segunda-feira, 30 de julho de 2012

Sismo de 5,6 registado na Galiza

Um terremoto de magnitude 5,6 na escala Richter, registado na passada madrugada, com epicentro no oceano Atlântico, fez-se sentir em várias localidades da Galiza, especialmente na franja atlântica, informou o Instituto Geográfico Nacional espanhol.

O sismo registou-se às 03.35 horas desta segunda-feira e foi localizado nas coordenadas latitude 43,85 graus norte e longitude 15,00 graus oeste, e a 30 quilómetros de profundidade.

Segundo os dados avançados pelo Instituto Geográfico Nacional espanhol, o terremoto fez-se sentir nas localidades de Lalín, Pontevedra, Ferrol e Palas de Rei. Também as localidades de Lugo, Dodro, Arteixo, Culleredo, Cee, Santiago e A Pobra do Caramiñal sentiram o abalo.
 
Fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2694501

Estrelas-vampiras são mais comuns do que se pensava

Boa parte das estrelas grandes do nosso universo possui uma companheira ao lado, que suga sua massa aos poucos.


Cerca de três quartos das estrelas da classe O — ou seja, aquelas que, além de serem muito quentes e luminosas, também apresentam uma coloração azulada — possuem uma estrela-vampira ao lado, que sugam aos poucos a massa de sua “hospedeira”. Os dados foram revelados por astrônomos que analisaram essas estrelas usando o Very Large Telescope (VLT), do Observatório Europeu Sul (ESO).

Os pesquisadores também acreditam que pelo menos um terço dessas duplas acabarão sendo fundidas em uma só. “Essas estrelas são gigantescas. Elas possuem 15 vezes ou mais massa do que o nosso Sol e podem ser milhões de vezes mais brilhantes. Como se não bastasse, elas são tão quentes que brilham de maneira branco-azulada e têm em sua superfície a temperatura estimada de 30 mil ºC”, disse Hugues Sana, da Universidade de Amsterdã.

Os astrônomos estudaram uma amostra de 71 estrelas dessas em seis aglomerados próximos à Via Láctea. Ao analisar o brilho que elas emanam, os cientistas perceberam que 75% delas fazem parte de um sistema binário, ou seja, possuem uma estrela vizinha com a qual interagem. Essa é uma frequência muito maior do que se pensava.

Estrela-vampira vive mais do que as demais

Esse tipo de estrela é muito raro e causa um impacto enorme no que está ao seu redor, originando ventos e choques que podem tanto despertar quanto interromper o nascimento de outras estrelas. Além disso, suas supernovas são capazes de enriquecer o universo com elementos cruciais para a formação de vida.

Ainda, o novo estudo acerca desse sistema de estrelas-vampiras demonstram que elas se comportam de maneira diferente de suas contrapartes solitárias. A estrela menor, ao sugar hidrogênio novo do astro com maior massa, acaba sendo rejuvenescida e pode existir por um tempo muito maior do que uma estrela da mesma classificação e que não faça dupla com alguma outra.

Já a estrela que está tendo sua massa sugada acaba se extinguindo muito antes de se tornar uma gigante vermelha. Em vez disso, o seu núcleo acaba sendo exposto e ela aparenta ser muito mais jovem do que realmente é.

Fonte: http://tecmundo.com.br/astronomia/27431-estrelas-vampiras-sao-mais-comuns-do-que-se-pensava.htm




Especialistas alertam para ameaças de mudanças climáticas extremas


Uma rodovia em Cary, na Carolina do Norte, cedeu com o calor e teve que passar por reparos de emergência
Foto: Reprodução

De autoestradas no Texas a centrais nucleares em Illinois, o concreto, o aço e a engenharia sofisticada que sustentam a infraestrutura dos Estados Unidos estão em risco por causa da seca, do calor e das tempestades que atingem o País. Em um único dia de julho, um avião da US Airways ficou preso no asfalto - que amoleceu com as temperaturas próximas a 40ºC - e um trem do metrô descarrilou, após os trilhos terem se dobrado com o calor, criando um ângulo agudo em um trecho que deveria ser reto. As informações são do site do jornal New York Times.

No leste do Texas, o calor e a seca tiveram um efeito surpreendente nos solos das rodovias. Segundo o engenheiro Tom Scullion, da Texas A&M University, nos Estados do nordeste e do centro-oeste o calor anormal está fazendo com que grandes trechos rodoviários se expandam além do previsto em seus projetos. "Com as mudanças nos padrões climáticos, nós podemos ter falhas dramáticas nos sistemas de estradas", afirmou.

Em Chicago, Illinois, uma usina nuclear precisou de permissão especial para continuar operando em julho, pois o lago de onde sai a água utilizada para refrigeração chegou a uma média de 38,8ºC, e a licença para operar permite que se chegue a aproximadamente 37ºC. Segundo o Sistema Operador Independente do Centro-Oeste, outra usina teve que fechar porque o local de onde extraía a água de resfriamento secou.

O clima extremo tem sido uma ameaça frequente nos últimos anos, e as pessoas que lidam com infraestrutura acreditam que isso vai continuar. Modelos climáticos sugerem que as partes das estruturas suscetíveis ao clima vão enfrentar situações semelhantes às citadas anteriormente, causadas pelas mudanças nos padrões climáticos, com temperaturas extremamente elevadas - e mínimas também.

"Nós temos a 'tempestade do século' todos os anos", afirma Bill Gausman, vice-presidente sênior da Companhia de Energia Elétrica Potomac, que levou oito dias para se recuperar da tempestade de 29 de junho, que deixou sem energia 4,3 bilhões de pessoas em 10 Estados.

Afora as tempestades, as ondas de calor também estão mudando o padrão de uso da eletricidade, aumentando o horário de pico da demanda. Isso implica em investimento em usinas geradoras, linhas de transmissão de distribuição que serão usadas na capacidade máxima por apenas algumas centenas de horas por ano.

Diretor do programa climático da Comissão de Serviços Públicos de São Francisco, David Behar afirma que tempestades violentas e incêndios florestais também podem afetar a qualidade e o uso da água. O escoamento de grandes chuvas e de cinzas, por exemplo, podem fechar reservatórios.

Esforços para se adaptar têm sido feitos em todo o País. Alguns chegam a ser multibilionários, como o que busca aumentar a altura dos diques em Nova Orleans, em razão das projeções de aumento do nível do mar e da previsão de fortes tempestades.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6023009-EI19408,00-Especialistas+alertam+para+ameacas+de+mudancas+climaticas+extremas.html

Metade das florestas tropicais estão perdendo biodiversidade

A biodiversidade está declinando em metade das florestas tropicais do mundo. O alerta foi feito em um estudo publicado na edição desta semana da revista Nature. Um grupo de pesquisadores, sob a coordenação do pesquisador William Laurance, uma das maiores autoridades científicas em florestas tropicais, analisou um conjunto de dados sobre as mudanças ocorridas ao longo das últimas décadas em 60 reservas tropicais.

O estudo constatou uma grande variação no estado dessas reservas, sendo que metade delas vivenciam perdas substanciais na variedade de animais e plantas. Os principais fatores do declínio, segundo os pesquisadores, são a perturbação do habitat natural, caça e exploração das florestas, que ocorrem mesmo com a proteção oficial.

As reservas tropicais - refúgios de espécies ameaçadas e processos naturais dos ecossistemas - estão ecologicamente ligadas aos habitats ao redor. Deste modo, o destino dessas florestas é determinado tanto por mudanças ambientais internas quanto externas. Assim, de acordo com os cientistas, os esforços para manter a biodiversidade não devem se limitar às reservas, mas também devem tentar reduzir os problemas fora dessas áreas.

Em setembro passado, uma outra pesquisa publicada na revista revelou que as florestas tropicais com pouca ou nenhuma intervenção humana estão diminuindo devido à conversão e a degradação de atividades antrópicas. O estudo afirmou que as florestas tropicais primárias, em muitas regiões, têm sido substituídas por plantações, pastos ou florestas secundárias.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6022401-EI19408,00-Metade+das+florestas+tropicais+estao+perdendo+biodiversidade.html

Derretimento de geleiras: precisamos nos preocupar ?


Um iceberg gigante, de 120 quilômetros quadrados, acaba de se desprender da geleira Petermann, que fica no mar ao longo da costa noroeste da Groelândia, e termina numa gigantesca língua de gelo flutuante. Em 2010, a mesma geleira desprendeu um iceberg com o dobro desse tamanho (250 km²).

Como outras geleiras que terminam no oceano, a Petermann produz icebergs regularmente. Até por conta disso, milhares de “desprendimentos” que liberam icebergs para o mar acontecem todos os anos na Groelândia, dos mais banais a outros muito impressionantes.

Então como podemos saber se os eventos recentes que tanto nos chocam são causa do aquecimento global – e portanto de preocupação – ou são normais?

Segundo os cientistas, é importante ter em mente que esses processos são naturais e periódicos, ou seja, vêm acontecendo desde muito antes de nós, humanos, os observarmos com nossas fotos de satélite.

Porém, não é preciso ser um gênio para notar que, com o aquecimento global, a Terra fica mais quente, e mais gelo derrete. Então, a questão principal é se a frequência desses eventos está mudando ou não, e por quê.
Fatos, suposições e tendências preocupantes

O que é fato é que esses processos naturais acontecem periodicamente mesmo. Também é fato que a estabilidade das camadas de gelo em ambos os polos terrestres depende de vários fatores, como temperatura atmosférica, temperatura da superfície do mar, grau de cobertura do gelo no mar, entre outros.

