quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O motivo de todo esse calor...

2177
fonte:http://www.umsabadoqualquer.com/1346-mudancas-climaticas/

lorianópolis tem nova onda de calor e sensação térmica de 52ºC

Meteorologistas alertam para a chegada de uma nova massa de ar quente no litoral de Santa Catarina a partir desta quarta-feira. Hoje a temperatura oficial em Florianópolis alcançou a marca dos 37ºC, com sensação térmica de 52ºC às 16h. Segundo Marcelo Martins, meteorologista do Centro de Recursos Ambientais do Estado (Ciram), Santa Catarina foi o local mais quente do Brasil. A umidade chegou aos 26% em São Joaquim, na serra, nível verificado habitualmente no deserto do Atacama.





A terceira onda de de calor do verão, segundo o aviso especial emitido pelo Ciram, deve se estender até a próxima semana, trazendo temperaturas próximas aos 40ºC no litoral. O forte calor acabou dando uma trégua aos catarinenses no final de semana, após dias onde a sensação térmica chegou aos 46°C em Florianópolis e 55°C em Joinville, no extremo norte. 

O alerta dos meteorologistas é que, desta vez, a onda de calor deve durar por mais tempo. "A nova massa de quente e desta vez mais duradoura vai influenciar Santa Catarina no fim de janeiro e primeira semana de fevereiro. Os dias serão de sol entre algumas nuvens com chance de chuva rápida de verão entre a tarde e noite, por vezes acompanhadas de temporais localizados", afirma a meteorologista do Ciram Gilsânia Cruz. "As temperaturas passam rapidamente dos 30°C já no final da manhã e se aproximam dos 40°C à tarde, especialmente no Litoral e Vale do Itajaí, regiões que a sensação de calor pode alcançar e superar os 50ºC."

Nas praias, o movimento foi intenso mas o vento e o mar mais revolto afastaram os banhistas. Um dos locais mais procurados foi o ponto do Riozinho, no Campeche. Apesar dos avisos de níveis máximos de radiação solar e do calor de 35ºC  registrado em Florianópolis no início da tarde, muita gente aproveitou para curtir a praia.

Temperatura da água
A água do mar neste primeiro mês de 2014 vem registrando temperatura cerca de 2ºC acima da média obtida em anos anteriores. A informação é do CIRAM. Os meteorologistas usaram como comparação os verões de 2012 e 2013. O estudo mostrou que a superfície do mar em praticamente toda a costa do estado está aproximadamente 2°C mais quente.

Segundo  a meteorologista Gilsânia Cruz e o oceanólogo Argeu Vanz, a água quente que atinge a costa catarinense se deve à chamada "Corrente do Brasil", que nesta época ano, ganha força e provoca o aumento da temperatura do mar na região sul do Brasil. Os ventos fracos e o mar calmo verificados nas últimas semanas também estariam contribuindo para o aquecimento. 

"A água mais calma com pouca mistura e o forte calor, resultou no aumento da temperatura da água do mar, principalmente próximo à costa”, afirmam. “Quando temos vento do quadrante norte soprando por vários dias, a água da superfície do mar quente é deslocada para o oceano aberto e ressurge água mais fria do fundo. Isso acaba deixando a água da costa mais fria, independentemente da temperatura de ar".


 Apesar do aquecimento do oceano, o meteorologista Marcelo Martins alerta que não existe a possibilidade de formação de sistemas instáveis, como ciclones ou mesmo um novo Catarina. "A massa de ar está tão seca que impede a formação de sistemas. O máximo que pode ocorrer são as tradicionais pancadas isoladas, típicas do verão, com ventos, descargas elétricas e granizo".

fonte:http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/,ab743ea796fd3410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html?fb_ref=FBRecommPluginTerra

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Sírios ‘comem grama’ para enfrentar fome na sitiada Homs

Segundo morador, suprimentos acabaram, forçando população a comer 'qualquer coisa que cresça no chão'



Moradores da sitiada cidade de Homs, na Síria, estão tão desesperados por alimentos que têm comido "qualquer coisa que cresça no chão, plantas, até grama", disse à BBC o sírio Baibars Altalawy. A cidade está sob ataque das tropas do governo há mais de um ano e meio.

Segundo Altalawy, os moradores das partes sitiadas dependiam de alimentos, remédios e combustível enviados ao local quando o estado de sítio foi imposto. Mas esses suprimentos acabaram. "Se não morrermos por conta dos bombardeios ou dos franco-atiradores, vamos morrer de fome ou frio", disse Altalawy, de 24 anos, via Skype, de Homs.
A população local esperava que a conferência em Genebra, que discute a guerra civil na Síria, levasse à criação de rotas seguras para que os moradores pudessem abandonar Homs - mas Altalawy afirma que, se o regime quisesse ajudar a população a escapar, já o teria feito.
O mediador da ONU, Lakhdar Brahimi, tenta obter acesso humanitário à área sitiada, mas os diálogos permanecem emperrados. A delegação síria exige garantias de que a ajuda humanitária americana não irá para "grupos terroristas armados" na cidade.

São 13 distritos, incluindo a histórica Cidade Velha de Homs, que estão "totalmente sitiados", afirmou Altalawy.
"Há famílias, mulheres, idosos, feridos (ali), e muitos dos idosos precisam de medicamentos para doenças crônicas", prosseguiu o sírio. "Não temos recebido nenhuma ajuda, tudo o que vemos diariamente são confrontos. Os rebeldes nas áreas sitiadas estão fazendo o que podem para impedir a entrada das tropas do regime."

Na falta de alimentos, Altalawy diz que a população está colhendo qualquer tipo de planta ou grama. "Daí cozinhamos com água, usando madeira (para o fogo), porque não temos gás."

fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/revoltamundoarabe/2014-01-29/sirios-comem-grama-para-enfrentar-fome-na-sitiada-homs.html

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Calor do Saara: consumo de energia bate recorde no Brasil




O Brasil é condizente com a sua classificação de “país tropical”: quente, abafado, com um verão dos mais rigorosos. Prova disso é este forno no qual estamos vivendo nos últimos dias. Em pleno calor do Saara, é natural que a seguinte constatação surgisse: o aumento do consumo de energia no país.
O calor intenso fez com que o consumo de energia elétrica batesse “apenas” dois recordes seguidos nesta semana. Nas últimas terça e quarta-feira, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) apontou, em boletim divulgado ontem, que a energia elétrica atingiu novos picos de consumo.
De acordo com o relatório, o Brasil alcançou um pico de consumo de 82.306 megawatts às 15h30 da quarta-feira. A marca superou o recorde anterior, que era de 81.591 megawatts, número alcançado  às 15h21 da terça-feira.

Que calor, senhor

Somente neste ano, é a terceira vez que um recorde de consumo de energia é batido. Antes de terça-feira, o maior valor foi no dia 10 de janeiro, quando 79.962 megawatts foram registrados.
O motivo não poderia ser outro: esse calor infernal. Segundo o ONS, as altas temperaturas teriam provocado o aumento de consumo de energia principalmente nas capitais das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com destaque para Rio de Janeiro e Porto Alegre.
E não para por aí, não: o ONS alertou que o consumo de energia elétrica deve aumentar em pelo menos 4,3% ainda este ano. Quantos banhos você tem tomado por dia?


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/energia/49560-calor-do-saara-consumo-de-energia-bate-recorde-no-brasil.htm#ixzz2rjUwRjvE

Chuva não é capaz de minimizar seca em cidade que decretou emergência 4 vezes


Elesbão Veloso, PI, é 1 das 13 cidades recordistas em decretos em 2013.
Segundo sindicato, agricultura e pecuária familiar estão 'arruinadas'.



Família de Manoel Cornélio sobrevive apenas com a ajuda de programas assistenciais na zona rural de Elesbão Veloso (Foto: Pedro Santiago/G1)


Por onde se anda na cidade de Elesbão Veloso, no centro-sul do Piauí, as plantas estão verdes, os riachos e açudes começam a acumular alguma água e as terras estão aradas. A paisagem, no entanto, esconde o drama da cidade que decretou situação de emergência devido à seca quatro vezes apenas em 2013 – um recorde no ano. Além dela, outras dez cidades do estado e duas da Bahia também tiveram reconhecidos quatro decretos.





A chuva que caiu no município nesses primeiros dias de 2014 não foi suficiente para diminuir os efeitos da estiagem. Os animais seguem magros, as roças, que já deviam ter sido semeadas, estão à espera de um volume mais significativo de chuva e uma parte da população continua a depender do carro-pipa como única fonte de água para consumo. "É a seca verde", diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da Cidade, Cícero de Oliveira.


