o desempenho pobre do salmão cor-de-rosa, a liberação de imprensa do departamento do comércio atribuiu os disastres a "condições incomuns do oceano e do clima."
Mais ao sul, estava sendo relatado no mês passado que milhões de sardinhas mortas estavam lavando nas costas do Chile.
Eu poderia ir sobre e sobre com muito mais exemplos como este, mas esperançosamente você começa o ponto.
Algo realmente estranho está acontecendo no Pacífico, e muitas pessoas acreditam que há um link para Fukushima.
Não muito tempo atrás, eu escrevi sobre como a elite do Vale do Silício está "febrilmente preparando", mas a verdade é que todos nós deveríamos ser. Se você precisar de algumas dicas sobre como começar, você pode encontrar o meu livro prepping aqui. Nosso planeta está se tornando cada vez mais instável, eo desastre nuclear de Fukushima é apenas uma peça do quebra-cabeça.
Mas é definitivamente uma peça muito importante. O material nuclear de Fukushima está entrando continuamente na cadeia alimentar, e uma vez que o material nuclear entre em nossos corpos, irradiará lentamente nossos órgãos nos próximos anos. O seguinte é um trecho de uma parte de opinião absolutamente proeminente por Helen Caldicott que foi publicada no Guardian ...
A radiação interna, por outro lado, emana de elementos radioativos que entram no corpo por inalação, ingestão ou absorção da pele. Os radionuclídeos perigosos, como o iodo-131, o césio 137 e outros isótopos atualmente liberados no mar e no ar em torno do concentrado de Fukushima em cada etapa de várias cadeias alimentares (por exemplo, em algas, crustáceos, peixes pequenos, , Ou solo, grama, carne de vaca e leite, então seres humanos). Depois que eles entram no corpo, esses elementos - chamados de emissores internos - migram para órgãos específicos como a tireóide, fígado, osso e cérebro, onde irradiam continuamente pequenos volumes de células com altas doses de radiação alfa, beta e / ou gama, E ao longo de muitos anos, pode induzir a replicação celular descontrolada - ou seja, câncer. Além disso, muitos dos nuclídeos permanecem radioactivos no ambiente durante gerações e, em última instância, irá causar incidência aumentada de cancro e doenças genéticas ao longo do tempo.
Você está começando a entender a gravidade da situação?
Infelizmente, esta crise vai estar conosco por muito, muito tempo.
De acordo com a Bloomberg, eles não vão mesmo começar a remover combustível nuclear derretido desses reatores até 2021, e está sendo projetado que a limpeza geral "pode ​​levar até 40 anos" ...
O desmantelamento dos reatores custará 8 trilhões de ienes (US $ 70,4 bilhões), segundo estimativa do Ministério da Economia, Comércio e Indústria. Remover o combustível é um dos passos mais importantes em uma limpeza que pode levar até 40 anos.
A natureza sem precedentes do desastre de Fukushima significa que a Tepco está concentrando seus esforços na tecnologia ainda não inventada para obter o combustível derretido dos reatores.
A empresa pretende decidir sobre um procedimento de remoção de combustível para o primeiro reator durante o ano fiscal que termina em março de 2019, e começar a remover combustível em 2021.
Muitas pessoas que acabam morrendo como resultado desta crise podem nem mesmo saber que foi Fukushima que causou suas mortes.
Pessoalmente, estou convencido de que esta é a maior crise ambiental que a humanidade já experimentou, e se a última leitura do reator 2 é qualquer indicação, as coisas só tomaram uma virada muito séria para pior.

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/

The Economist adverte que o mundo deve preparar-se para grandes problemas "sob a vigência de Trump !