Outro fato – que gera uma tendência preocupante – é que as margens da geleira Petermann recuaram para um ponto nunca visto nos últimos 150 anos. Ou seja, estão mais “derretidas” do que nunca.

Com isso, vêm as suposições: alguns cientistas acreditam a plataforma de gelo da Groelândia está derretendo, ou diluindo extensivamente por causa das temperaturas quentes; só que nenhum evento deste tipo pode ser atribuído sem dúvidas a alterações no clima.

Podemos dizer com certeza que, nas duas últimas décadas, a Groelândia experimentou um aquecimento significativamente maior do que a média atmosférica global. No mesmo período, o sul da região perdeu cada vez mais “massa” (tanto o tipo de desprendimento como o visto em Petermann quanto simples fusões do gelo de superfície) ano a ano, e os níveis de cobertura de gelo do mar Ártico estão prestes a se tornar um dos mais baixos já registrados.

Só que, a partir daí, acabam-se as conclusões. Não se pode dizer definitivamente as causas de tais fenômenos, e se eles são normais, ou preocupantes. A verdade é que o acúmulo e rompimento das geleiras podem mudar ao longo de períodos que variam de meses a milênios, e os cientistas simplesmente não têm dados suficientes para estabelecer um padrão, porque não observam atentamente esse processo há muito tempo.

A resposta? Como tantas vezes acontece na ciência, o que é necessário são mais observações.

“Se começarmos a ver padrões de desprendimentos em um certo intervalo, em um bom número de geleiras, em um mesmo setor no norte da Groenlândia, então isso seria muito preocupante, e um forte indicador de que há uma mudança ocorrendo, relacionada ou não com o aquecimento da atmosfera ou do oceano”, sugere Jonathan Bamber, diretor do Centro de Glaciologia da Universidade de Bristol (Reino Unido).

Ainda assim, ver o gelo derretendo mais e mais a cada ano é um evento dramático e perturbador de se assistir (imagem abaixo). Para qualquer pessoa consciente da nossa dependência da natureza, a impressão de que estamos fazendo algo errado fica.[BBC 1 e 2, Cientec, Band]



Fonte: http://hypescience.com/derretimento-de-geleiras-precisamos-nos-preocupar/

OVNI das Olimpíadas de Londres: real, forjado, ou erro de identidade?

Logo após a abertura dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, um vídeo apareceu no YouTube, alegando mostrar um OVNI que teria aparecido justamente na cerimônia de abertura, por detrás dos fogos de artifícios, como pode ser visto nos vídeos mais abaixo.

O OVNI Hoje poderia ter publicado tal vídeo assim aqui que foi publicado na Internet, mas sinceramente achamos que era muito bom para ser verdade, especialmente pelo fato do ex-funcionário do Ministério da Defesa do Reino Unido, Nick Pope, ter previamente declarado que as Olimpíadas seriam um evento ideal para a manifestação dos ETs, como pode ser visto no seguinte link: http://ovnihoje.com/2012/06/fique-de-olho-nos-ceus-durante-os-jogos-olimpicos-de-londres-alerta-ex-funcionario-do-ministerio-da-defesa-britanico/.

A declaração de Pope em junho passado teria dado tempo suficiente para algum espertinho bolar algo para o dia da abertura. Mas não foi só por isto que o vídeo não foi publicado imediatamente aqui. Se os alienígenas realmente quisessem aproveitar deste evento para aparecerem ao mundo, será que eles não enviariam mais naves, ao invés de só uma?

Vale notar também que naquela noite em Londres, haviam inúmeras aeronaves sobrevoando o local, e certamente se um disco voador passasse por lá, teríamos mais relatos sobre o ocorrido dos pilotos que sobrevoavam o local.

Foram inúmeros os e-mails que recebemos para publicar este vídeo e até agora não o fizemos, pois estávamos esperando que mais testemunhas se manifestassem a seu respeito. E até agora, pelo que nos consta, nada mais veio à tona.

Mesmo assim, agora postamos dois vídeos para sua avaliação, seguidos de uma enquete, a qual ficaríamos gratos com sua participação:

Fonte do vídeo: MrScipher


Fonte do vídeo: StephenHannardADGUK


Fonte:  http://ovnihoje.com/2012/07/ovni-das-olimpiadas-de-londres-real-forjado-ou-erro-de-identidade/



sexta-feira, 27 de julho de 2012

Em quantos anos o Universo acabará ?


Felizmente, nós já conseguimos sobreviver a vários hipotéticos fins do mundo, inclusive a teoria do fim do mundo prevista pelo calendário maia (bom, melhor não falar isso tão cedo, afinal 2012 ainda não acabou. Pra ajudar, Nostradamus, famoso profeta francês popular por suas previsões certeiras, também disse que não passaríamos de 2012).

Mas não adianta ter a falsa ideia de imortalidade, porque, como um dos grandes físicos e cosmólogos de todos os tempos já disse, o universo teve um começo (Big Bang), então também terá um fim. Só pra constar, esse cara é Stephen Hawking. E não só ele, mas muitos outros cientistas, apesar de não poderem dizer exatamente como o Universo vai terminar, acreditam que um Universo infinito é impossível, porque as leis da física não o permitem.

Como será seu fim, então? Tirando da jogada teorias religiosas, filosóficas e outras (poderíamos, por exemplo, destruir toda a Terra com uma guerra nuclear), o que a ciência tem a dizer?

De uns anos para cá, descobrimos que o Universo está se expandindo (e essa expansão está acelerada). Porém, não só esse, mas vários outros fenômenos do Universo fogem da nossa compreensão, porque cada vez mais nós percebemos que não conhecemos nem o que conhecemos. Por exemplo, as misteriosas energia escura e matéria escura parecem formar a maioria do Universo, entre 90 e 95% dele, enquanto a matéria, que é o que conhecemos, é só o “resto”.

Pode ser que, daqui a trilhões de anos, o universo esteja tão expandido que a matéria e a energia vão estar tão rarefeitas que vão deixar de existir.

Mas não parece que sequer vamos chegar a tanto. Outra teoria, proposta por um grupo do Instituto de Física Teórica da
Academia Chinesa de Ciências, diz que a energia escura pode acabar com o Universo da mesma forma que o Big Bang e a inflação o iniciou. Usando cálculos que nem me atrevo a mencionar aqui, os cientistas chegaram, com um nível de confiança de 95,4%, a conclusão de que o Big Fim acontecerá em 16,7 bilhões de anos. Espera! “16,7 bilhões, ou milhões?”, pensa você. Bilhões, confirmo eu. “Ufa!”, o leitor respira aliviado.

Bom, na verdade esse tempo tem tudo pra ser menor ainda. Isso porque temos um problema chamado Sol. Ele também é finito. E nenhum cientista sugere que ele vai durar tanto quanto 16,7 bilhões de anos. Algumas estimativas apontam que a vida do Sol vai acabar em seis bilhões de anos. Mas, apesar de já termos observado outras mortes estrelares (“supernovas”), não podemos ter certeza absoluta de quanto tempo nossa estrela tem.

Pior notícia do que essa, só a de que um outro modelo do Universo mostra que há uma chance de 50% de que o tempo acabe nos próximos 3,7 bilhões de anos – sim, o tempo mesmo, as horas, minutos e segundos.
Para finalizar o mais pessimista possível, é bem provável que nós tenhamos ainda menos tempo que isso, pelo jeito que cuidamos da nossa casa, a mãe Terra. Se as pessoas não se importam nem o suficiente para não jogar um papel no chão ou andar um quarteirão a pé e não de carro, quem dirá os governos dos países em preservar o meio-ambiente, e, numa dessa, o aquecimento global, defendido por inúmeras teses e com resultados que podem ser comprovados, pode assolar o planeta com vários males; com o aumento da temperatura, a qualidade do ar é prejudicada, os alimentos se tornam escassos e as terras podem se tornar desertas. Sem comida e suscetíveis a diversas doenças, essa morte lenta e dolorosa parece a pior de todos os cenários possíveis.[Science20, Abril, TecMundo, Abril2]

Fonte: http://hypescience.com/em-quantos-anos-o-universo-acabara/

Cientistas planejam usar nuvem artificial para bloquear o sol

Uma ideia curiosa para reduzir o aquecimento global se tornou alvo de polêmicas nos Estados Unidos e na Europa: uma nuvem artificial de partículas de sulfatos, capazes de refletir luz solar e, assim, reduzir a temperatura do planeta.

O projeto é um exemplo de geoengenharia (ciência que estuda como combater mudanças climáticas com base em intervenções físicas, químicas e biológicas) e, segundo seus autores, pode ser uma alternativa acessível para desacelerar o aquecimento global.

Para testar a viabilidade da “nuvem artificial”, eles pretendem fazer um teste em microescala, usando um balão para liberar dezenas ou centenas de quilogramas de partículas em uma área da camada de ozônio, partindo da cidade de Fort Summer, Novo México (EUA), a uma altitude de aproximadamente 25 kilômetros.

Apesar do otimismo da dupla de engenheiros, ambientalistas temem que intervenções desse tipo tenham consequências drásticas se forem feitas em larga escala, como danos à camada de ozônio e alterações no regime de chuvas em várias regiões. Outra preocupação é a de que, se a ideia se tornar uma alternativa contra o aquecimento global, os esforços para reduzir emissões de carbono fiquem em segundo plano.

