quinta-feira, 6 de abril de 2017

Austrália se torna o primeiro país a microchipar os seus cidadãos - Seria a marca da Besta ?

Ele está sendo relatado que a Austrália está se tornando a primeira nação no mundo a começar microchipar seus cidadãos. Este surpreendente novo desenvolvimento é o resultado de vários anos de uma propaganda sustentada que realmente levou a cidadãos australianos voluntariamente aceitar o programa controverso.
AUSTRÁLIA ESTÁ MICROCHIPANDO SEUS CIDADÃOS 
Shanti Korporaal, que vive na cidade australiana de Sydney, encontrou­-se no centro das manchetes do novo empreendimento depois de ter implantes cirurgicamente implantados em ambas as mãos. Ela diz que não tem remorsos sobre o procedimento e que ela incentiva outros a seguir seus passos. Os implantes são equipados com um identificador exclusivo que pode ser usado para obter através de portas trancadas, para transferir informações pessoais em dispositivos e até mesmo ligado a dados bancários. "Você poderia configurar sua vida, então você nunca precisa se preocupar com senhas ou PINs", disse Korporaal a jornalistas ao justificar sua decisão. Outro indivíduo anônimo que também voluntariamente se submeteu ao procedimento disse que o fez com o propósito de "conveniência". Mas, embora possa ser conveniente a curto prazo, as implicações a longo prazo de ter microchips implantados diretamente no corpo humano são aterrorizantes. A tecnologia moderna permitiu ao governo e às agências de aplicação da lei um nível quase sem precedentes de acesso aos detalhes da vida dos cidadãos comuns. Nos Estados Unidos, há relatórios regulares que indicam que as agências de aplicação da lei, como a polícia e o FBI já estão rastreando telefones celulares sem um mandado sobre uma base bastante rotineira. Além disso, revelações por parte do denunciante Edward Snowden revelou que o governo está a aceder e armazenar uma grande quantidade de informações sobre cada pessoa, se eles estão sob suspeita ou não, de seus dispositivos on­-line . Isso significa que os ativistas de liberdades civis estão profundamente preocupados com esta tendência crescente de microchip que permitirá essencialmente que o governo tenha um registro permanente de cada movimento e transação de um cidadão. Afinal, a única maneira de remover um microchip implantado cirurgicamente é outra operação dolorosa. Defensores das liberdades civis são confundidos pela forma como os cidadãos privados estão realmente se voluntariando para renunciar a sua privacidade e segurança de uma maneira tão intrusiva. 
O micro chip subcutâneo é a marca da besta?
Há muito que se fala da marca da besta. Quem nunca ouviu falar pode conferir na Bíblia, está descrito no livro do Apocalipse e diz que ninguém poderá comprar ou vender se não tiver a marca e será implantada pelo anticristo.
Apocalipse 13:17 “Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.”
O evento passado mais marcante em que muito foi escrito dizendo que seria a marca da besta ou do anticristo, foi a implantação do código de barras nos produtos. Muitos cristãos não consumiam nem compravam nada que tivesse o código de barras na embalagem, até o ponto em que não houve mais alternativa, pois tudo passou a ter o código.
Tempos depois começou a se falar em um microchip a ser implantado debaixo da pele com uma ficha completa contendo todos os dados da pessoa. Muitos começaram a dizer: “agora sim, este é o sinal do anticristo”.
Seria mesmo o microchip o sinal que devemos evitar a todo custo? Sinal este que, os que o tiver, passarão a eternidade no lago de fogo e enxofre, um lugar de sofrimento eterno. E os que se recusarem de ser marcado, passarão a eternidade com Deus.
Colocar ou não colocar o microchip? Eis a questão!
Bom, não sou teólogo nem tenho doutorado em estudo do Apocalipse ou coisa assim, mas vou expressar minha opinião a respeito do assunto:
Na verdade toda a tecnologia que vem sendo desenvolvida há décadas é instrumento que a seu tempo servirá como ferramenta para o controle do anticristo, o chamado “controle total”. Código de barras, gps, satélites, tela de led, celulares, cartões de crédito e débito, (os quais já contém hoje o chip), nosso CPF, RG os quais não nos deixam “invisíveis” ao controle governamental e agora o microchip subcutâneo, todas essas ferramentas corroboram para o controle total, mas nada disso em si significa a marca da besta ou anticristo.
Assim como quando fomos marcados com a marca de Cristo, (ver plano de salvação) precisamos fazer uma renúncia verbal de todo pacto feito no passado com o diabo (herança de Adão) e verbalmente declararmos que fazemos um novo pacto com Cristo e assim somos selados para a vida eterna, assim também haverá de ser para receber a marca do anticristo. A pessoa terá que renunciar verbalmente o pacto feito com Cristo em favor do anticristo e para ter validade tem que ser bem claro e explícito, não pode ser de forma enganosa dizendo que seria pra outro fim, nesse caso não teria valor.
CONCLUINDO: se o microchip vai ser colocado nas pessoas sem exigir que elas neguem a Cristo e aceitem o anticristo, conclui-se que não é a marca descrita em Apocalipse.
 
 Fonte: http://ufosonline.blogspot.pt/:

LinkWithin

´ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...