Se as cenas de anarquia em Berkeley na semana passada não foram suficientes para atingir o medo nos corações de americanos que defendem a liberdade de expressão, o The Economist acabou de transformar o amplificador de medo em "11" em seu último op-ed descrevendo a "insurgência na Casa Branca ".
Washington está sob controle de uma revolução, The Economist começa ...
A sombria cadência da posse do mês passado ainda estava no ar quando Donald Trump lançou o primeiro cocktail molotov de políticas e ordens executivas contra os pórticos brancos brilhantes da capital. Ele não parou ...
... Na política, o caos normalmente leva ao fracasso. Com o Sr. Trump, o caos parece ser parte desse plano. Promessas que pareciam hipérbole na campanha agora representam uma revolta mortal e séria, que tem como objetivo sacudir Washington e o mundo.
Para entender a insurreição de Trump, comece com os usos da indignação. Em uma América dividida, onde o outro lado não é apenas equivocado, mas maligno, o conflito é um ativo político. Quanto mais o Sr. Trump usava os seus discursos para ofender a opinião polida, mais seus partidários estavam convencidos de que ele realmente expulsaria a elite traiçoeira e gananciosa de seus salões de Washington.
Seus grunhidos-chuckers-in-chief, Stephen Bannon e Stephen Miller, agora transportam essa lógica para o governo (ver Briefing). Cada vez que os manifestantes e os meios de comunicação social trilham contra o Sr. Trump, é prova de que ele deve estar fazendo algo certo. Se as manifestações da Ala Oeste são caóticas, isso só vai mostrar que o Sr. Trump é um homem de ação como ele prometeu. O segredo ea confusão da proibição de imigração são um sinal não de fracasso, mas de como seu povo evita os especialistas egoístas que habitualmente subvertem a vontade popular.
A política de conflito é aproveitada para uma visão de mundo que rejeita décadas de política externa americana. Tacticamente, o Sr. Trump tem pouco tempo para os organismos multilaterais que governam tudo, desde a segurança ao comércio e ao ambiente. Ele acredita que os países menores colhem a maioria das recompensas enquanto a América paga a conta. Ele pode explorar seu poder de barganha para obter um melhor acordo, escolhendo os países um por um.
Bannon e outros rejeitam estrategicamente a diplomacia americana. Eles acreditam que o multilateralismo encarna um obsoleto internacionalismo liberal. A luta ideológica de hoje não é sobre os direitos humanos universais, mas a defesa da cultura "judaico-cristã" da investida de outras civilizações, em particular, o islamismo. Visto através deste prisma, a ONU ea UE são obstáculos e Vladimir Putin, por enquanto, um potencial aliado.
Ninguém pode dizer com que firmeza o Sr. Trump acredita tudo isso. Talvez, em meio às armadilhas do poder, ele se cansará de guerrilha. Talvez uma correção do mercado de ações tão desestabilizar o CEO da nação que ele vai lançar Bannon fora. Talvez uma crise o obrigue a entrar nos braços de seu chefe de gabinete e de seus secretários de defesa e estado, nenhum dos quais é do tipo insurgente. Mas não conte com isso acontecendo em breve. E não subestime o dano que poderia ser feito em primeiro lugar.

Falando Trumpish

Os americanos que rejeitam o Sr. Trump, naturalmente, temem mais pelo que ele poderia fazer para seu próprio país. Eles têm razão em se preocupar (ver artigo), mas ganham alguma proteção de suas instituições e da lei. No mundo em geral, no entanto, os controlos sobre Trump são poucos. As conseqüências podem ser graves.
Sem o apoio e a participação americanos ativos, o mecanismo da cooperação global poderia fracassar. A Organização Mundial do Comércio não seria digna desse nome. A ONU cairá em desuso. Inúmeros tratados e convenções seriam minados. Embora cada um esteja sozinho, juntos eles formam um sistema que liga a América aos seus aliados e projeta seu poder em todo o mundo. Porque os hábitos de cooperação que foram décadas na tomada não podem fàcilmente ser colocados para trás junto outra vez, o dano seria duradouro. Na espiral de desconfiança e recriminação, os países que estão insatisfeitos com o mundo serão tentados a mudá-lo - se necessário pela força.
O que fazer? A primeira tarefa é limitar os danos. É inútil cortar o Sr. Trump. Republicanos moderados e aliados da América precisam dizer a ele por que o Sr. Bannon e seus co-ideólogos estão errados. Mesmo no sentido mais estrito do interesse próprio norte-americano, seu apetite pelo bilateralismo é equivocado, principalmente porque o dano econômico resultante da complexidade e das contradições de uma rede de relações bilaterais superaria qualquer lucro que pudesse ser conquistado com negociações mais duras. Trump também precisa ser persuadido de que as alianças são a maior fonte de poder dos Estados Unidos. Sua rede única desempenha um papel tão grande quanto a sua economia e seu poder militar ao torná-la a superpotência global. As alianças ajudam a elevá-la acima de seus rivais regionais - China no Leste Asiático, Rússia na Europa Oriental, Irã no Oriente Médio. Se o Sr. Trump realmente quer colocar a América em primeiro lugar, sua prioridade deve ser fortalecer os laços, não tratar os aliados com desprezo.
E se este conselho é ignorado? Os aliados da América devem se esforçar para preservar as instituições multilaterais para o dia seguinte a Trump, reforçando suas finanças e limitando o conflito dentro delas. E eles devem planejar um mundo sem liderança americana. Se alguém é tentado a olhar para a China para assumir o manto, não está pronto, mesmo que isso fosse desejável. A Europa não terá mais o luxo de subfinanciar a OTAN e subcotar o serviço exterior da UE - o mais próximo que tem de um Departamento de Estado. O Brasil, o poder regional, deve estar preparado para ajudar a liderar a América Latina. No Oriente Médio, os países árabes irão juntos ter que encontrar uma fórmula para viver em paz com o Irã.
Uma teia de bilateralismo e um regionalismo jerry-rigged são palpably mais maus para América do que o mundo que o Sr. Trump herdou. Não é tarde demais para ele concluir o quanto pior, para abandonar seus lançadores de bombas e mudar de curso. O mundo deve esperar por esse resultado. Mas deve preparar-se para o problema.
Ainda com medo? Você deve ser ... exceto que o Presidente Trump está aparentemente promulgando exatamente o que o povo americano quer e votou - o qual é um espinho incrivelmente democrático preso na pata do leão de estabelecimento, que está salivando obstinadamente esperando que sua baba possa eviscerar o doloroso insurgente. Três palavras são o que eles realmente devem compreender - quatro anos mais.

Fonte: https://undhorizontenews2.blogspot.pt/


LinkWithin

´ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...