A previsão é de que o experimento comece dentro de um ano.[The Guardian]

Fonte: http://hypescience.com/cientistas-planejam-usar-nuvem-de-sulfatos-para-combater-mudancas-climaticas/

Seca reduz nível do rio Mississippi e pressiona Congresso

A grave seca no Meio-Oeste dos Estados Unidos continua causando transtornos nesta quinta-feira, quando barcaças tiveram de se desfazer de cargas no rio Mississippi para evitar encalhamentos, em meio a crescentes preocupações de que a situação provoque aumentos da gasolina e dos alimentos.

Essa é a mais grave seca no país em cinco décadas, e o Congresso, em ano eleitoral, se viu forçado a avançar na tramitação de uma generosa lei agrícola que aliviaria os problemas dos produtores rurais.

"Quando os tempos são duros para os agricultores, eles tendem a ficar politicamente mais ativos", disse o senador Charles Grassley, de Iowa, pedindo a seus colegas republicanos que aprovem a lei agrícola sob pena de serem punidos nas urnas em novembro.

O presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner, disse nesta quinta-feira que os líderes republicanos estavam trabalhando junto ao Comitê de Agricultura para discutir um caminho apropriado para a questão.

As chuvas ocorridas durante a noite no norte do Meio-Oeste melhoraram as perspectivas para os produtores de milho e soja, e os preços dos grãos recuaram após atingirem níveis quase recordes.

Mas os meteorologistas dizem que o calor e a seca no sul do Meio-Oeste norte-americano vão continuar castigando as lavouras nos próximos dias.

"Deve haver alguma melhora em áreas como as Dakotas e Minnesota", disse Andy Karst, meteorologista agrícola da empresa World Weather.

Mas Nebraska, Kansas, Missouri e Iowa tiveram apenas chuvas leves durante a noite, que dificilmente resolverão a situação nas lavouras, segundo Karst.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI6023766-EI8141,00-Seca+reduz+nivel+do+rio+Mississippi+e+pressiona+Congresso.html

Detector de partículas tentará encontrar 'universo negro invisível'


O detector AMS está instalado na Estação Espacial Internacional, sendo visível no centro da armação
Foto: Nasa/Divulgação

Um detector de partículas pesando 7 t instalado há mais de um ano na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) tentará estabelecer se existe um "universo negro" invisível entretecido no cosmos, disse nesta quarta-feira um cientista do projeto.

O detector, chamado Espectrômetro Magnético Alfa (AMS, na sigla em inglês), já quebrou todos os recordes ao registrar cerca de 17 bilhões de raios cósmicos, armazenando seus dados para análises, disse o físico Samuel Ting, ganhador do Prêmio Nobel, em entrevista coletiva. "A questão é: onde o universo é feito de antimatéria? Ela pode estar por aí, num lugar bem longe, produzindo partículas que poderíamos detectar com o AMS", afirmou.

Físicos dizem que o "Big Bang", explosão primordial que originou o universo há cerca de 13,7 bilhões de anos, deve ter criado quantidades iguais de matéria e de antimatéria. Mas então a antimatéria teria, praticamente, sumido. A razão disso é um dos grandes segredos do cosmos, investigado por meio do AMS e de estudos feitos no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), onde Ting falou.

Alguns pesquisadores acreditam que a "matéria invisível", uma forma que ocupa até 25% do universo conhecido, estaria ligada à antimatéria. Mas outros dizem que isso é altamente improvável. Esses cientistas argumentam que a antimatéria não poderia sobreviver muito perto de partes visíveis do cosmo onde, segundo as observações mais recentes, são ocupadas pela matéria escura, o que às vezes gera um "véu" entre planetas e estrelas.

A matéria e a antimatéria são quase idênticas, com a mesma massa, mas "spin" (rotação) e cargas energéticas opostas. Elas podem formar partes diferentes de algumas partículas elementares, mas, caso se misturem, se destroem instantaneamente.

Ting concedeu a entrevista coletiva junto a uma equipe de astronautas dos Estados Unidos que levou o detector - desenvolvido e construído pelo Cern - até a ISS em maio do ano passado, na última missão do ônibus espacial Endeavour.

Ele disse que até agora o detector de U$ 2 bilhões, com seus poderosos ímãs que distorcem as partículas com cargas negativas e positivas em direções diferentes, está funcionando perfeitamente e que nenhum dos sistemas reservas precisou ser acionado.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6020101-EI301,00-Detector+de+particulas+tentara+encontrar+universo+negro+invisivel.html

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Nova anomalia aparece em fotografia do Sol

Já não é novidade para nossos leitores que muitas fotos que são tiradas do Sol por satélites, mostram anomalias. Algumas dessas anomalias até mesmo se parecem com naves espaciais.

Obviamente, grande parte dessas anomalias são descartadas pelos cientistas como sendo ‘artefatos’ gerados pelo sensor digital das câmeras empregadas.

Sejam o que for, aqui está mais uma que foi capturada em 22 de julho passado pelo observatório NASA SDO.

Veja as ampliações da foto abaixo, ou acesse a foto original clicando no seguinte link: Helioviewer.org





Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/nova-anomalia-aparece-em-fotografia-do-sol/

Michio Kaku fala sobre ‘Universos Paralelos’

Abaixo, a interessante entrevista com o Físico Teórico, Michio Kaku, no programa Hard Talk, legendada em português, onde ele fala a respeito da existência de universos em nosso hiperespaço.

Michio Kaku é professor da Universidade de Nova York.


Assista:




Fonte do vídeo: Consciência Cósmica

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/michio-kaku-fala-sobre-universos-paralelos/










Extraterrestres poderão estar mais próximos do que pensamos



Ainda continuam vivos na memória os filmes do Discovery Channel com declarações chocantes de Stephen Hawking, um dos mais influentes e conhecidos físicos teóricos. O cientista e prémio Nobel fez uma declaração sensacional em que disse que os extraterrestres, muito provavelmente, existem mesmo, implorando à humanidade não tentar entrar em contato com eles.

Não é a primeira vez que Stephen Hawking discorre sobre mundos extraterrestres. Ele se tornou famoso graças ao livro “Breve História do Tempo” sobre a origem do Universo. Na nova série, Stephen Hawking declara que existem outras formas de vida em muitos cantos do Universo mas que os extraterrestres podem simplesmente utilizar a Terra como fonte de recursos para a conquistar e continuar o seu caminho.

Os americanos já começaram a estudar o problema da identificação de criaturas alienígenas, por enquanto só a nível genético. Garry Rafkan, professor de Genética da Escola de Medicina de Harvard, desenvolveu um chip capaz de determinar a existência de fragmentos de ADN extraterrestre. O chip deverá ser utilizado nos equipamentos de investigação do futuro rover marciano (veículo robótico).

A poeira do planeta vermelho cairá em uma solução especial que será submetida a ultrassons para eliminar quaisquer vestígios orgânicos e depois analisada para detetar a existência de ADN.

Receber os “homenzinhos verdes”

Há muitas décadas que a Humanidade anda procurando vida extraterrestre. Os investigadores americanos resolveram, para fundamentar a necessidade das buscas de seres racionais extraterrestres, utilizar o paradoxo do conhecido físico Enrico Fermi, ou seja, a contradição entre a grande probabilidade de existência de vida racional no Universo e a ausência de sinais visíveis desta existência. O cientista colocou esta pergunta simples: “Se existem tantas civilizações fora da Terra, onde estão elas?”.

Os americanos propuseram uma forma de resolver este paradoxo. Eles estabeleceram que, se partirmos do tempo médio de vida de uma civilização na nossa galáxia de mil anos (os habitantes da Terra só enviam sinais de rádio para o cosmos há 100 anos), na Via Láctea podem existir mais de 200 civilizações sem saberem da existência umas das outras. Os ingleses foram ainda mais longe. Na Universidade de Edimburgo consideram que na nossa galáxia existem pelo menos 361 civilizações de seres racionais e que o seu número máximo poderá atingir 38.000.

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/extraterrestres-poderao-estar-mais-proximos-do-que-pensamos/

Vídeo recém publicado no YouTube mostra bases e monumentos na superfície da Lua

Seria esta uma estrutura artificial na superfície da Lua?

Um vídeo recém publicado no YouTube alega ter descoberto bases e monumentos na superfície de nossa Lua.

Se verdadeiro, o vídeo mostra formações que aparentam mesmo ser artificiais.

A pessoa que postou o vídeo escreveu a seguinte nota:

“Nossa Lua tem muitas crateras e também muitas coisas estranhas. Veja o que eu encontrei enquanto fazia uma procura pela superfície lunar. A NASA não quer que você veja isso. Eles provavelmente irão editar as imagens o mais cedo que puderem”.

Veja o vídeo com as intrigantes imagens:


Fonte do vídeo: sonofmabarker

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/video-recem-publicado-no-youtube-mostra-bases-e-monumentos-na-superficie-da-lua/


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Gronelândia: 97% da camada de gelo derreteu em apenas cinco dias


É o degelo mais vasto de que há registo nos 30 anos de observações da ilha. Em apenas cinco dias, a área sem gelo na Gronelândia passou de 40% do total da superfície da camada de gelo para 97%. Desde as extremidades mais finas da costa até ao centro (que em média tem mais de três quilómetros de espessura), verificou-se algum desgaste.