“O ano de 2013 foi praticamente de perda total para a agricultura familiar. Perdemos 90% do arroz, 85% milho e quase todo o feijão. Faltou água para os animais beberem, não tem pasto e as pessoas estavam vendendo suas criações por não ter como mantê-las vivas”, afirma.


Segundo o prefeito Ronaldo Barbosa, a última chuva, de domingo (19), não teve nem 5 milímetros.


A cidade é o retrato do estado: dos 224 municípios piauienses, apenas 12 não entraram em emergência. Elesbão Veloso está situada a 160 km de Teresina. A cidade, de 14.496 habitantes, possui uma economia baseada principalmente na atividade agropecuária, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Quem movimenta o comércio da cidade são os pequenos agricultores. Com a atividade econômica arruinada, a maioria tem se mantido com dinheiro do Bolsa Família – programa social do governo federal. Cerca de 3.000 famílias são atendidas pelo programa.


Campo atrás de Gildenor era tomado por ovelhas;
hoje restam poucas cabeças (Foto: Pedro Santiago
/G1)


O número de sócios do Sindicato dos Trabalhadores Rurais também dá a dimensão da dependência da agricultura como fonte de subsistência: são 8.500, mais da metade da população da cidade.


O agricultor Gildenor Sena, de 35 anos, diz ter visto parte de seu rebanho de ovelhas e oito vacas de propriedade de seu sogro morrerem por falta de comida. “Eu saía no meio do mundo atrás de capim para esses bichos comerem, mas teve uma hora que acabou tudo e não tivemos condições de comprar ração. Vi as vacas caindo no chão no curral, sem forças, e o que restou dos meus animais está preso”, relata o agricultor, que mora em Várzea Primeira, na zona rural de Elesbão Veloso.


Restante da criação de ovelhas de Gildenor Sena
(Foto: Pedro Santiago/G1)


Casado e pai de dois filhos, o pequeno produtor conta que sua propriedade já foi uma grande criadora de ovelhas.


“Antes, o campo aqui atrás ficava cheio de animais, mas nos últimos três anos as coisas só têm piorado. A chuva é cada vez menor e a colheita também. Eu preparei a terra para plantar neste ano porque o homem da roça tem que ter fé e plantar de um jeito ou de outro. No ano passado foi ruim, mas do jeito que as coisas vão, este está prometendo ser ainda pior."




Fé inabalável

Manoel Cornélio, de 39 anos, também enfrenta dificuldades. Ele vive apenas da roça, dos trabalhos que faz no campo e da ajuda de programas assistenciais do governo federal.


“Não colhi um legume no ano passado. Antes, a gente estava com tudo plantado até o dia 12 de dezembro e já estamos na primeira quinzena de janeiro e quase ninguém plantou porque não tem chuva. Só tivemos o que comer em 2013 porque temos o Bolsa Família e o Bolsa Estiagem. Só temos o que beber porque o carro-pipa vem deixar água para nossa cisterna. Não ganho uma diária de trabalho há seis meses”, relata.




Apesar de tudo, a fé de que a chuva irá chegar com força e semear as plantações permanece inabalável para o agricultor. “Temos que crer que Deus vai mandar chuva e por isso plantamos. Temos que ter fé que a planta vai crescer e acreditar que vamos colher o legume que vai alimentar nossa família ao longo do ano”, afirma.


Áreas preparadas para o plantio e à espera de
chuva podem ser vistas por todo o município
de Elesbão Veloso (Foto: Pedro Santiago/G1)


Auxílio

Ao decretar situação de emergência, o município pode receber ajuda para diminuir os efeitos da seca. Foram reconhecidos quatro decretos durante 2013 - um em janeiro, um em abril, um em maio e um em novembro.


Cerca de 1.050 famílias da cidade passaram a receber o Bolsa Estiagem, uma auxílio de até R$ 1.520 em parcelas mensais de R$ 80, por meio do cartão de pagamento do Bolsa Família ou do Cartão Cidadão.


"Decretei emergência, mas o município não recebeu verbas, e sim máquinas e apoio para a inscrição nos programas sociais. No ano passado, recebemos do governo federal uma máquina motoniveladora patrol, uma retroescavadeira, um carro-pipa e um caminhão basculante. Além disso, o município também conseguiu aderir ao Seguro Safra e ao Bolsa Estiagem”, afirma o prefeito.


Segundo Barbosa, a situação é crítica. “O auxílio dado pelo governo federal nos ajuda a passar por esse momento de crise, mas outra boa alternativa seria aumentar a receita do município. Assim, a prefeitura de Elesbão conseguiria ajudar de imediato os agricultores, porque o município não tem verba nem para furar um poço.”


Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Edir Rufino, até o fim de 2013 havia dois caminhões-pipa trabalhando no abastecimento de comunidades rurais, mas o contrato com a Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec) foi encerrado no último dia do ano.


Não colhi um legume no ano passado. Antes, a gente estava com tudo plantado até o dia 12 de dezembro e já estamos na primeira quinzena de janeiro e quase ninguém plantou porque não tem chuva. Só tivemos o que comer em 2013 porque temos o Bolsa Família e o Bolsa Estiagem"


Manoel Cornélio, agricultor


“Agora temos apenas um caminhão-pipa fazendo o abastecimento. Com o início das chuvas, a demanda diminuiu um pouco, mas ainda existem algumas localidades que necessitam. Pedimos à Sedec a perfuração de 50 poços, além da construção e barragens, mas nada disso chegou até o momento. Também conseguimos que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) instalasse um posto para distribuição de milho para os criadores”, relata o secretário.




O pedido agora é para que a unidade da Conab se torne permanente, visto que o contrato atual prevê que ela funcione apenas até o mês de fevereiro. “Queremos que a Conab tenha um polo fixo aqui para o município. Isso ajudaria muito a nossa situação, daria mais segurança aos nossos agropecuaristas. Também estamos pleiteando mais dois tratores junto à Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) para ajudar a desmatar e arar, cavar açudes. Queremos reservatório de água para a época de seca."


Animais procuram por comida na vegetação recém-brotada (Foto: Pedro Santiago/G1)





















































fonte:http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2014/01/chuva-nao-diminui-seca-em-cidade-que-decretou-emergencia-4-vezes.html

É o fim mesmo: Em Washington, ciclistas pagam imposto por CO2 liberado na respiração



Senadores do estado de Washington, nos Estados Unidos, propuseram um imposto direcionado especificamente aos ciclistas. A taxa entraria em um pacote de medidas adotadas para que o governo libere dez milhões de dólares a serem investidos em transporte.

De acordo com o site norte-americano The Examiner, a população terá que lidar com um aumento nos impostos embutidos no combustível, na compra de carros e agora até mesmo para quem deseja comprar a bicicleta com o intuito de usá-la para o transporte ou diversão.

A medida se aplica a todas as bikes comercializadas a US$ 500 ou mais. Alguns grupos locais até concordaram com a medida, justificando que os ciclistas também utilizam as ruas, portanto devem compartilhar os gastos em manutenção juntamente com os motoristas.

No entanto, o fato mais intrigante é que esta não foi a explicação dada pelas autoridades. O senador Ed Orcutt alegou que o imposto está relacionado às emissões de gás carbônico geradas pelos ciclistas. “O ciclista tem um aumento no ritmo cardíaco e na respiração. Isso significa que o ato de andar de bicicleta emite mais CO2 que um motorista. Desde que o CO2 é considerado um gás de efeito estufa e um poluente, então os ciclistas realmente poluem o ar enquanto passeiam”, justificou em declaração ao blog Seattle Bike.

A medida pode prejudicar, principalmente, os comerciantes locais que possuem pequenos negócios relacionados à bike, que terão que encontrar alternativas para manter suas vendas, mesmo com a inclusão do imposto. Com informações do The Examiner e do blog Seattle Bike.

Gases de vacas causaram explosão em estábulo

Foto de arquivo (foto AP)

Um estábulo em Rasdorf, no centro da Alemanha, explodiu, esta terça-feira, devido à flatulência libertada pelas 90 vacas que se encontravam ali alojadas.

Segundo disse à AFP um porta-voz da polícia, a explosão destruiu o telhado do estábulo, provavelmente por se tratar de um espaço «pouco ventilado».

As vacas produziram metano, o principal componente do gás natural, e este «reagiu possivelmente a uma descarga eletrostática», acrescentou o responsável.

O incidente não provocou feridos, segundo um comunicado da polícia, e apenas um dos animais foi vítima de queimaduras.