O fenómeno é de tal forma inédito que, no início, os cientistas pensaram que estavam perante um erro nas leituras dos dados. Em comunicado divulgado no site da NASA, Son Nghiem, do laboratório de propulsão a jacto da NASA em Pasadena, afirma: "Era tão extraordinário que no início questionei o resultado: era mesmo real ou devia-se a um erro dos dados?”

Depois de um icebergue do tamanho da ilha de Manhattan se ter separado do glaciar de Petermann, este é o segundo acontecimento invulgar na Gronelândia num custo espaço de tempo.

A extensão do degelo está a preocupar os cientistas, que ainda não conseguiram determinar se este acontecimento vai contribuir para a subida do nível do mar. Lora Koening, especialista da NASA, avisou que o derretimento pode vir a ter graves consequências: "Se continuarmos a observar eventos como este nos próximos anos, será preocupante.”

Para além da subida dos níveis do mar, outra consequência imediata poderá ser o aquecimento do Ártico.

Fonte: http://www.sabado.pt/Multimedia/FOTOS/Mundo/Fotogaleria-(574).aspx

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Maior barragem dos maias descoberta na cidade de Tikal


Templo das Máscaras, na cidade de TikalNo meio de uma floresta tropical da Guatemala parece pouco provável que a água tenha sido um problema para o crescimento de uma civilização. Mas foi - e a engenharia é que permitiu à cidade de Tikal, uma das mais importantes da civilização maia, abastecer as suas casas, os seus palácios e templos ao longo de 1500 anos, utilizando um sistema de recolha e transporte de água complexo. A última prova desses feitos de engenharia está na descoberta da maior barragem construída pelos maias, revelada na última edição da revista norte-americana Proceedings of the National Academy of Sciences. Era a Barragem do Palácio.

As ruínas de Tikal podem ser visitadas, revelando a imponência da antiga cidade-Estado dos maias, que misteriosamente entrou em declínio no final do século IX d.C. Mas quem não soubesse dificilmente encontraria hoje as ruínas da cidade perdida no meio da floresta luxuriante, no Norte da Guatemala, com alguns templos em forma da pirâmide a ultrapassarem a altura da vegetação.

Antes dos problemas sociais ou de anos seguidos de seca terem esgotado a resistência desta e de outras cidades maias - duas das possíveis causas do declínio desta civilização, que séculos mais tarde ainda teve de enfrentar a chegada dos espanhóis -, estima-se que 120.000 pessoas tenham chegado a viver na região central de Tikal, num círculo com um raio de 12 quilómetros.

Como é que esta cidade se abastecia de água potável? O antropólogo Vernon Scarborough e colegas, da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, e da Universidade de San Carlos da Guatemala, entre outros, procuraram uma resposta. Tikal fica no meio da floresta de Petén, na Península do Iucatão, numa zona de grutas, onde a água se infiltra facilmente e desaparece terra adentro. Os maias tiveram de se adaptar a essa situação e construíram um sistema de recolha e transporte de água.

"O sistema de água de Tikal foi um dos maiores, mas não sabemos se foi o maior [da civilização maia]. Funcionava por gravidade e tinha uma série de reservatórios, tanques de assoreamento, sistemas de filtragem, barragens e pequenos canais", explica ao PÚBLICO Vernon Scarborough.

O sistema dependia completamente das chuvas. Perto do centro da cidade, o depósito de água mais alto que a equipa estudou, o Reservatório do Templo, ficava a quase 250 metros de altura. Tinha capacidade para 27.140 metros cúbicos, o equivalente a um cubo com 30 metros de lado.

"As grandes superfícies pavimentadas do centro ficavam no topo de um monte. Pátios rebocados, praças, campos onde se jogava à bola, pirâmides, todas estas construções foram concebidas para a água escorrer para antigos poços de pedreiras, que foram convertidos em reservatórios", descreve o antropólogo. "Deste modo, a água era contida nestes tanques, situados em altitude, e depois era libertada na encosta, para abastecer os residentes durante as temporadas de seca."

A ocupação de Tikal ter-se-á iniciado por volta de 600 a.C. e manteve-se durante mais de um milénio, com um período de crise pelo meio, também devido à falta de água, no século III d.C., quando a civilização maia passou do chamado período pré-clássico para o clássico.

Aquela região, refere o artigo científico, poderá ter atraído os primeiros habitantes da cidade devido às nascentes de água nas regiões de maior altitude. Depois, a urbanização terá alterado a paisagem.

Entre os seis reservatórios estudados, um deles, o do Palácio, é o segundo mais alto de Tikal, a quase 240 metros de altitude. E foi ao escavar esta zona que os cientistas encontraram aí aquela que é a maior barragem maia conhecida até agora. Os maias aproveitaram uma escarpa para construir a Barragem do Palácio, com pedras, cal e terra. Atingia dez metros de altura e armazenaria 14.000 metros cúbicos de água.

A equipa quis perceber como era utilizado cada um dos reservatórios durante a ocupação maia, analisando para tal os sedimentos depositados ao longo dos tempos. "O sistema de reservatórios e de desvios de água ficou concluído no fim do período pré-clássico, quando se iniciou uma época mais seca. Provavelmente, esta adaptação ajudou Tikal e outros centros urbanos a sobreviver, enquanto muitos outros foram abandonados", explicam os cientistas no artigo.

O trabalho também permitiu descobrir que o sistema tinha vários tanques de filtragem - com areia -, para limpar a água, embora os investigadores pensem que seria depois fervida pela população.

Fonte: http://www.publico.pt/Ciências/maior-barragem-dos-maias-descoberta-na-cidade-de-tikal-1555386

Seca se agrava e meteorologia prevê mais calor nos EUA

Um forte calor cobriu grande parte do Meio-Oeste dos Estados Unidos na terça-feira, agravando a pior seca em mais de meio século na região, e devastando as lavouras de milho, soja e outros cultivos.

De Chicago e Nebraska, as temperaturas rondaram os 40 graus Celsius, e o Serviço Meteorológico Nacional (NWS, na sigla em inglês) emitiu alertas para o calor em todo o Meio-Oeste e na costa atlântica. Em muitos lugares, o calor excepcional deve durar até a semana que vem.

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica disse em seu site que esta é a pior seca desde 1956. O problema atinge cerca de 55 por cento da área contígua do país, numa época em que a umidade seria especialmente necessária, por ser o período de polinização dos milharais. Os EUA são o maior exportador mundial de milho, cereal usado em aplicações tão díspares quanto a ração animal e o etanol automotivo.

"Estamos passando de uma crise para uma história de terror", disse o agrônomo Tony Vyn, da Universidade Purdue. "Vejo um crescente número de campos que irão produzir zero grão."

O meteorologista Jason Nicholls, da empresa AccuWeather, disse que não há possibilidade de chuvas no Meio-Oeste antes de meados da semana que vem, e que a seca e o calor devem se prolongar até agosto.

O milho já está com sua maior cotação em 13 meses, depois de uma alta de 45 por cento neste verão boreal. O Departamento de Agricultura dos EUA disse em sua última avaliação semanal, na segunda-feira, que apenas 31 por cento da safra de milho no país está em situação boa ou excelente; no boletim anterior, 40 por cento da safra estava satisfatória.

As condições boas e excelentes da soja caíram de 40 para 34 por cento da safra. "Precisamos de uma chuva de encharcar agora. Precisamos de duas a três polegadas (51 a 76 milímetros), e isso não está na previsão", disse o analista Dan Basse, da AgResource.

Problemas climáticos estão sendo relatados também no Leste Europeu e na Ásia, ao passo que Brasil e Argentina também tiveram uma grave seca na última safra. A FAO (agência da ONU para alimentação e agricultura) disse neste mês que a seca dos EUA deve fazer com que o preço global dos alimentos reverta três meses de declínio a partir de julho.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5999086-EI8141,00-Seca+se+agrava+e+meteorologia+preve+mais+calor+nos+EUA.html

Aquecimento vai acelerar numa taxa dramática, diz Merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, alertou nesta segunda-feira que o aquecimento global vai acelerar numa taxa dramática a não ser que líderes globais cheguem a um acordo para limitar as emissões de gases do efeito estufa o mais rápido possível.

Após negociações em Durban em dezembro, os países concordaram em chegar a um novo acordo até 2015 que pela primeira vez forçará todos os grandes poluidores a limitar suas emissões. Críticos disseram na época do acordo, no entanto, que o plano era muito tímido para conter o aquecimento global.

"O tempo é fundamental", disse Merkel a uma conferência internacional em Berlim, na qual delegados de mais de 30 países se preparam para uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o clima, a ser realizada no final do ano no Catar.

Os participantes estão discutindo formas de impedir que as temperaturas globais subam mais de 2 graus Celsius. A declaração de Merkel vem um dia depois de o ministro alemão do Meio Ambiente questionar a capacidade do país de atingir suas próprias metas climáticas em uma entrevista para o jornal Bild am Sonntag.