De referir que todos os animais de criação produzem metano através da flatulência, porém, os ruminantes (bovinos, ovinos ou caprinos) produzem maior quantidade deste gás do que os monogástricos (caso dos suínos e das aves de capoeira).

fonte:http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=456447

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Profecia do juizo final: pombas da Paz soltas pelo Papa Francisco atacadas por uma gaivota e um corvo

Em verdade vos digo: no dia do juízo haverá mais indulgência com Sodoma e Gomorra que com aquela cidade.
Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.
Em verdade vos digo: no dia do juízo haverá mais indulgência com Sodoma e Gomorra que com aquela cidade.
Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas. (Mateus 10:15-16)

Pombas da Paz soltas pelo Papa Francisco atacadas por uma gaivota e um corvo
Num gesto que simboliza a Paz, duas pombas brancas foram soltas, este domingo (26), pelo Papa Francisco e por duas crianças. No entanto, o inesperado aconteceu quando uma gaivota e um corvo apareceram e atacaram as aves.

De acordo com o «The Mirror», milhares de pessoas assistiram ao incidente, que teve lugar durante a cerimônia religiosa, na Praça de São Pedro, em Itália.










Conheça o caramujo gigante capaz de furar pneus e devorar casas

A espécie chegou aos Estados Unidos na década de 1960 e cresceu absurdamente em número, causando uma verdadeira infestação em algumas cidades da Flórida


O biólogo Robert Cowie, da Universidade do Havaí, conta que os primeiros exemplares do caramujo-gigante-africano (Lissachatina fulica) chegaram ao país na década de 1930 por meio dos imigrantes japoneses que queriam criar esses animais como bichos de estimação. Desde então, esse molusco acabou assumindo o controle ecológico e ganhando espaço na agricultura entre as espécies nativas da região.

Já na década de 1960, os caramujos-gigantes-africanos foram levados para os Estados Unidos de uma maneira quase inacreditável: de acordo com o site Wired, um menino que passava as férias no Havaí com a família acabou guardando consigo alguns exemplares do animal.

Nessa época, os caramujos já estavam sendo combatidos no Havaí e mal sabiam os americanos que eles logo se tornariam uma ameaça por lá também. De volta para casa, o menino logo se cansou dos moluscos e os entregou para sua avó, que acabou por soltar os caramujos no jardim. Como essa espécie se reproduz com muita facilidade, não é difícil imaginar a dimensão da situação que o menino inocentemente criou.

Fonte da imagem: Shutterstock
Campeões de reprodução

Além de serem hermafroditas, os moluscos africanos são, digamos, bons amantes. Assim fica fácil entender como a espécie conseguiu se espalhar pelo mundo inteiro. O biólogo explica que esses animais possuem os dois sexos e se adaptam de acordo com a situação. Em alguns casos, eles conseguem até mesmo cruzar reciprocamente.

Uma vez fertilizado, o caramujo enterra centenas de ovos a alguns centímetros da superfície do solo. Por causa do tamanho impressionante da espécie – que pode chegar a medir 30 centímetros e pesar quase meio quilo –, os pequenos moluscos nascem maiores do que as espécies nativas, o que representa uma vantagem contra os predadores.

Porém, enquanto o animal se multiplica rapidamente, o seu combate é muito mais demorado. A Flórida precisou de sete anos para erradicar os caramujos e em alguns países simplesmente não é possível controlar o número de animais.

Fonte da imagem: Reprodução/Metro
Uma nova infestação

A má notícia é que em 2011 ocorreu uma nova infestação na Flórida. Desta vez, não foi nenhuma criança adorável quem carregou os animais de volta para o território americano, mas sim praticantes de religiões ligadas ao vodu. Dá pra acreditar?

Cowie explica que o muco do animal é utilizado em alguns rituais e ele suspeita que os praticantes tenham soltado os caramujos na região de Miami para que eles pudessem se reproduzir livremente. Embora o animal seja usado em rituais de cura, existem relatos de que as pessoas que ingerem o muco do molusco passam violentamente mal.

Independente de quem seja a culpa, a nova infestação preocupa as autoridades competentes. Para termos uma ideia da dimensão do problema, estima-se que os agricultores tenham recolhido 137 mil caramujos nos últimos dois anos. Em termos de comparação, apenas 17 mil animais tinham sido coletados na década de 1960.

Fonte da imagem: Shutterstock
O impacto ambiental

Hoje, os moradores de Miami são obrigados a conviver com essas criaturas que causam uma série de transtornos. Além de se alimentarem de 500 tipos de plantas economicamente relevantes na região, os moluscos gigantes estão começando a devorar as casas, preferencialmente aquelas cujo acabamento contém cálcio, que é a substância que eles mais precisam para manter seu crescimento e fortalecer suas conchas. Ou você pensou que era fácil manter o corpinho em dia quando se é um caramujo gigante?

Se isso já não fosse o bastante, esses animais também estão atrapalhando a vida dos motoristas, que precisam ter cuidado redobrado ao dirigir por áreas infestadas. Por causa de suas conchas grandes, fortes e pontiagudas, elas acabam furando os pneus dos veículos que passam por cima delas. Todos esses problemas estão fazendo com que o estado da Flórida desembolse milhões de dólares na tentativa de combater os animais.

Talvez você tenha imaginado que incluir esses animais na alimentação seria uma boa saída para diminuir o número de exemplares soltos na cidade. De fato, os caramujos-gigantes-africanos podem ser consumidos, mas eles precisam ser extremamente bem cozidos para eliminar o risco de doenças, já que essa espécie é hospedeira natural do parasita que causa meningite. Ainda existem casos de pessoas que ingerem o animal inadvertidamente, afinal, eles estão presentes em muitas plantas que também fazem parte da nossa alimentação.

Agora, o que realmente não deve ser feito é jogar sal em cima do molusco. A osmose faz com que o animal desidrate e morra de maneira cruel. Os moradores que encontrarem caramujos são orientados a utilizar venenos específicos ou reportar às autoridades competentes.

Ampola com sangue do papa João Paulo 2º é roubada na Itália

A polícia da Itália informou nesta segunda-feira (27) que uma ampola com o sangue do papa João Paulo 2º foi roubada na noite de domingo da igreja de San Pietro della Iencca, em Abruzzo, na região central do país. O local era muito visitado pelo pontífice, que morreu em 2005 e será canonizado em abril.
Segundo as autoridades, a ampola foi retirada de um relicário que também continha um crucifixo. Cerca de 50 agentes fazem buscas na região com cães farejadores, mas ainda não encontraram os criminosos. A polícia suspeita que o sangue seja usado para um ritual satânico.
Foto: Reprodução

A ampola foi retirada de um relicário que também continha um crucifixo
A igreja fica perto da montanha do Gran Sasso, na cordilheira dos Apeninos, uma região muito querida por João Paulo 2º que a visitou várias vezes para meditar, passear e até esquiar nos primeiros anos de seu pontificado, iniciado em 1978.
Só existem três frascos com sangue do papa João Paulo 2º no mundo. Em agosto de 2012, três ladrões a bordo de um trem roubaram uma mochila de um padre que continha um relicário em forma de livro onde estava a ampola de sangue do pontífice.

O material, no entanto, foi encontrado horas depois perto da estação de ferrovia de Marina di Cerveteri, no litoral de Roma. João Paulo 2º será canonizado pelo papa Francisco em 27 de abril, junto com João 23, em uma celebração no Vaticano. 

fonte:http://www.portalodia.com/noticias/mundo/ampola-com-sangue-do-papa-joao-paulo-2o-e-roubada-na-italia-194318.html

domingo, 26 de janeiro de 2014

Wikileaks revela que EUA tentou interferir em pesquisas nucleares no Brasil


Bomba! Bomba!

O outro telegrama da diplomacia norte-americana divulgado pelo Wikileaks e que também revela intenções de veto e ações contra o desenvolvimento tecnológico brasileiro veio a tona de forma torta pela Revista Veja, e fala da preocupação gringa sobre o trabalho de um físico brasileiro, o cearenseDalton Girão Barroso, do Instituto Militar de Engenharia, do Exército. Giráo publicou um livro com simulações por ele mesmo desenvolvidas, que teriam decifrado os mecanismos da mais potente bomba nuclear dos EUA, a W87, cuja tecnologia é guardada a 7 chaves.
A primeira suspeita revelada nos telegramas diplomáticos era de espionagem. E também, face à precisão dos cálculos de Girão, de que haveria no Brasil um programa nuclear secreto, contrariando, segundo a ótica dos EUA, endossada pela revista, o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, firmado pelo Brasil em 1998, Tal como o Acordo de Salvaguardas Brasil-EUA, sobre o uso da Base de Alcântara, o TNP foi firmado por Fernando Henrique. Baseado apenas em uma imperial desconfiança de que as fórmulas usadas pelo cientista brasileiro poderiam ser utilizadas por terroristas , os EUA, pressionaram a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que exigiu explicações do governo Brasil , chegando mesmo a propor o recolhimento-censura do livro “A física dos explosivos nucleares”. Exigência considerada pelas autoridades militares brasileiras como “intromissão indevida da AIEA em atividades acadêmicas de uma instituição subordinada ao Exército Brasileiro”.

Desarmamento unilateral

A revista publica providencial declaração do físico José Goldemberg, obviamente, em sustentação à sua linha editorial de desarmamento unilateral e de renúncia ao desenvolvimento tecnológico nuclear soberano, tal como vem sendo alcançado por outros países, entre eles Israel, jamais alvo de sanções por parte da AIEA ou da ONU, como se faz contra o Irã. Segundo Goldemberg, que já foi secretário de ciência e tecnologia, é quase impossível que o Brasil não tenha em andamento algum projeto que poderia ser facilmente direcionado para a produção de uma bomba atômica. Tudo o que os EUA querem ouvir para reforçar a linha de vetos e constrangimentos tecnológicos ao Brasil, como mostram os telegramas divulgados pelo Wikileaks. Por outro lado, tudo o que os EUA querem esconder do mundo é a proposta que Mahmud Ajmadinejad , presidente do Irà, apresentou à Assembléia Geral da ONU, para que fosse levada a debate e implementação: “Energia nuclear para todos, armas nucleares para ninguém”. Até agora, rigorosamente sonegada à opinião pública mundial.
Como é conhecido, o Ministro da Defesa, Nelson Jobim, vocalizando posição do setor militar contrária a ingerências indevidas, opõe-se a assinatura do protocolo adicional do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, que daria à AIEA, controlada pelas potências nucleares, o direito de acesso irrestrito às instalações nucleares brasileiras. Acesso que não permitem às suas próprias instalações, mesmo sendo claro o descumprimento, há anos, de uma meta central do TNP, que não determina apenas a não proliferação, mas também o desarmamento nuclear dos países que estão armados, o que não está ocorrendo.

"Embaixador cósmico" pede a Dilma autorização para pouso de óvni


Um mineiro de 55 anos que se apresenta como embaixador cósmico tenta conseguir autorização do governo federal para o desembarque de uma nave espacial em Belo Horizonte em julho deste ano e diz que a empreitada é dificultada pela presença de agentes americanos que monitoram o gabinete. “Estou numa queda de braço com o governo americano com dois fiscais instalados em uma sala ao lado da Dilma”.




Ele conta que enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff e tem telefonado insistentemente para assessores da Presidência para conseguir o aval. “Tinha que vender minha casa de tanta ligação que eu já fiz se o telefone não fosse 0800”, diz ele, em referência a uma decisão judicial contra uma operadora que teria permitido seis meses de ligações gratuitas.




Marques afirma que enviou, além da carta, uma farta documentação capaz de comprovar a influência do que chama de “tecnologia superior” nas manifestações de junho. “Muita gente viu ovnis sobrevoando os manifestantes”, afirma. O próprio Marques teria facilitado a ação desta tecnologia ao dedetizar no fim de 2012 o obelisco do centro de Belo Horizonte (popularmente conhecido como “pirulito”) com água benta do arcanjo Gabriel no intuito de despertar o gigante brasileiro. O gigante, inclusive, tem nome. “É espatacassauro. Aquele que espatacassa o mal com um empurrãozinho de dinossauro.”




A dedetização aconteceu na data marcada para o fim do mundo: 21 de dezembro. Para a ocasião, Marques também havia solicitado à prefeitura a liberação da área do obelisco para o pouso de uma nave. O evento reuniria cerca de 140 mil participantes. A prefeitura negou permissão, alegando que o local não seria capaz de abrigar um encontro de tal porte. A falta de abertura para negociações da prefeitura provocou a fúria do espatacassauro que, segundo Marques, foi o responsável pela morte de manifestantes do viaduto José Alencar durante a série de protestos.




Além da existência do espatacassauro, Marques dispara, com tranquilidade e voz mansa, uma série de revelações como “Gandalf é do Paraguai”, “o ‘pirulito’ é uma réplica de um obelisco marciano” e “há uma nave igual a um porta-aviões atrás da Praça do Papa”.




A maior preocupação dele, no entanto, é conseguir a permissão para o pouso de julho, porque acredita que a nave poderá trazer de volta às suas famílias pessoas desaparecidas - desde que os parentes façam cadastro antecipadamente. A carta enviada para a Presidência cita apenas Belo Horizonte, mas ele está em contato também com autoridades de Varginha, onde a presidente afirmou no ano passado que "tem muito respeito" ao famoso ET local.




Marques também pretende alertar à presidente Dilma que existe tecnologia extraterrestre que permite interromper as chuvas que deixam milhares de desabrigados em todo o País. Generosamente, ele dá uma última orientação, que considera importantíssima. Ao avistar um ovni, deve-se dizer “arcanjo Gabriel, estou em contato” para receber a proteção do guardião da raça humana. Se quem sobrevoa tiver más intenções, será localizado.






fonte:http://entretenimento.surgiu.com.br/noticia/134479/embaixador-cosmico-pede-a-dilma-autorizacao-para-pouso-de-ovni.html

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Primeiro canhão de antimatéria está pronto e disparando


Redação do Site Inovação Tecnológica - 22/01/2014




Cientistas do CERN, a instituição que comanda o LHC, conseguiram pela primeira vez produzir um feixe de antimatéria.


O disparo de átomos de anti-hidrogênio - ou antiátomos de hidrogênio - foi feito pela equipe ASACUSA, sigla em inglês para "Espectroscopia Atômica e Colisões Usando Antiprótons Lentos".


A antimatéria primordial nunca foi observada no Universo, e sua ausência continua sendo um grande enigma científico - o modelo cosmológico do Big Bang estabelece que foram criadas quantidades iguais de matéria e antimatéria.



No entanto, é possível produzir quantidades significativas de anti-hidrogênio no CERN, em experimentos misturando antielétrons (pósitrons) e antiprótons.


O feixe de antimatéria produzido, por enquanto, é bastante ralo: a equipe detectou 80 átomos de anti-hidrogênio a 2,7 metros do local de sua produção e disparo, uma distância onde a influência perturbadora dos campos magnéticos utilizados para produzir os antiátomos é pequena.





O "canhão de antimatéria" ejeta os antiátomos do local de sua produção e armazenamento para um ponto distante o suficiente da ação dos campos magnéticos. [Imagem: Cern]


Por que um canhão de antimatéria?


A teoria estabelece que os espectros do hidrogênio e do anti-hidrogênio são idênticos.


Assim, qualquer pequena diferença entre eles imediatamente abriria uma janela para uma nova física, e poderia ajudar a resolver o mistério da antimatéria.


Matéria e antimatéria se aniquilam imediatamente quando se encontram, liberando raios gama. Por isso, além de criar o anti-hidrogênio, um dos principais desafios é manter os antiátomos longe da matéria comum.


Para isso, os físicos tiram proveito das propriedades magnéticas do anti-hidrogênio - que são semelhantes às do hidrogênio - e usam campos magnéticos muito fortes e não-uniformes para prender os antiátomos para estudá-los.


Contudo, os fortes gradientes do campo magnético da armadilha degradam as propriedades espectroscópicas dos antiátomos, atrapalhando seu estudo.


A saída então é criar um "canhão de antimatéria", que ejete os antiátomos do local de sua produção e armazenamento para um ponto distante o suficiente da ação dos campos magnéticos.


Foi isso o que a equipe ASACUSA conseguiu, construindo um canhão que dispara os átomos de antimatéria de sua armadilha magnética a uma distância de quase três metros.


Segundo os pesquisadores, o próximo passo será otimizar a intensidade e a energia cinética dos feixes de anti-hidrogênio - tornar o canhão mais potente - e compreender melhor o estado quântico da antimatéria.


fonte:http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=canhao-de-antimateria&id=010115140122

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

É tanta poluição que a China exibe o nascer do Sol em painéis televisivos!

Em Pequim, a cidade amanhece sob uma densa fumaça de poluição, com grande risco à saúde da população


A realidade é suja e cinzenta, especialmente nas manhãs da capital chinesa. A poluição em Pequim tem atingido níveis perigosíssimos, com grande risco à saúde da população e escondendo o Sol atrás de densas camadas de fumaça.

A população adulta utiliza máscaras para proteger as vias respiratórias do ar altamente intoxicante que domina a cidade, enquanto crianças e idosos são aconselhados a ficar em casa nos dias em que a poluição está alta demais.