Isso inclui a introdução de 1 milhão de carros elétricos e a redução do uso de energia em 10 por cento até 2020. Até o início de 2012, somente 4.541 carros elétricos estavam em uso, segundo a Autoridade Federal Alemã de Transporte a Motor.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5995884-EI19408,00-Aquecimento+vai+acelerar+numa+taxa+dramatica+diz+Merkel.html

Anel de matéria escura é encontrado em grupo de galáxias


Você provavelmente já sabia que o universo não é só feito de matéria, como nós, mas também de matéria escura, uma misteriosa substância que não pode ser vista, mas que os cientistas sabem que existe porque pode ser detectada através de sua atração gravitacional.

Os cientistas estimam que a matéria escura componha cerca de 83% da massa de nosso universo, o que é muito mais do que a matéria e, consequentemente, figura um grande mistério para nós.

Recentemente, pesquisadores do Observatório da Universidade de Munique, na Alemanha, detectaram uma gigantesca cadeia de matéria escura entre dois superaglomerados de galáxias – Abell 222 e Abell 223.

Os astrônomos há um bom tempo imaginavam que o espaço entre as galáxias era composto por matéria escura e fria, mas ela nunca havia sido detectada diretamente. Nas observações dos pesquisadores, ela aparece justaposta com a distribuição de matéria comum, o que permite uma comparação sem precedentes entre as duas fontes de gravidade.

A matéria escura pode ser detectada porque a forte gravidade do filamento que une os dois aglomerados de galáxias, a 2,7 bilhões de anos-luz de distância da Terra, funciona como uma lente para a luz que vem de galáxias mais distantes em direção ao nosso planeta.
Mais provas por aí

A imagem acima, feita pelo telescópio espacial Hubble, da NASA, mostra um “anel fantasmagórico” de matéria escura do aglomerado de galáxias Cl 0024 +17, localizado na constelação de Peixes, ou Pisces.

A estrutura em forma de anel evidente no mapa azul de distribuição do aglomerado de matéria escura é considerada uma das provas da existência de matéria escura.

O mapa está sobreposto a uma imagem do aglomerado Cl 0024 +17. As listras azuis perto do centro da imagem são as imagens borradas de galáxias muito distantes, que não fazem parte do aglomerado. As galáxias distantes parecem distorcidas porque a luz está sendo “dobrada” e “ampliada” pela poderosa gravidade do Cl 0024 +17, um efeito chamado efeito de lente gravitacional.

Por conta disso, o anel é um dos mais fortes elementos que evidenciam a existência de matéria escura até esse momento, permitindo que os astrônomos investiguem a distribuição de matéria escura no espaço.[LiveScience, Cl0024+17]

Fonte: http://hypescience.com/anel-de-materia-escura-e-encontrado-em-grupo-de-galaxias/

Estrela recém-nascida tem “batimentos” registrados em raio-X


A estrela “recém nascida” chama-se V1647 Orionis, e não é de fato uma estrela, mas uma “protoestrela” – ela não tem temperatura e densidade suficientes para produzir luz e energia por nucleossíntese estelar, o processo que transforma hidrogênio em hélio, e habita uma nebulosa, a Nebulosa de McNeil, a cerca de 1.300 anos-luz de distância do Sol.

A nebulosa chamou a atenção de astrônomos e astrofísicos em 2004, quando a atividade de V1647 aumentou e iluminou a mesma. Durante dois anos, a protoestrela esteve ativa e então acalmou-se, voltando à ativa em 2008. Desde então, tem se mantido brilhante.

A observação de V1647 começou pouco depois que ela começou a brilhar em 2004, e tem prosseguido até hoje. Desta observação, os astrônomos descobriram que ela tem 5 vezes o tamanho do nosso Sol, dá uma volta por dia, e tem um milhão de anos, talvez bem menos.

Além disso, ela tem dois jatos de raio-X que são alimentados pela nuvem de gás e poeira que a rodeia. São estes os “batimentos” que os cientistas tem observado usando telescópios de raio-X, as rotações indicando que, pelo tamanho dela, a protoestrela está no tamanho máximo para girar com esta velocidade e não se romper pelas forças centrífugas.

Durante os próximos milhões de anos, a estrela será alimentada por gás e poeira até poder gerar sua própria energia, como nosso Sol. O processo de formação acaba, e ela se torna uma estrela. Os astrônomos continuarão a vigiá-la, para descobrir o que puderem sobre seu berço de gás e poeira.[LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/estrela-recem-nascida-tem-batimentos-registrados-em-raio-x/

Astrofísica britânica alerta: devemos nos preparar para contato com ETs

Trata-se de um previsão científica: Poderemos fazer contato com ETs dentro de 100 anos.
De acordo com Jocelyn Bell Burnell, uma renomada astrofísica britânica, este é um assunto para os governos, e não para Hollywood.

Em palestra no Fórum Aberto Euroscience, que ocorreu em Dublin, na Irlanda, Bell Burnell disse: “Eu suspeito que iremos encontrar sinais de vida em outros lugares, talvez até vida inteligente, dentro do próximo século“.

Ela disse que, mais provavelmente, encontraremos vida alienígena aonde encontrarmos planetas rochosos, com dióxido de carbono e ozônio em suas atmosferas. Bell Burnell, que é também professora na Universidade de Oxford, indaga: “Se suspeitarmos que haja vida inteligente lá fora, iremos nos apresentar a ela, ou não?”

“Há questões interessantes sobre isso, como por exemplo, a quem você contaria este fato primeiro: à imprensa, ao Primeiro Ministro, ao Papa? Deveríamos começar a pensar nisto agora“.

Porém, ela disse que mesmo se encontramos sinais de vida alienígena, é provável que levará décadas para conversarmos com ela da Terra por intermédio de rádio ou laser. “Nada pode viajar mais rápido do que a velocidade da luz. Assim, as conversas podem demorar 50 ou 100 anos, e isso só para ir em uma direção“.

Certamente, a professora Bell Burnell, como cientista, descarta hoje a possibilidade de outros meios de comunicação mais rápidos do que a velocidade da luz, como por exemplo, através de buracos de verme/minhoca, ou até mesmo de que já estejamos sendo visitados por alienígenas. Mas já houve uma época em que a ciência refutava por completo a idéia da existência de vida extraterrestre. Assim, devemos estar contentes pelo fato de que muitos dos cientistas com mentes mais abertas pelo menos já considerarem a realidade da vida extraterrestre.
Como os leitores mais assíduos do OVNI Hoje sabem, estes cientistas que reconheceram esta possibilidade, também estão divididos, pois alguns acham que não deveríamos revelar nossa presença para habitantes de outros planetas, pois seríamos de alguma forma explorados e até mesmo aniquilados, enquanto outros acreditam que não haja perigo algum neste contato.

Para maiores informações sobre esta diferença de opiniões entre os cientistas, veja este artigo que foi publicado aqui no OVNI Hoje em 20 de junho passado: http://ovnihoje.com/2012/06/cientistas-debatem-a-natureza-dos-extraterrestres/

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/astrofisica-britanica-alerta-devemos-nos-preparar-para-contato-com-ets/

Acesse os arquivos sobre OVNIs recém liberados pelo governo britânico

Não é mais novidade para nossos leitores mais assíduos que o governo britânica liberou recentemente mais alguns arquivos relacionados às suas investigações sobre OVNIs.

Assim, disponibilizamos aqui o site onde você poderá acessá-los. Clique no link abaixo para tal:

http://ufos.nationalarchives.gov.uk/

Para acessar os arquivos liberados anteriormente por aquele governo, clique no seguinte link:

http://ufos.nationalarchives.gov.uk/existing-files.htm

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/acesse-os-arquivos-sobre-ovnis-recem-liberados-pelo-governo-britanico/

Governo da Grã-Bretanha libera arquivos sobre OVNIs


O governo da Grã-Bretanha, acaba de liberar arquivos previamente secretos, relacionados ao nosso tema favorito.

Os 25 arquivos liberados incluem um longo relato da política de OVNIs do gabinete do então Primeiro Ministro, Tony Blair, junto com uma descrição de trabalho para agentes encarregados de investigar OVNIs (UFO Desk), descrito como sendo o “weirdest job in Whitehall”, ou, em português, “o trabalho mais estranho no Whitehall” (Whitehall é o serviço civil britânico).

As tarefas diárias dos agentes incluíam o fornecimento de informes oficiais diários sobre os OVNIs ao ministério da defesa, investigações sobre avistamentos de OVNIs, o gerenciamento de pedidos de liberação de documentos, baseados na liberdade de informação, e lidar com ovniólogos (especialistas em OVNIs).

Entre a investigações está a de um avistamento de OVNI por um policial no Chelsea Football Club e outra que falava sobre a visita de três “homens de preto” à uma pessoa que reportou respeito de um encontro com OVNI em Lincolnshire, no oeste da Inglaterra.

De acordo com os arquivos, uma proprietária de um hotel no País de Gales, uma vez reclamou à polícia militar, após um OVNI aterrissar em um campo ” do qual dois humanóides, sem face, vestindo roupa prateada, emergiram e começaram a fazer mensurações“.

Também incluídos nos arquivos liberados estão os detalhes de um informe oficial por um dos oficiais de inteligência de OVNIs do ministério da defesa, o qual especulava sobre a razão pela qual os alienígenas estariam visitando a Terra.

O oficial explicou que qualquer possível visita, provavelmente seria por motivos de ‘reconhecimento militar’, ‘pesquisa científica’, ou simplesmente ‘turismo’.

No informe oficial, preparado em 1979, o oficial alertou que nenhum sistema de rádio humano conseguiu ainda captar transmissões por alienígenas.