A situação é tão grave que o governo resolveu transmitir imagens do nascer do Sol em painéis televisivos espalhados na cidade. As telas utilizadas para exibir informações turísticas e comerciais agora apresentam também uma recriação digital do amanhecer escondido pela poluição do ar.



Durante o inverno chinês, a estagnação climática leva à permanência de grossas nuvens de fumaça sobre a cidade. Além disso, a queima de carvão e combustíveis é maior no período, enquanto muitos chineses procuram se aquecer do frio, o que aumenta ainda mais a concentração de partículas tóxicas na atmosfera.
Intragável

A China tem pela frente uma crise séria a enfrentar. Por anos, a questão ambiental foi negligenciada em prol do desenvolvimento econômico e industrial, e agora o país se vê obrigado a regular a emissão de agentes poluentes no ar.

Um dos índices utilizados para medir a qualidade do ar verifica a quantidade de partículas inaláveis com diâmetro inferior a 2,5 micrômetros por metro cúbico, o chamado PM 2,5. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera seguro um valor de 25 microgramas. Pequim, neste mês de janeiro, tem apresentado valor acima dos 600 microgramas.

O problema da poluição não atinge apenas a capital, e outras cidades chinesas têm apresentado números alarmantes pelo índice PM 2,5. Províncias ao norte, com forte atividade industrial, tiveram registros acima de 1 mil microgramas, enquanto a costeira Xangai também ultrapassou as 600 micropartículas inaláveis por metro cúbico.

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/telas/49330-e-tanta-poluicao-que-a-china-exibe-o-nascer-do-sol-em-paineis-televisivos-.htm#ixzz2r2HH3TVq

sábado, 18 de janeiro de 2014

Neste Sábado: O Fim do Mundo – Ou Não?

yellow2 Neste Sábado: O Fim do Mundo   Ou Não?

Sempre pensei que a Humanidade fosse eterna, qual seja: veio para ficar e através de milênios, dezena, centenas deles, evoluiríamos sempre.
Mas...não é bem assim.
A Terra tem em torno de 4.500.000.000 de anos, e a nossa espécie humana surgiu há cerca de 500.000 anos. Como civilização em torno de 6.000 anos.
Isso não é nada se comparado à extensão da nossa humana presunção de senhores do Mundo.
Sabemos da extinção dos neanderthais, da extinção também dos dinossauros...e ainda assim nos achamos eternos.
Vã certeza.
Há nos EEUU, no Parque Yellowstone,  um grande vulcão que pode arrebentar de uma hora para outra. Se isso acontecer haverá suas cinzas e fumaça cobrirão a Terra por anos.  Trevas e gelo, escuridão e a morte de tudo que hoje conhecemos como vida podem  desaparecer.
Podemos afirmar que o Sol escurecerá, os astros cairão sobre a Terra, a Lua desaparecerá...uma imagem apocalíptica.
O mesmo pode suceder se um dos cometas errantes no espaço chocar-se com a Terra como aconteceu na extinção dos dinossauros.
Portanto, meus amigos, mais humildade e temor. Menos presunção e arrogância. Como indivíduos já nada somos, posso sair deste mundo no instante mesmo que escrevo estas letras.
Como Humanidade somos também nada e se vivemos como "senhores da natureza" é apenas porque alguma misericórdia universal ainda nos poupa.
Mas é claro que hoje é sábado e nada nos impede, enquanto o Mundo, não acaba de irmos à praia;  ao cinema ou ao teatro  com a namorada ou companheira; de jantarmos com satisfação ou de simplesmente  gozarmos a plenitude de uma brisa fresca abatendo-se sobre nossas faces.
Sobrepondo-se ás palavras aterrorizantes com que iniciei este post vem-me à lembrança o samba de Assis Valente: "Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar...e o Mundo não se acabou."
Aproveitemos o sábado. Carpe diem.

fonte:http://entretenimento.r7.com/blogs/bemvindo-sequeira/2014/01/18/neste-sabado-o-fim-do-mundo-ou-nao/

Relógio do Juízo Final a 5 minutos do apocalipse

Relógio do Juízo Final a 5 minutos do apocalipse


O relógio simboliza a vulnerabilidade do Planeta e indica quanto tempo resta aos seres humanos até à sua destruição. Ao longo do último ano, os ponteiros não se moveram e mantiveram-se nos cinco minutos para a meia-noite.
Aquele que ficou conhecido como o "Relógio do Juízo Final" representa, em minutos para a meia noite, quanto tempo resta ao homem até à sua destruição total. Ao longo do último ano, os ponteiros do relógio continuaram fixos nos cinco minutos para a meia noite, posição que mantêm desde janeiro de 2012, refere um artigo hoje publicado pelo jornal espanhol 'ABC' relativo a uma decisão divulgada pelo Boletim dos Cientistas Atómicos no dia 13.
O relógio foi criado em 1947, na Universidade de Chicago, e é um indicador universal da vulnerabilidade do Planeta. De acordo com o Boletim dos Cientistas Atómicos, entidade que o regula, a civilização enfrente riscos permanentes.
Assim, os ponteiros aproximam-se ou afastam-se da meia-noite conforme a situação política, científica e militar no mundo. O comité científico do Boletim realiza, com a ajuda de vários peritos, faz as suas análises e decide se deve avançar, recuar ou manter inalterada a posição dos ponteiros.
Desta vez, os cientistas concluíram que o risco de uma catástrofe tecnológica que destrua a civilização continua alto e, por isso, o relógio contínua a marcar cinco minutos para a meia-noite. Como explicam numa carta enviada ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, os progressos para reduzir a ameaça representada pela evolução das armas nucleares são limitados.
O mais notável, consideram ser o acordo provisório entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China), mais a Alemanha e o Irão, no sentido de desenvolver um "plano de ação conjunta" sobre o programa nuclear iraniano.

fonte: http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=3638394&seccao=Sabia%20que

domingo, 12 de janeiro de 2014

Piloto afirma que passou "raspando" por óvni em Londres

Um piloto relatou quase ter colidido com um óvni perto do aeroporto de Heathrow, em Londres. Ele afirma que estava certo de que o objeto, que tinha forma de uma bola de rúgbi, iria acertar o avião, mas o óvni acabou por desviar. As informações são do site do jornal britânico Telegraph.



Uma investigação não foi capaz de identificar o objeto. O piloto afirma que tentou desviar seu A320 quando viu o objeto, que acabou por passar a poucos metros do avião. O caso ocorreu em 13 de julho, às 18h53 locais.



Quando ele se recompôs, checou os instrumentos e contatou o tráfego aéreo para relatar o incidente. Contudo, não havia sinal do misterioso objeto voador.



Uma agência britânica investigou o caso e procurou por outras aeronaves na região no momento do incidente, mas não achou o responsável. Ela procurou também por balões meteorológicos, mas nenhum foi solto na região. Balões de brinquedo foram descartados por serem muito pequenos em relação ao óvni descrito. Radares militares não registraram o objeto.



O relatório, afirma o jornal, não divulga a linha nem a companhia aérea do avião.


Fonte:http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/piloto-afirma-que-passou-raspando-por-ovni-em-londres,8fee5f2889463410VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html

sábado, 11 de janeiro de 2014

Falha no sistema que recicla água radioativa de Fukushima.

Engenheiros ainda não detectaram a causa do problema. 

Sistema retira material radioativo de água usada para esfriar reatores.

Vista áerea da usina de Fukushima, em foto de arquivo feita no dia 20 de agosto, mostra os tanques com água contaminada na parte inferior da imagem. (Foto: Kyodo/Arquivo/Reuters)Vista áerea da usina de Fukushima, em foto de arquivo feita no dia 20 de agosto de 2013, mostra os tanques com água contaminada na parte inferior da imagem (Foto: Kyodo/Arquivo/Reuters)
Os técnicos da usina nuclear de Fukushima, no Japão, interromperam em função de uma avaria o sistema de reciclagem de água radioativa da central e não sabem em que data poderá ser reativado, confirmou à Agência Efe a operadora da central, a Tokyo Electric Power (Tepco).
A falha foi detectada na véspera no guindaste que movimenta o contêiner que armazena as substâncias poluentes retiradas da água.
Quando este tanque fica cheio, deve ser retirado e substituído por outro com o uso da grua, por isso o tratamento do líquido teve que ser interrompido, explicou uma porta-voz da Tepco.

Os engenheiros não conseguiram detectar ainda a causa do problema e demorarão entre um e dois dias para revisar completamente o guindaste.
Além disso, não se sabe quanto tempo demorará para a avaria ser corrigida e quando a água voltará a ser reciclada, acrescentou o porta-voz.
O Sistema Avançado de Processamento de Líquidos (ALPS) retira da água usada para esfriar os danificados reatores de Fukushima 62 tipos de materiais radioativos, com exceção do trítio.
Por meio do ALPS, a Tepco pretende limpar até março de 2015 toda a água armazenada em mais de mil contêineres espalhados pelas instalações de Fukushima.
No ano passado, vários destes tanques deixaram escapar água altamente contaminada, que acabou alcançando o mar, por isso a empresa elétrica considera muito importante poder descontaminar a água no prazo marcado para evitar episódios similares.
O acidente provocado pelo terremoto e o tsunami de 11 de março de 2011 na central de Fukushima provocou no pior desastre nuclear desde Chernobyl (Ucrânia), em 1986.
As emissões radioativas resultantes obrigaram 52 mil pessoas que viviam perto da usina a se deslocarem e afetaram a agricultura, pecuária e pesca locais.

fonte:http://g1.globo.com/natureza/noticia/2014/01/sistema-que-recicla-agua-radioativa-de-fukushima-e-interrompido.html

Detectado aumento de radiação na zona limítrofe de Fukushima


O aumento foi atribuído à radiação emitida pela água contaminada armazenada, que é gerada no processo de resfriamento dos reatores danificados pelo tsunami de 2011
Os níveis de contaminação radioativa na área limítrofe da central nuclear de Fukushima aumentaram oito vezes desde agosto passado devido sobretudo ao armazenamento de água contaminada, noticiou hoje o jornal local Mainichi.
Segundo as medições da operadora da central Tokyo Electric Power (TEPCO), a radiação causada na zona pela exposição da água contaminada, escombros e outros resíduos acumulados em Fukushima era de um milisievert por ano em março passado, dentro do limite recomendado, mas aumentou até 7,8 em agosto, escreve a agência Efe.
O aumento foi atribuído à radiação emitida pela água contaminada armazenada, que é gerada no processo de resfriamento dos reatores danificados pelo tsunami de 2011.
O acidente provocado pelo terramoto e tsunami de 11 de março de 2011 na central de Fukushima causou o pior desastre nuclear desde o de Chernobyl (Ucrânia) em 1986.
Cerca de 52 mil pessoas que viviam perto da central tiveram que deixar seus lares por causa dos perigos da radiação, que também afetaram gravemente a agricultura, a pecuária e a pesca local.

fonte:http://www.ionline.pt/artigos/mundo/detectado-aumento-radiacao-na-zona-limitrofe-fukushima

Atos de canibalismo registados em Bangui... Cristãos devoram muçulmano

Violência em Bangui (foto AP)


Por Redação

Atos de canibalismo foram cometidos esta semana em Bangui, capital da República Centro-Africana, durante linchamentos de habitantes por parte de grupos de saqueadores nos bairros do norte da capital.

«A cena passou-se à minha frente na terça-feira passada no bairro Modoua», disse à AFP Jean-Sylvestre Tchya, de 35 anos, uma testemunha no local.

Tchya disse ter visto um muçulmano que foi «surpreendido por um grupo de pessoas que o linchou e decapitou com um machete», tendo partes do seu corpo sido comidas pelos atacantes.

Recorde-se que o presidente centro-africano de transição, Michel Djotodia, apresentou a demissão na sexta-feira em Ndjamena, capital do Chade, pressionado pelos dirigentes da África Central e acusado pela comunidade internacional em geral de passividade face à violência entre cristãos e muçulmanos no país.

fonte:http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=452783

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Nova explosão solar pode causar tempestade geomagnética na Terra



Uma grande erupção solar foi registrada nesta semana e as partículas eletromagnéticas estão chegando à Terra. Por enquanto, especialistas descartam grandes transtornos em satélites ou no abastecimento energético

Satélite Solar Dynamics Observatory, da Nasa, registrou erupção do SolFoto: Nasa/SDO / Divulgação

Foi no dia 13 de março de 1989 que uma tempestade solar paralisou completamente uma rede elétrica na província de Quebec, no Canadá. Seis milhões de pessoas ficaram no escuro por nove horas. A pane foi causada por partículas que partiram do Sol durante a tempestade e pararam na Terra, e que provocaram alterações no campo magnético do planeta.

Desta vez, as consequências não devem ser tão dramáticas, informou o Centro Alemão de Pesquisa de Geociências da Associação Helmholtz, situado em Potsdam. Na noite desta quinta-feira (09/01), acontenceu o ápice do bombardeio de partículas. Um pouco ante da chegada da tempestade solar, pesquisadores afirmaram que as variações no campo magnético estavam moderadas.

Inversão magnética

Mas não se escapa tão facilmente de uma erupção solar forte. "Se o campo magnético gerado pela tempestade solar corresponde ao campo magnético e as correntes da Terra, então ocorrem interações", explica Klaus Börger, do Centro de Operações Espaciais, que atua em parceria com o Centro Aeroespacial Alemão e as Forças Armadas. As cargas podem seguir adiante e queimar transformadores elétricos em subestações, uma vez que as linhas de energia funcionam como antenas gigantes.

Erupções violentas do sol – as chamadas ejeções de massa coronal – acontecem sempre. Na sequência, uma nuvem de radiação cósmica viaja em direção à Terra e chega ao planeta em poucos dias. Quedas de energia como a que ocorreu em Quebec são raras, mas podem ocorrer problemas em sistemas de navegação por satélite ou em rádios.

Börger explica que uma tempestade solar lança uma grande quantidade de elétrons e prótons. As fortes tempestades eletromagnéticas podem provocar falhas no abastecimento de energia e afetar outros sistemas elétricos. Vôos também podem ser desviados para evitar esses eventos.

Sol funciona como uma usina nuclear

O sol tem 1,4 milhão de quilômetros de diâmetros. Em seu interior, as temperaturas alcançam milhões de graus Celsius. Esse calor é gerado pela fusão nuclear, na qual milhões de toneladas de hidrogênio se fundem em hélio. As explosões ocorrem quando a energia acumulada nos campos magnéticos é liberada de repente.

Três formas de radiação são liberadas. Logo após a explosão solar, há uma descarga de luz, que leva cerca de oito minutos para percorrer os 150 milhões de quilômetros até chegar à Terra. Depois de meia hora, partículas magnéticas carregadas com bilhões de volts atingem a atmosfera terrestre. Só então vem a tempestade magnética. As partículas disparadas viajam a uma velocidade de 900 quilômetros por segundo e precisam de 46 horas para cobrir a distância.

Tempestades solares representam uma ameaça à infraestrutura, que depende cada vez mais de satélites, cada mais sensível às mudanças dos campos eletromagnéticos que os cercam. Satélites que controlam sistemas de navegação por GPS em sistemas de logística, indispensáveis na navegação e aviação, são especialmente suscetíveis às atividades solares.

Influência dos campos eletromagnéticos

Börger, que também é professor de Astronomia, Física e Matemática Geodésica da Universidade de Bonn, explica que os satélites enviam informações para a Terra a uma distância de cerca de 20 mil quilômetros. "Entre mil e 50 quilômetros de altitude eles percorrem a ionosfera e isso influencia na direção e velocidade do sinal".

Receptores de GPS determinam sua posição a partir do sinal de pelo menos quatro satélites. "Pelo tempo de viagem do sinal multiplicado pela velocidade da luz eles calculam a distância até o satélite", conta Börger. Entretanto, a distorção do campo eletromagnético da ionosfera pode alterar o intervalo. "Isso pode, dependendo da matéria iônica, apresentar desvios significativos que provocam a falha no GPS", explica o cientista.

Um pico a cada onze anos

Já em 1843 o astrônomo Samuel Heinrich Schwabe descobriu que a atividade solar segue certos ciclos. Aproximadamente a cada onze anos ocorre um ponto de maior atividade. Mas a erupção mais recente está alguns meses atrasada.

As auroras polares ocorrem porque a radiação cósmica deforma o campo magnético da Terra durante as tempestades solares. As partículas carregadas pelos ventos solares são levadas ao longo da linha do campo magnético em direção aos polos, onde formam faixas de luz ou laços de cores variadas. Embora as auroras polares sejam observadas com mais frequência acima do circulo polar, é possível acompanhar o fenômeno em outros países mais ao sul como a Grã-Bretanha ou a Alemanha.

A agência espacial norte-americana Nasa acompanha as atividades solares de doze satélites, observatórios e espaçonaves. Um equipamento especial instalado em uma sonda lunar ajuda nesse trabalho: o Telescópio de Raios Cósmicos para os Efeitos da Radiação (Crater, em inglês).