A liberação dos documentos vieram após um pedido por David Clarke, autor do livro ‘The UFO Files‘, ou ‘Os Arquivos OVNIs’.

“Estes registros nos permitem olhar ‘atrás das cortinas’ daquilo que provavelmente seja um dos trabalhos mais estranhos no Whitehall“, disse Clarke

“Agora temos uma visão fascinante de alguns dos relatos extraordinários e informes oficiais, que passaram pelo UFO Desk diariamente, e de como seus agentes usaram lógica e ciência em suas tentativas de explicar o inexplicável“, continuou Clarke.

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/governo-da-gra-bretanha-libera-arquivos-sobre-ovnis/

terça-feira, 10 de julho de 2012

Estados Unidos tiveram os 12 meses mais quentes desde 1895

Os Estados Unidos, acabados de sair de uma vaga de calor que causou mais de 40 mortos, viveram os últimos 12 meses mais quentes desde que há registos fiáveis, ou seja, desde 1895, segundo um relatório de uma agência governamental.

O período de Julho de 2011 a Julho de 2012 “foi o mais quente em relação a qualquer outro período homólogo registado nos Estados Unidos”, segundo dados preliminares reunidos no relatório do Centro Nacional de Dados Climáticos, da Administração Nacional para os Oceanos e Atmosfera (NOAA, sigla em inglês). A temperatura média nacional foi de 13,3ºC, ou seja, 1,8ºC mais elevada do que a média a longo prazo.

“Todos os estados norte-americanos registaram, em média, temperaturas mais altas para aquele período, à excepção do estado de Washington, onde as temperaturas se mantiveram dentro do considerado normal”, acrescenta o relatório.

O mês de Junho registou, em 48 estados, temperaturas 1,1ºC acima da média do século XX. No entanto, é apenas o 14º mês de Junho mais quente nos registos. Em 1933, durante o período conhecido como Dust Bowl – marcado pela seca e por sucessivas tempestades de poeiras – esse mês foi o mais quente de sempre.

Na segunda quinzena de Junho deste ano, mais de 170 recordes de temperaturas máximas foram igualados ou mesmo ultrapassados. Por exemplo, os termómetros nos estados da Carolina do Sul e da Georgia chegaram aos 45ºC e 44ºC, respectivamente.

"Há muitas coisas fora do normal que aconteceram nos últimos meses", disse Dev Niyogi, professor de Ciências Atmosféricas na Universidade de Purdue, à estação de televisão CNN. O especialista referia-se aos grandes incêndios no Colorado – que terão queimado mais de 526.000 hectares – e à seca sentida neste estado e nos do Arizona e Georgia.

Jake Crouch, cientista no Centro Nacional de Dados Climáticos, considera que estas condições meteorológicas extremas são consistentes com aquilo que os investigadores consideram uma “nova normalidade”. “É difícil dizer que as alterações climáticas são o factor que está a causar esta situação, mas parece ter um papel nisto tudo”, disse Crouch à agência Reuters.

Fonte: http://ecosfera.publico.pt/noticia.aspx?id=1554238

Onda de choque de supernova é registrada por telescópio de raio-X


Usando informações do Observatório de Raio-X Chandra, da Nasa, pesquisadores conseguiram a primeira evidência de radiografia de uma onda de choque de uma supernova. Na imagem, a onda está penetrando uma espécie de "casulo" de gás em volta de uma estrela que explodiu no espaço. Segundo o site oficial da Nasa, a descoberta pode ajudar astrônomos a entender por que algumas supernovas são muito mais poderosas do que outras.

A imagem composta da galáxia UGC 5189A, localizada a aproximadamente 160 milhões de anos-luz, mostra informações de radiografias registradas pelo telescópio Chandra em roxo, e dados ópticos de outro telescópio da Nasa, o Hubble, em vermelho, verde e azul.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5888558-EI301,00-Onda+de+choque+de+supernova+e+registrada+por+telescopio+de+raioX.html

Ex-agente da CIA diz que óvni foi encontrado nos EUA há 65 anos

No 65º aniversário do Incidente Roswell, Chase Brandon, que serviu à CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) por mais de duas décadas, revelou a existência um arquivo oculto da CIA sobre o objeto voador não identificado (óvni) supostamente encontrado na cidade americana. "É, realmente aconteceu", afirma o funcionário. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

De ET pacifista a casos sem solução; veja relatos de óvnis

O caso se refere aos acontecimentos ocorridos em julho de 1947 em Roswell, no Novo México (EUA), onde teriam sido encontrados destroços de um disco voador. Teóricos da conspiração acreditam que corpos de alienígenas tenham sido autopsiados, e que as tecnologias modernas tenham sido criadas a partir de descobertas feitas no interior da nave.

O agente disse que a informação está escondida em um cofre dentro do quartel general da agência na cidade de Langley. "Foi em uma área restrita. Havia uma caixa que chamou minha atenção. Estava escrito sobre ela 'Roswell'. Eu remexi dentro dela, coloquei a caixa na prateleira e disse: 'meu Deus, realmente aconteceu'", conta o agente. "Não era um balão meteorológico - como foi afirmado na época - era uma nave de outro planeta", afirma.

Por 25 anos, Brandon serviu no serviço clandestino de elite da CIA como agente infiltrado, oficial de operações secretas desempenhando missões que envolviam terrorismo internacional, tráfico de drogas e contrabando de armas.

Quando o incidente em Roswell aconteceu, autoridades militares divulgaram um comunicado à imprensa, que começava assim: "Os muitos rumores sobre um disco voador se tornaram verdadeiros ontem, quando o oficial de inteligência do 509º Grupo de Bombardeios da Força Aérea americana, com base aérea em Roswell, se apoderou de um disco."

Porém, apenas 24 horas depois, os militares mudaram sua história e declararam que o objeto que eles pensaram ser um disco voador era, na verdade, um balão meteorológico que havia caído em um rancho próximo do local. Surpreendentemente, a mídia e o público aceitaram a explicação sem questionar.

Agora, agentes como Brandon questionam a versão oficial do acidente. Ele afirma, no entanto, que não vai revelar exatamente o que havia dentro da caixa que "acabou com suas dúvidas sobre o incidente de Roswell". "Havia alguns materiais escritos e algumas fotografias, e isso é tudo que eu vou dizer sobre o conteúdo da caixa", declarou ao Huffington Post.

Documentos

Documentos divulgados anteriormente parecem confirmar a história de Brandon - ou pelo menos a ideia de que autoridades americanas estariam encobrindo o envolvimento com alienígenas. Um memorando que parece provar isso foi publicado pelo FBI. O departamento tem disponibilizado milhares de arquivos em um site chamado The Vault (O Cofre, em tradução livre).

Entre eles, está o memorando escrito por Guy Hottel, agente especial encarregado do escritório de Washington em 1950. No documento, cujo assunto é "Discos Voadores", Hottel revela que um investigador da Força Aérea declarou que "três chamados 'discos voadores' haviam sido recuperados no Novo México". O investigador teria dado a informação a um agente especial. O FBI censurou a identidade do agente e do investigador.

"Eles foram descritos como sendo de forma circular, com aproximadamente 50 m de diâmetro", afirma Hottel. "Cada um teria sido ocupado por três corpos humanos, mas de pouco mais de um metro", acrescentou. Segundo o relato, os corpos estariam vestidos com panos metálicos e cada um foi enfaixado de um modo semelhante ao utilizado nas roupas usadas por pilotos de teste de velocidade.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5886433-EI301,00-Exagente+da+CIA+diz+que+ovni+foi+encontrado+nos+EUA+ha+anos.html

Aumento do nível dos oceanos é irreversível, aponta pesquisa

Mesmo que haja cortes profundos nas emissões dos gases de efeito estufa (GEE) e que a temperatura média do planeta seja reduzida, o aumento do nível dos oceanos será inevitável, segundo um novo estudo de cientistas especializados em meio ambiente. A pesquisa, publicada na Nature Climate Change, ressalta, contudo, que tal processo pode ser desacelerado.

"Mesmo com uma mitigação agressiva, que limitaria o aquecimento global a menos de 2°C acima dos valores pré-industriais até 2100, e com o aumento natural da temperatura nos séculos 22 e 23, o nível dos mares continuaria a subir depois de 2100", aponta o estudo. Isso ocorre porque conforme o oceano se aquece, a água se expande e o calor se espalha por todas as regiões marítimas.

Uma vez a temperatura da superfície do oceano entre em declínio, o calor ainda seria conservado sob a água, provocando o aumento dos níveis. A situação da temperatura e o derretimento das calotas polares são apenas mais um dos fatores que contribuem para o problema.

Os cientistas calcularam que, se os cortes de emissões forem capazes de reduzir as temperaturas globais em 0,83°C até 2100 e 0,55°C até 2300, o nível dos oceanos ainda aumentará até 14,2 cm até 2100 e até 24,2 cm até 2300 - por conta da expansão térmica.

Por outro lado, se as emissões forem pouco reduzidas, as temperaturas poderiam subir até 3,91°C até 2100 e os nível da água poderia aumentar 32,3 cm no primeiro século, chegando a quase 140 cm 200 anos depois. "Embora o aumento do nível dos oceanos não possa ser cessado nos próximos séculos, é possível desacelerar o processo, ganhando tempo para que as medidas de adaptação necessárias sejam tomadas", destacam os pesquisadores. Uma série de estudos mostra o papel dos GEE no aumento da temperatura global. Esses gases foram responsáveis pelo aumento de 0,17°C por década de 1980 a 2010 e pelo aumento de 2,3 mm do nível do mar por ano de 2005 a 2010.