A tempestade solar mais forte já documentada ocorreu em 1859. Especialistas alertam que se ocorresse outra super erupção como aquela, a infraestrutura poderia ser paralisada em boa parte do mundo em poucos minutos.

fonte:http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/nova-explosao-solar-pode-causar-tempestade-geomagnetica-na-terra,a3f90c062a873410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

Tempestade elétrica deixa 4 mortos e 21 feridos na Argentina

O fenômeno natural deixou outras 21 pessoas feridas no país



Algumas pessoas ainda permaneciam próximas aos corpos atingidos pelos raios na ArgentinaAFP

Uma adolescente que permanecia em estado grave de saúde após ser atingida por uma raio na Argentina faleceu nesta sexta-feira (10), elevando o número de vítimas no episódio que comoveu o país a quatro.

Uma tempestade elétrica de intensidade média foi registrada na tarde da quinta-feira em Villa Gesell, um balneário frequentando principalmente por jovens e adolescentes a cerca de 300 km ao sul da capital, Buenos Aires.

O ministério de Saúde local precisou que a maioria dos 21 feridos pelo fenômeno natural se encontram "fora de perigo".

Um episódio similar foi registrado há poucos meses, quando um auxiliar de treinamento do Racing Club acabou morto, sendo que diversos jogadores ficaram machucados quando um raio atingiu o campo onde treinavam.

A América do Sul é uma das regiões que mais apresentam tempestades elétricas no Planeta, em especial a Argentina.

fonte:http://noticias.r7.com/internacional/tempestade-eletrica-deixa-4-mortos-na-argentina-10012014-1

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Fogo em florestas faz Chile decretar alerta por poluição em Santiago

SÃO PAULO, SP, 9 de janeiro (Folhapress) - Os 23 incêndios florestais que atingem cinco regiões do Chile nos últimos dias fizeram com que o presidente Sebastián Piñera decretasse alerta sanitário em quatro regiões, incluindo a Metropolitana, onde fica Santiago. Hoje, a capital chilena amanheceu com altos índices de poluição provocados pela fumaça.

O maior incêndio na área de Santiago acontece em Melipilla, na área rural da Região Metropolitana, afetando a qualidade do ar em todos os bairros da cidade. Os mais afetados são Cerrillos e Puente Alto, na zona sul de Santiago, que chegaram ao nível de alerta.

O fogo já destruiu cerca de 15 mil hectares de mata nativa, pastagens e eucaliptos, segundo a Corporação Nacional Florestal (Conaf), que monitora os parques chilenos. A fumaça provocada pelo incêndio formou uma densa nuvem na cidade, dificultando a vista da Cordilheira dos Andes.

O alerta também vale para as regiões de Valparaíso, Maule e Araucanía, onde fica a cidade turística de Pucón. A Conaf afirma que, dos 23 incêndios, 18 estão controlados. O maior deles acontece em uma área próxima à cidade de Constitución, na região do Maule, no sul do país, que ainda se alastra.

Desde o início do verão, o Chile se vê afetado por 66% a mais de incêndios que no ano passado, e já foram queimados mais de 40 mil hectares em nível nacional, sem registro de vítimas. O verão na região central do país é quente e seco, chegando em alguns casos a ter períodos de mais de três meses sem chuva.

Fonte: http://www.tnonline.com.br/noticias/geral/58,236315,09,01,fogo-em-florestas-faz-chile-decretar-alerta-por-poluicao-em-santiago.shtml

2013 foi o ano mais quente na Austrália em mais de um século

2013 foi o ano mais quente na Austrália desde 1910, ano em que começou a ser efetuado o registo das temperaturas no país oceânico, indicam dados oficiais hoje divulgados.



De acordo com o Relatório Anual do Clima do Gabinete de Meteorologia da Austrália, a temperatura média no país fixou-se, durante o ano que volveu, 1,20 graus Celsius acima da média de 21,8 graus estimada no período entre os anos 1961 e 1990.

O dia mais quente de 2013 foi 07 de janeiro, mês em que se registaram também as temperaturas mais elevadas do ano.

Diário Digital / Lusa

Fonte :http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=677520

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Fukushima e o fim da humanidade! 28 provas que a califórnia está sendo fritada pela radiação!