A elevação do nível dos oceanos ameaça cerca de um décimo da população mundial - muitas dessas pessoas moram em ilhas sob risco de inundação, como locais do Caribe e da região do Pacífico na Ásia.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5874210-EI19408,00-Aumento+do+nivel+dos+oceanos+e+irreversivel+aponta+pesquisa.html

Ameaçados de extinção, animais de espécie rara são mortos no Congo


Animal lembra cruzamento de girafa com zebra e vive apenas no país africano
Foto: BBC Brasil

Há somente entre 10 e 20 mil okapis no mundo, todos nas florestas do Congo ou espalhandos em 42 zológicos. O animal lembra uma mistura da girafa com a zebra.

Embora o okapi seja uma espécie ameaçada, os rebeldes congoleses não tiveram piedade em um recente ataque a uma unidade de conservação. Cientistas e tratadores estariam atrapalhando atividades dos rebeldes, como a extração de marfim e de ouro.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5880493-EI8145,00-Ameacados+de+extincao+animais+de+especie+rara+sao+mortos+no+Congo.html

Buraco negro da Via Láctea engolirá enorme nuvem espacial


20 anos observando o buraco negro no centro de nossa galáxia, e o astrofísico Stefan Gillessen, do Instituto Max Planck de Física Extraterrestre, em Munique, Alemanha, só viu duas estrelas se aproximando do buraco negro em Sagitário A* (“sagitário a-estrela”), e mesmo assim elas escaparam ilesas, mas parece que desta vez será diferente.
Nos sete anos que tem observado esta nuvem de gás, que é gigantesca, se aproximando do buraco negro, Stefan notou que a velocidade dela dobrou. A nuvem já começou a apresentar deformações causadas pelas forças de maré da imensa gravidade do buraco negro, que tem massa equivalente a quatro milhões de sóis.
O buraco negro parece que gosta de pratos italianos, por que a nuvem de gás vai ser espichada como um espaguete antes de ser devorada. Acredita-se que a nuvem aqueça e comece a brilhar na faixa dos raios-X, o que vai fazer com que ela seja visível da Terra.
O centro da nossa galáxia está escondido de nós nuvens de gás e poeira, o que faz com que só consigamos observar alguma coisa usando telescópios que trabalham na faixa do raio-X, rádio e infravermelho. Além deste problema, tem a própria natureza dos buracos negros: eles não deixam escapar nenhuma luz, então só podem ser observados indiretamente. Mais precisamente, pelo que “comem”: gases, poeira, asteroides, planetas e estrelas brilham na faixa do raio-X antes de serem devorados. Examinando os flashes de raio-X, os astrônomos são capazes de averiguar como anda a dieta do buraco negro, se ele está se alimentando bem ou se está passando fome, caso do buraco negro central da nossa galáxia.
Acredita-se que a nuvem se aproximará a uma distância de “apenas” 36 horas-luz de distância do buraco negro, cerca de 40 bilhões de quilômetros, no meio do ano de 2013, quando deve começar o “lanche”. E a nuvem parece que está com pressa: já está na velocidade de 8 milhões de km/h. Vai ser uma oportunidade fantástica para os astrônomos observarem o que acontece quando alguma coisa cai num buraco negro.[LiveScience]

Fonte: http://hypescience.com/buraco-negro-da-via-lactea-engolira-enorme-nuvem-espacial/

Bóson de Higgs: o que é, o que faz, e o que fazer com ele


Nesta quarta-feira, 4 de julho de 2012, os cientistas do CERN, laboratório europeu de partículas de alta-energia, anunciaram que nos dados coletados em dois anos de colisões de prótons estão os rastros de uma estranha partícula, uma partícula que eles tem 99% de certeza de que é uma nova partícula, algo nunca visto antes em laboratório.

O bóson de Higgs é um dos componentes do chamado Modelo Padrão da Física. O que nos leva a outras perguntas…

Retrato de Família

A nossa história começa com a descoberta do elétron, em 1876, por J. J. Thompson. Em 1911 um outro inglês, Ernest Rutherford, propôs o primeiro modelo para o átomo, que seria composto por um núcleo e uma eletrosfera. Rutherford também foi o descobridor do próton, que ele achou que era uma partícula fundamental (ou seja, não composta de outras partículas).

A descoberta de outras partículas nos anos que se seguiram levaram à criação de um modelo que usava partículas fundamentais, os léptons e quarks, para formar outras partículas. O próton, por exemplo, foi modelado como sendo composto por dois quarks e um anti-quark.

Além dos léptons e quarks, seis de cada, conjuntamente chamados de férmions e que estão envolvidos na formação de partículas, foram propostos quatro bósons, que estariam envolvidos nas interações das forças – a força eletromagnética, que seria intermediada pelos fótons, e as forças nuclear forte, intermediada pelos glúons, e nuclear fraca, intermediada pelos bósons W e Z.

Para completar a família, haveria ainda uma partícula para intermediar a gravidade, o Gráviton (ainda não detectado), e o bóson de Higgs, que não participaria da constituição de nada, mas que seria responsável pela massa das outras partículas.

Bóson ou Campo? Os dois

Cabe aqui uma observação. O bóson de Higgs é o quantum de um campo, chamado campo de Higgs. Em outras palavras, o menor valor de um campo de Higgs é um bóson de Higgs, ou ainda, o campo de Higgs é feito de bósons de Higgs. E onde está este campo? Em todo o universo. Estamos todos mergulhados neste campo, que está em todos os lugares, sem faltar em lugar nenhum.

A interação das partículas com o campo de Higgs é que daria a massa a estas partículas, e não só a elas, mas também aos intermediadores das forças (menos a força eletromagnética, intermediada pelo fóton, que tem massa zero, ou seja, não interage com o campo de Higgs). Sem o campo de Higgs, não haveria massa, não haveriam átomos, não haveriam moléculas, não haveriam planetas, não haveriam estrelas, não haveriam reações químicas, não haveria vida, não haveria eu, nem haveria você.

Voltando ao Modelo Padrão, as partículas fundamentais, todas elas, foram sendo encontradas, uma a uma, nos laboratórios. Só o bóson de Higgs que não. E isto era um problema. Sem encontrar o bóson de Higgs, ninguém sabia exatamente quais as propriedades dele. Algumas propriedades podiam ser previstas, mas outras, não. Ironicamente, a massa do bóson de Higgs era uma das propriedades que não podia ser prevista.

Caçada ao bóson, ou fogos de artifício para Higgs

Os modelos também prediziam uma outra coisa, para que o bóson pudesse ser detectado, seria necessário acertá-lo com uma cacetada de energia. Mais precisamente, com uma martelada maior que 1,4 TeV (tera elétron-volts), ou 10¹² elétron-volts. Parece bastante energia, mas só no mundo microscópico. Você vai precisar 100.000.000 TeV para acender uma lâmpada de 100W por um segundo. Ou, dito de outra forma, um mosquito voando tem 1 TeV. Só que um mosquito tem muitos, mas muitos prótons. Se você der esta energia toda para um só próton, e fizer ele bater de frente com outro próton que tenha também 1 TeV, o impacto vai destruir os dois prótons em uma chuva de partículas menores.

Entra em cena o LHC (Grande Colisor de Hádrons). Ele foi feito para colidir prótons com 7 TeV, ou seja, 5 vezes o valor mínimo teórico. Só que ele estava operando em 4 TeV, que não é sua capacidade plena, mas ainda é o suficiente para criar colisões interessantes. Dois anos colidindo partículas, e hoje temos o anúncio feito por duas das equipes do LHC de que eles tem 99,9% de certeza que descobriram uma nova partícula que tem todo o jeito de ser o bóson de Higgs.

Rescaldo, perspectivas

E agora, o que vai acontecer? Para que será usado o bóson de Higgs? Muita coisa, começando pela física teórica. A descoberta desta partícula a deixa à disposição dos cientistas para análise de suas propriedades. Já sabemos, por exemplo, que o bóson de Higgs tem massa de aproximadamente 133 prótons, ou 125 GeV/c² (sim, a massa está sendo expressa em termos de energia dividida pela velocidade da luz ao quadrado, m = E/c²), e este é só o começo.

O que mais dá para fazer com o bóson de Higgs, além de entender a natureza e o universo em um nível realmente profundo? Nada mais. Talvez da tecnologia usada para encontrar o bóson saia alguma coisa para o cidadão comum, mas o objetivo nunca foi este: sempre foi responder a perguntas essencias, como “do que é feito o universo”. O conhecimento é, sem sombra de dúvida, a maior aventura humana, e a descoberta do bóson de Higgs é parte desta aventura.[Wired, Reuters, CERN, Terra Notícias, Ceticismo.net, Superinteressante]

Fonte: http://hypescience.com/boson-de-higgs-o-que-e-o-que-faz-e-o-que-fazer-com-ele/

Misteriosa estrutura oculta do universo é observada pela primeira vez


Os últimos dias estão sendo agitados no campo da astrofísica. A empolgação geral com a comprovação da existência do bóson de Higgs praticamente encobriu outra descoberta fascinante: a matéria escura foi identificada diretamente pela primeira vez.