Fukushima-Radiation

Isso mostra que os níveis de radiação nas estações de monitorização de radiações em todo o país são elevados. Como você irá notar, isto é real e verdadeiramente está acontecendo ao longo da costa oeste dos Estados Unidos.
A cada dia, 300 toneladas de água radioativa de Fukushima entra no Oceano Pacífico. Isso significa que a quantidade total de material radioativo liberado de Fukushima está constantemente a aumentar, e isso está em constante destruição da nossa cadeia alimentar.
Em última análise, toda essa radiação nuclear irá permanecer por um grande tempo. Estão dizendo que pode levar até 40 anos para limpar o desastre de Fukushima, e, entretanto, inúmeras pessoas inocentes irão desenvolver câncer e outros problemas de saúde como resultado da exposição a altos níveis dessa radiação nuclear.
Estamos falando de um desastre nuclear que é absolutamente sem precedentes, e está constantemente piorando.
A seguir, você verá 28 sinais de que a costa oeste da América do Norte está sendo absolutamente fritada com a radiação nuclear de Fukushima.
1.  ursos polares, focas e morsas ao longo da costa do Alasca estão sofrendo de perda de pele e feridas abertas.
Especialistas em vida selvagem estão estudando se a perda da pele e feridas abertas detectadas em nove ursos polares nas últimas semanas é generalizada e relacionada a incidentes similares entre focas e morsas.
Os ursos estavam em 33 e foram encontrados perto de Barrow, no Alasca, durante a rotina de trabalho de pesquisa ao longo da costa do Ártico. Os testes mostraram que eles tinham “alopecia, ou perda de pele, e outras lesões de pele”,  o Serviço Geológico dos EUA disse em um comunicado .
2.  Há uma epidemia de mortes de leões marinhos ao longo da costa da Califórnia.
Nos viveiros da ilha ao largo da costa sul da Califórnia, 45 por cento dos filhotes nascidos em junho morreram, disse Sharon Melin, um biólogo do Serviço Nacional de Pesca Marinha sediado em Seattle. A situação é tão ruim que levou nas últimas duas semanas a National Oceanic and Atmospheric Administration a declarar um “evento incomum de mortalidade”.
3.  Ao longo da costa do Pacífico do Canadá e da costa do Alasca, a população de salmão-vermelho estão tendo uma baixa histórica. Muitos estão culpando Fukushima.
4.  Algo está causando aos peixe ao longo de toda a costa oeste do Canadá  a sangrarem através de suas brânquias, barrigas e olhos.
5.  Uma vasta área de detritos radioativos de Fukushima, que é aproximadamente do tamanho da Califórnia, cruzou o Oceano Pacífico e está começando a colidir com a costa oeste.
6.  Ele está sendo previsto que a radioatividade das águas costeiras da costa oeste dos EUA poderá dobrar nos próximos cinco a seis anos.
7.  Especialistas descobriram  altos níveis de césio-137 em plânctons que vivem nas águas do Oceano Pacífico, entre o Havaí e a costa oeste.
8.  Em uma pesquisa feita na Califórnia, descobriu-se que 15 dos 15 atuns rabilho foram contaminados com a radiação de Fukushima.
9.  Já em 2012, o Vancouver Sun informou que o césio-137 estava sendo encontrado em uma percentagem muito elevada nos peixes que o Japão estava vendendo para o Canadá …
• 73 por cento do mackerel
• 91 por cento do halibut
• 92 por cento das sardinhas
• 93 por cento dos atuns e das enguias
• 94 por cento do bacalhau e das anchovas
• 100 por cento da carpa, algas marinhas, tubarões e tamboril
10.  autoridades canadenses estão encontrando níveis extremamente elevados de radiação nuclear em determinadas amostras de peixes.
Algumas amostras dos peixes testados até à data tiveram níveis altíssimos de radiação: em uma amostra coletada em julho, por exemplo, teve 1.000 becquerel por quilo de césio.
11.  Alguns especialistas acreditam que poderíamos ver níveis muito elevados de câncer ao longo da costa oeste  apenas de pessoas que comem peixes contaminados.
“Olhe para o que está acontecendo agora: Eles estão despejar grandes quantidades de radioatividade para o oceano – ninguém esperava isso em 2011,” Daniel Hirsch, professor de política nuclear na Universidade da Califórnia-Santa Cruz, disse à Global Security Newswire . ”Nós poderíamos ter um grande número de câncer por ingestão de peixes.”
12.  A BBC News informou recentemente que os níveis de radiação ao redor de Fukushima são “18 vezes maiores” do que se acreditava anteriormente.
13.  Um estudo financiado pela União Europeia concluiu que Fukushima liberou até 210 quatrilhões de becquerels de césio-137 na atmosfera.
14.  A radiação atmosférica de Fukushima atingiu a costa oeste dos Estados Unidos dentro de poucos dias a partir de 2011.
15.  Neste momento, 300 mil toneladas de água contaminada está sendo derramada no Oceano Pacífico a partir de Fukushima, a cada dia.
16.  Um pesquisador sênior da química marinha do Instituto de Pesquisas Meteorológicas da Agência Meteorológica do Japão diz que “30 bilhões de becquerels de césio radioativo e 30 bilhões de becquerels de estrôncio radioativo” estão sendo lançados no Oceano Pacífico a partir de Fukushima a cada dia .
17.  Segundo a Tepco, um total de algo entre 20 à 40 trilhões de becquerels de trítio radioativo tem atingido o Oceano Pacífico desde que o desastre de Fukushima começou.
18.  Segundo um professor da Universidade de Tóquio, 3 gigabecquerels de césio-137 estão fluindo para o porto de Fukushima Daiichi à cada dia .
19.  Estima-se que até 100 vezes mais que a radiação nuclear durante todo o desastre de Chernobyl já foi liberada no mar à partir de Fukushima.
20.  Um estudo recente concluiu que uma grande nuvem de césio-137 a partir do desastre de Fukushima vai começar a fluir em águas costeiras dos Estados Unidos no início do próximo ano.
Simulações para o mar mostraram que a pluma de substâncias radioativas césio-137 liberada pelo desastre de Fukushima em 2011 poderia começar a fluir para as águas costeiras dos Estados Unidos a partir do início de 2014 e pico em 2016.
21.  Está sendo previsto que níveis significativos de césio-137 vão chegar a todos os cantos do Oceano Pacífico no ano de 2020.
22.  Está sendo previsto que todo o Oceano Pacífico em breve “ terá níveis de césio, de 5 a 10 vezes maior ”do que aquilo a que assistimos durante a era dos testes de bombas atômicas pesadas no Pacífico há muitas décadas.
23.  As imensas quantidades de radiação nuclear que entram na água no Oceano Pacífico provocaram o ativista ambiental Joe Martino à emitir o seguinte aviso.
“Seus dias de comer peixes do Oceano Pacífico acabaram.”
24.  O iodo-131, césio-137 e o estrôncio-90, que estão constantemente vindo de Fukushima vão afetar a saúde das pessoas que vivem no hemisfério norte por muito, muito tempo. Harvey Wasserman falou à respeito sobre isso.
O iodo-131, por exemplo, pode ser ingerido na tireóide, onde ele emite partículas beta (electrões) causando danos dos tecidos. A praga da tireóide danificada já foi relatada entre 40 por cento das crianças na área de Fukushima. Esse percentual irá ficar mais alto. Em jovens em desenvolvimento, poderá prejudicar o crescimento físico e mental. Entre os adultos uma gama muito ampla de doenças auxiliares, incluindo o câncer. O Césio-137 a partir de Fukushima que foi encontrado em peixes capturados na Califórnia, espalham-se por todo o corpo, mas tendem a acumular-se nos músculos. Meia-vida do estrôncio-90 é de cerca de 29 anos. Ele imita o cálcio e vai diretamente para os nossos ossos.
25.  acordo com um recente relatório, a costa da Califórnia está sendo transformada em uma “zona morta”.
A costa da Califórnia está tornando-se uma zona morta.
Se você não foi para a praia da Califórnia, ultimamente, você provavelmente não sabe que as rochas estão estranhamente limpas – não há praticamente nenhuma alga, craca, ouriço do mar, etc.
As piscinas naturais são igualmente estranhas, desprovidas de caranguejos, caracóis ou qualquer outro sinal de vida.
Há dias em que estou duramente tentando encontrar até mesmo uma meia dúzia de gaivotas e / ou andorinhas do mar na praia.
Você ainda pode encontrar algumas gaivotas nas áreas de piquenique e próximas aos restaurantes (com áreas de estar ao ar livre) para a alimentação, é claro, mas não como anos atrás, onde os céus e todas as praias ficavam literalmente cheios de gaivotas e podíamos ouvir o som de seus gritos de dia e de noite …
Agora tudo está assustadoramente silencioso.
26.  Um estudo realizado no ano passado chegou à conclusão de que a radiação do desastre nuclear de Fukushima pode afetar negativamente a vida humana ao longo da costa oeste da América do Norte, do México ao Alaska “por décadas”.
27.  Segundo o Wall Street Journal, está sendo previsto que a limpeza de Fukushima poderá levar até 40 anos para ser concluída.
28.  O Professor Charles Perrow (Yale) está advertindo que, se a limpeza de Fukushima não for tratada com 100% de precisão, toda o planeta estaria ameaçado “por milhares de anos“.
“As condições na piscina da unidade 4, a 100 metros do chão, são perigosas, e se qualquer toque entre as hastes, poderia causar uma reação nuclear que seria incontrolável. A radiação emitida a partir de todas estas hastes, se não forem continuamente frescas e mantidas sempre separadas, exigiria a evacuação das zonas circundantes, incluindo Tóquio. Por causa da radiação no local, e as 6.375 varas no tanque de armazenamento não poderiam ser continuamente refrigerados; toda a humanidade estará ameaçada, por milhares de anos . “
Você está começando a entender por que tantas pessoas estão tão profundamente preocupadas com o que está acontecendo em Fukushima?
Para muito mais sobre tudo isso, confira o vídeo Fukushima e o Fim da Humanidade, postado abaixo.

fonte

10 sinais que o acidente nuclear de Fukushima está destruindo o planeta

10 sinais que o acidente nuclear de Fukushima está destruindo o planeta
Diariamente, 300 toneladas de água radioativa da Usina Nuclear de Fukushima, no Japão, são despejadas no Oceano Pacífico. Após o acidente nuclear, desencadeado por um trágico terremoto, seguido do uma tsunami , em 2011, a cidade de Fukushima foi devastada e um dos maiores vazamentos nucleares foi deflagrado.
Trata-se de um acidente nuclear sem precedentes, que coloca em escopo as discussões sobre o incentivo a produção de energia nuclear, tendo em vista os grandes impactos ambientais relacionados a esse tipo de tecnologia. Algumas das principais ONG’S de proteção ao meio ambiente tem procurado alertar a grande mídia de todo o mundo e chamar atenção para o perigo iminente que Fukushima trás à saúde e bem estar da humanidade. Separamos alguns dos principais sinais de que o acidente já está destruindo nosso planeta:
1. Ursos polares, focas e morsas ao longo da costa do Alasca estão sofrendo de perda de pele e feridas abertas. Trinta e três ursos foram encontrados nas proximidades do Alasca, Estados Unidos, em condições nunca antes documentadas.
2. Neste momento acontece uma epidemia de mortes de leões marinhos ao longo da costa da Califórnia. Segundo pesquisadores que trabalham no local, 45 por cento dos filhotes nascidos em junho morreram, registrando um evento incomum de mortalidade desses animais.
3. Ao longo da costa do Pacífico do Canadá e da costa do Alasca, a população de salmão-vermelho tem uma baixa histórica.
4. Os peixes que vivem ao longo de toda a costa oeste do Canadá estão sangrando através de suas brânquias, barrigas e olhos.
5. Uma vasta área de detritos radioativos de Fukushima, que é aproximadamente do tamanho da Califórnia, cruzou o Oceano Pacífico e está começando a colidir com a costa oeste. Isso não é contestado por nenhum Governo.
6. Em uma pesquisa feita na Califórnia, descobriu-se que 100% dos atuns analisados foram contaminados com a radiação de Fukushima.
7. Autoridades canadenses estão encontrando níveis extremamente elevados de radiação nuclear em determinadas amostras de peixes.
8. A costa da Califórnia está tornando-se uma zona morta. As rochas estão estranhamente limpas – não há praticamente nenhuma alga, craca, ouriço do mar, etc. As piscinas naturais estão igualmente estranhas, desprovidas de caranguejos, caracóis ou qualquer outro sinal de vida.
9. Estima-se que até 100 vezes mais radiação nuclear do desastre de Chernobyl já foi liberada no mar à partir de Fukushima.
10. Um estudo realizado no ano passado chegou à conclusão de que a radiação do desastre nuclear de Fukushima pode afetar negativamente a vida humana ao longo da costa oeste da América do Norte, do México ao Alaska “por décadas”.
O mapa abaixo mostra a radiação nuclear da usina de Fukushima que vem atingindo a costa americana nos últimos 2 anos:



LinkWithin

´ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...