Pesquisadores do Observatório da Universidade de Munique, na Alemanha, detectaram uma gigantesca cadeia de matéria escura entre dois super-aglomerados de galáxias, Abell 222 e Abell 223. Astrônomos já haviam pressuposto que o espaço entre as galáxias era composto por matéria escura e fria, mas ela nunca havia sido detectada diretamente. Essa descoberta ajudará os cientistas a entender a evolução do universo.

O universo é preenchido com filamentos de matéria escura, uma misteriosa substância que não pode ser vista. Cientistas sabem que essa obscura estrutura existe porque ela pode ser detectada através de sua atração gravitacional. Calcula-se que a matéria escura componha cerca de 83% da massa de nosso universo.

Alguns cientistas eram céticos com a possibilidade de detectar filamentos de matéria escura atualmente, acreditando que seria necessário esperar por telescópios mais avançados. Mas graças à geometria espacial rara desses dois aglomerados de galáxias, os cientistas alemães conseguiram detectar sinais do que é conhecido como lente gravitacional fraca. O efeito dessa lente gravitacional faz com que a luz de um objeto, como uma galáxia, apareça com sua imagem inclinada na Terra quando passa perto de um aglomerado massivo.

A descoberta

A estrutura de matéria escura encontrada aparece justaposta com a distribuição de matéria comum, o que permite uma comparação sem precedentes entre as duas fontes de gravidade. A matéria escura pode ser detectada porque a forte gravidade do filamento que une os dois aglomerados de galáxias – que ficam a 2,7 bilhões de anos-luz de distância da Terra – funciona como uma lente para a luz que vem de galáxias mais distantes em direção ao nosso planeta. Astrônomos usaram essa luz para calcular a massa e o formato do filamento.

A partir de raios-X emitidos pelo gás quente de matéria comum, cientistas descobriram que essa matéria compõe apenas 9% da massa do filamento. Outros 10% podem ser atribuídos às estrelas e galáxias visíveis. E o restante? A famosa matéria escura, que conecta aglomerados de galáxias pelo universo.

Entender a relação entre a matéria comum e a matéria escura pode ajudar os cientistas a entenderem como a matéria escura é formada, e consequentemente, entender a estrutura do universo. No futuro – não tão distante, esperamos – poderá ser possível descobrir o que compõe a obscura e misteriosa matéria escura. [MSN/AstroNews]

Fonte: http://hypescience.com/misteriosa-estrutura-oculta-do-universo-e-observada-pela-primeira-vez/

Telescópio Hubble registra momento da explosão de uma estrela

Nesta última sexta-feria, o telescópio espacial Hubble, da NASA, capturou a imagem de uma estrela antiga, no exato momento da emissão de seus gases antes de explodir.

A estrela, chamada de Camelopardalis, ou U Cam, é vista na foto envolta por uma bolha de gás.

De acordo com a NASA, o tamanho desta estrela, que está localizada na constelação de Camelopardalis, equivale a apenas um pixel no centro da imagem mostrada ao lado. Seu brilho é tão grande, que foi capaz de saturar os receptores da câmera, fazendo com que ela apareça muito maior do que realmente é.

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/telescopio-hubble-registra-momento-da-explosao-de-uma-estrela/

Relações públicas do caso Roswell deixou documento confirmando natureza extraterrestre do incidente

Em 3 de julho passado, publicamos aqui no OVNI Hoje sobre o ex-agente da CIA, Chase Brandon, o qual confirmou que o caso Roswell teria sido acobertado pelo governo dos Estados Unidos, e se tratava mesmo de um evento extraterrestre.

São muitas as pessoas envolvidas no caso que se manifestaram, confirmando o acobertamento da verdade por aquele governo. Uma dessas pessoas foi o Tenente Walter Haut.

Haut foi o oficial de relações públicas da base aérea em 1947, e foi o homem que emitiu o relatório original para a imprensa após o incidente, bem como os subsequentes, sob ordens do comandante da base, Coronel William Blanchard.

O tenente morreu em 2006 15 de dezembro de 2005, mas deixou um depoimento assinado, para ser aberto somente após a sua morte (2006).

O texto afirma que as alegações de que o evento foi nada mais do que um balão meteorológico, foram nada mais do que uma história para acobertar a verdade, e que o objeto real tinha sido recolhido pelos militares e armazenado em um hangar. Ele também disse ter visto não somente uma nave, mas também corpos alienígenas.

O seu depoimento fala a respeito de uma reunião de alto nível, da qual ele participou com o comandante da base, Coronel William Blanchard, e o Comandante da Oitava Força Aérea do Exército, General Roger Ramey. Haut declara que nesta reunião, pedaços de destroços foram passados de mão em mão para os participantes tocarem, e ninguém foi capaz de identificar o material.

No documento ele também declara que o relatório para a imprensa foi emitido, pois os habitantes locais já estavam cientes do local do acidente, mas na verdade também havia um segundo local de acidente, onde mais destroços de uma nave alienígena havia caído.

Haut falou sobre uma operação de limpeza , onde por meses após o incidente, militares ‘varreram’ ambos os locais dos acidentes, procurando por pedaços de destroços e removendo-os, a fim de apagar quaisquer sinais de que algo fora do normal havia acontecido.

Parece que a verdade já não está mais lá fora. Ela já veio parar na tela do computador de milhões de internautas, a maioria dos quais simplesmente se recusa a reconhecê-la.

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/relacoes-publicas-do-caso-roswell-deixou-documento-confirmando-natureza-extraterrestre-do-incidente/

NASA encontra ‘portais’ no campo magnético da Terra

Um tema favorito de ficção científica é “o portal” — uma abertura extraordinária no espaço, ou tempo, a qual conecta viajantes a mundos distantes. Um bom portal é um atalho, um guia, uma porta para o desconhecido. Ah se eles existissem…

Acontece que eles existem, mais ou menos, e um pesquisador financiado pela NASA, na Universidade de Iowa descobriu como encontrá-los.

“Nos os chamamos de pontos-X, ou regiões de difusão de elétrons”, explica Jack Scudder, um físico estudioso em plasma da Universidade de Iowa. “Eles são locais onde o campo magnético da Terra se conecta ao campo magnético do Sol, criando uma trilha ininterrupta do nosso planeta até a atmosfera do Sol a 93 milhões de milhas (149 milhões de quilômetros) daqui.

Observações feitas pela espaçonave THEMIS, da NASA, e as sondas Cluster da Europa, sugerem que estes portais magnéticos abrem e fecham dúzias de vezes ao dia. Eles estão tipicamente localizados a poucas dezenas de quilômetros da Terra, onde o campo geomagnético se encontra com os ventos solares. A maioria desses portais são pequeno e de curta duração; outros são enormes, vastos e prolongados. Toneladas de partículas energéticas podem fluir através das aberturas, aquecendo a atmosfera superior da Terra, iniciando tormentas geomagnéticas, e acendendo auroras polares.

A NASA está planejando uma missão chamada de “MMS”, abreviatura de Magnetospheric Multiscale Mission, que dever ser laçada em 2014, para estudar o fenômeno. Carregadas com detectores de partículas energética e sensores magnéticos, as quatro sondas da MMS irão se espalhar pela magnetosfera da Terra e cercar os portais, a fim de observar como eles funcionam.

Só há um problema: Encontrá-los. Os portais magnéticos são invisíveis, instáveis e elusivos. Eles abrem e fecham sem qualquer aviso e “não há nenhuma placa nos guiando para dentro deles“, diz Scudder.

Na verdade há placas de aviso e Scudder as encontrou.

Os portais se forma por intermédio de processos de reconexão magnética. Linhas misturadas de força magnética do Sol e da Terra se cruzam e se unem para criar aberturas. Os “pontos-X” estão onde o cruzamento das linhas ocorrem. A repentina união dos campos magnéticos podem propulsar jatos de partículas carregadas do ponto-X, criando uma “região de difusão de elétrons”.

Para aprender com achar este eventos, Scudder olhou nos dados de uma sonda espacial que orbitou a Terra há mais de 10 anos.

“No final da década de 90, a espaçonave Polar da NASA passou anos estudando a magnetosfera da Terra“, explica Scudder, “e ela encontrou muitos pontos-X durtante sua missão“.

Devido ao fato de a sonda Polar carregava sensores similares aos da MMS, Scudder decidiu ver como um ponto-X apareceria para a Polar. “Usando dados da Polar, encontramos cinco combinações simples de campo magnético e de mensurações de partícula magnética, os quais nos avisam quando encontramos um ponto-X, ou uma região de difusão de elétrons. Uma única espaçonave, apropriadamente instrumentada, pode fazer estas mensurações“.

Isto significa que um único membro da constelação MMS, usando so diagnósticos, podem encontrar um portal e alertar aos outros membros da constelação. Os planejadores da missão pensaram por muito tempo que a MMS poderia despender aproximadamente um ano aprendendo a encontrar portais antes de poder estudá-los. O trabalho de Scudder encontrou um atalho para o processo, permitindo a MMS de iniciar o trabalho sem delongas.

É um atalho digno dos melhores portais de ficção, mas só que desta vez os portais são reais. Em com a novas “placas” mostrando, saberemos onde encontrá-los.

Fonte: http://ovnihoje.com/2012/07/nasa-encontra-portais-no-campo-magnetico-da-terra/

LinkWithin

´ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...